O JornalDentistry em 2017-12-21

EDITORIAL

Por onde andámos e para onde vamos

E já estamos quase a fechar mais um ano de edições d’O JornalDentistry. Um ano alucinante na evolução tecnológica e nos avanços da dentisteria minimamente invasiva. Nela fomos dando conta na rubrica “Assim vai a...”, que já cobrimos até aqui, com depoimentos riquíssimos, nas várias áreas da medicina dentária.

Célia Coutinho Alves, DDS, PhD, Médica Dentista Doutorada em Periodontologia, Diretora do "O JornalDentistry"

Nela fomos dando conta na rubrica “Assim vai  a...”, que já cobrimos até aqui, com depoimentos riquíssimos, nas várias áreas da medicina dentária. 
Para além da dentisteria minimamente invasiva temos agora a “realidade aumentada” a entrar de braço dado com a nossa área e a tornar o workflow digital não uma opção mas uma obrigação a muito curto prazo. Isso mesmo podemos ir percebendo da leitura do artigo intitulado “Realidade aumentada: o novo aliado da medicina dentária”, que nos dá uma perspetiva ainda mais futurista sobre os avanços da nossa área médica. 
Também não posso deixar de mencionar, neste editorial, uma palavra de reconhecimento à Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), que conduziu o processo especial de especialidades em Portugal e que culminou com a cerimónia oficial da atribuição do título de especialistas de cirurgia oral, odontopeditaria e periodontologia durante o último dia do Congresso da OMD no passado mês de Novembro em Lisboa. A medicina dentária Portuguesa só tem a ganhar com este reconhecimento pelos e entre os pares e, embora seja ao mesmo tempo um título de reconhecimento duma carreira clínica, é também uma oportunidade de agarrar a responsabilidade de tornar cada especialidade mais viva e mais frutífera em favor dos pacientes. Como ficou claro no discurso do Bastonário da OMD, na abertura 
da cerimónia, ao especialista não fica reservada nenhuma exclusividade de tratamento na sua área, nem aos colegas generalistas fica vedada a atuação específica em cada uma das áreas de especialidade. No entanto, o esforço e percurso clínico de cada especialista em cada área deve ser entendido não só como a oportunidade da sua atuação clínica e referenciação ser baseada num critério de valorização e diferenciação certificado, mas também como a responsabilidade de ajudar a desenvolver ainda mais a sua área de especialidade nas suas vertentes clínica, académica e científicas. Bem hajam e parabéns aos especialistas! Ao trabalho! 
Desejo a todos os colegas um Feliz Natal e um Ano Novo pleno de realizações! Faço votos de um ano de 2018 ainda mais produtivo para a medicina dentária Portuguesa e contamos poder dar nota disso em próximas edições d’O JornalDentistry. 
 

Translate:

OJD 50 ABRIL 2018

OJD 50 ABRIL 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES