O JornalDentistry em 2017-11-15

ARTIGOS

Falha do enchimento dentário ligada ao tabagismo, bebida e genética

Um novo estudo sugere que os fatores pessoais do paciente influenciam mais a possibilidade de falha no enchimento dentário, do que a escolha do material utilizado pelo médico dentista.

Os pesquisadores consideram que as pessoas que bebem álcool e ou fumam são mais propensas a sofrer falha no enchimento dental. A equipe de pesquisa também encontrou uma diferença genética em alguns pacientes associados ao aumento das taxas de falha do enchimento. Em contraste, não foi encontrada diferença significativa nas taxas de falha do enchimento entre as amalgamas tradicionais e os enchimentos de resina composta mais recentes. Os resultados sugerem que os tratamentos dentários personalizados podem produzir melhores taxas de sucesso.

Os enchimentos podem falhar por uma variedade de razões, incluindo o ressurgimento da cárie inicial ou o desprendimento do enchimento . Até agora, tem-se em questionado se os recheios de resina composta mais recentes são tão duráveis quanto os enchimentos de amálgama tradicionais, que foram utilizados por mais de 150 anos, mas que contêm mercúrio, um metal tóxico. 

Para investigar isso, pesquisadores da América e do Brasil consultaram uma grande base de dados  de registos dentários de uma escola de medicina dentária de Pittsburgh, USA,  que continha informações sobre preenchimentos de pacientes e taxas de falha até cinco anos após o procedimento.

Os pesquisadores descobriram que, em geral, não houve grandes diferenças entre pacientes que receberam amalgama ou enchimento composto em termos de taxas de falhas de enchimento. Isso sugere que os enchimentos compostos são pelo menos tão duráveis quanto os enchimentos de amálgama e oferecem uma alternativa viável sem ingredientes tóxicos.

A base de dados  continha também informações sobre estilos de vida dos pacientes, incluindo hábitos de tabagismo e consumo de álcool, e uma amostra de DNA de cada paciente - permitindo que a equipe investigasse  o estilo de vida do paciente e os fatores genéticos podem afetar a taxa de falha de enchimentos compostos dentários.

A equipe descobriu que num período  de dois anos após o procedimento, os recheios falharam mais frequentemente em pacientes que bebiam álcool e a taxa geral de falha de enchimento era ainda maior em fumadores. Além disso, uma diferença no gene da metaloproteinase da matriz (MMP2), uma enzima encontrada nos dentes, estava ligada ao aumento da falha de enchimento.

Os pesquisadores levantam a hipótese de que o MMP2 pode ser capaz de degradar a ligação entre o enchimento e a superfície do dente, levando potencialmente a uma falha. Embora este link e hipótese preliminar sejam intrigantes, os pesquisadores ainda não confirmaram se as diferenças no gene MMP2 são responsáveis ​​por enchimentos com falha e necessitam de mais investigação. No entanto, os resultados sugerem que fatores pessoais para cada paciente parecem influenciar mais as suas chances de haver falhas no enchimento dentário, do que os material de preenchimento aplicados pelo médico dentista.

Segundo Alexandre Vieira, pesquisador envolvido no estudo, uma melhor compreensão da suscetibilidade individual às doenças dentárias e a avaliação dos resultados dos tratamentos permitirão avanços na medicina dentária. No futuro, a informação genética pode ser usada para personalizar os tratamentos dentários e melhorar os resultados.

 

Fonte:  Journal Frontiers in Medicine / ScienceDaily. 

Autores: Alexandre R. Vieira, Marília B. Silva, Kesia K. A. Souza, Arnôldo V. A. Filho, Aronita Rosenblatt, Adriana Modesto. 

Artigo original: “Dental filling failure linked to smoking, drinking and genetics”

Estudo publicado no Journal Frontiers in Medicine:  —" A Pragmatic Study Shows Failure of Dental Composite Fillings Is Genetically Determined: A Contribution to the Discussion on Dental Amalgams". 

Recomendado pelos leitores

Deficiências imunológicas explicam as cáries excessivas em algumas crianças
ARTIGOS

Deficiências imunológicas explicam as cáries excessivas em algumas crianças

LER MAIS

O número de nódulos metastáticos é um indicador de sobrevivência no cancro oral
ARTIGOS

O número de nódulos metastáticos é um indicador de sobrevivência no cancro oral

LER MAIS

Bactérias cariogénicas produzem substância que as ajuda na tolerância ao cálcio
ARTIGOS

Bactérias cariogénicas produzem substância que as ajuda na tolerância ao cálcio

LER MAIS

Translate:

OJD 45 NOVEMBRO 2017

OJD 45 NOVEMBRO 2017

VER EDIÇÕES ANTERIORES