O JornalDentistry em 2017-9-04

ARTIGOS

A cirurgia robótica transoral em hospitais públicos australianos evita procedimentos cirúrgicos morosos e traumáticos

O tumor cancerígeno que cresceu na parte de trás da língua de Brian Hodge era de difícil de acesso. O paciente de 73 anos necessitava de uma cirurgia radical e invasiva para remover o tumor com o tamanho de uma meda de 1€. O cirurgião teria que fazer uma incisão quase de orelha a orelha e dividir o maxilar em dois, a cirurgia levaria de 10 a 12 horas.

Depois de cinco dias  na UCI, mais três semanas no hospital e quatro a seis meses de recuperação, reaprender a comer e falar, o Sr. Hodge ficaria com cicatrizes desfigurastes e com uma voz que não reconheceria como sua. 

O Sr. Hodge tornou-se um dos primeiros pacientes públicos a ser submetido a cirurgia robótica para o cancro da cabeça, pescoço e garganta no Nepean Hospital, o único hospital publico australiano que oferece o serviço a pacientes que não podem pagar cuidados de saúde privados. 

O cirurgião que operou o Sr. Hodge, Professor Ronald Chin, realizou a cirurgia robótica oral (TORS), guiando o braço do robô na boca aberta do paciente para removendo o tumor canceroso. 

A cirurgia foi realizada no dia 19 de junho e o paciente teve alta 24 horas depois da cirurgia, 2 dias em vez de seis meses de recuperação 

O TORS está disponível para pacientes privados em outros hospitais  mas o seu uso  num importante hospital público no oeste de Sydney - cercado de subúrbios com algumas das maiores taxas de tabagismo e as menores taxas de seguro privado de saúde deSydney foi um passo muito significativo. 

Segundo o Prof. Dr.Chin., é um enorme passo em frente poder oferecer este tratamento de última geração com benefícios tão óbvios tanto em termos de custo quanto a evitar a desfiguração dos pacientes sem recursos económicos para serem tratados num hospital privado.

O robô da Vinci que o Dr. Chin usou foi o mesmo que os urologistas do Hospital de Nepean usam para realizar prostatectomia em cancros da próstata. O procedimento TORS leva cerca de 45 minutos. 

Tradicionalmente, a cirurgia é incrivelmente invasiva. É necessário fazer incisões muito grandes no pescoço, depois levantar a pele bem acima do lábio inferior e cortar o maxilar. 

Não só as pessoas enfrentam uma operação muito longa com tem que lidar com com uma recuperação e reabilitação pós-operatória longa para recuperar a voz e a capacidade de comer e beber. 

Com TORS, os pacientes podem ir para casa no dia seguinte [com desconforto mínimo 

Mais de 400 mil casos de carcinomas de células escamosas orofaríngicos são diagnosticados todos os anos em todo o mundo. A taxa de sobrevivência de cinco anos para cancro da cabeça e pescoço na Austrália é de 69%, de acordo com as estimativas do governo. 

Nepean Hospital diagnostica entre 10 a 15 pacientes com cancro de cabeça e pescoço por ano, adequado para TORS, disse o Dr. Chin. Os tumores cancerosos, geralmente ligados ao tabagismo e ao consumo excessivo de álcool, bem como ao VPH (vírus do papiloma humano), são extraordinariamente difíceis de aceder muitas vezes impossível. 

A cirurgia robótica custa significativamente mais do que as cirurgias tradicionais. O Prof. Dr. Chin calcula que o TORS poderia poupar ao sistema de saúde pública até cerca 83.000€ por procedimento, vistos os pacientes não necessitarem de UCI cerca de 750€ dia e também semanas no hospital. A cirurgia robótica é indicada principalmente para pacientes com carcinomas orofaríngicos até quatro centímetros de tamanho. Aproximadamente um terço dos pacientes operados com TORS não necessitam de quimioterapia e/ou radioterapia. 

A evidência inicial disponível na cirurgia robótica transoral para cancros orofaríngicos é promissora. No entanto, é necessária uma pesquisa de qualidade superior para dizer definitivamente se isso significa melhores resultados clínicos para os pacientes, em comparação com outros tratamentos já disponíveis. Atualmente não há evidências com ensaios controlados aleatórios que comparem o TORS com com quimioterapia e radioterapia para esses tipos de cancro. (Cochrane de 2016) 

Fonte:  Oral Cancer Foundation/www.smh.com.au

Autor:  Kate Aubusson

Artigo Original:    "Trans oral robotic surgery saves public Australian hospital patients from disfiguring procedure"

Recomendado pelos leitores

Estudo mostra que a diabetes provoca alterações no microbioma oral originando periodontite
ARTIGOS

Estudo mostra que a diabetes provoca alterações no microbioma oral originando periodontite

LER MAIS

6 informações que precisa de saber sobre o RGPD
ARTIGOS

6 informações que precisa de saber sobre o RGPD

LER MAIS

Bactérias orais ligadas à aterosclerose
ARTIGOS

Bactérias orais ligadas à aterosclerose

LER MAIS

Translate:

OJD 45 NOVEMBRO 2017

OJD 45 NOVEMBRO 2017

VER EDIÇÕES ANTERIORES