O JornalDentistry em 2017-11-27

ENTREVISTA

ARTA quer ser uma “Instituição globalmente reconhecida em regeneração óssea e tecidular guiada”

O dia 21 de outubro de 2017 fica marcado pelo nascimento da ARTA - Association of Ridge and Tissue Augmentation. O JornalDentistry acompanhou a constituição legal desta nova associação no âmbito da regeneração óssea e tecidular guiada, num evento que decorreu no Europarque, em Santa Maria da Feira

Dra. Liliana Silva, presidente da Association of Ridge and Tissue Augmentation - ARTA

Para lhe dar a conhecer mais pormenores sobre a ARTA, entrevistámos a presidente da associação, Dra. Liliana Silva

O JornalDentistry – Conte-nos a história da ARTA. Como surge a intenção de a criar?
Dra. Liliana Silva – A ARTA surgiu durante a realizaçãodo REGENERATOR PROGRAM do Professor Istvan Urban, em Budapeste, na Hungria. Maravilhados com toda a informação absorvida, num dos jantares pós-formação, entre colegas e amigos portugueses, nasce a ideia de criar um grupo de clínicos que partilhassem experiências clínicas, em especial dificuldades, sucessos e insucessos clínicos.

O JornalDentistry – Como foi o processo, desde a ideia até à concretização?
Dra. Liliana Silva – Foi tudo muito rápido. A ideia foi crescendo como nacionale depois de a transmitir aos colegas que realizavam a mesma formação oriundos do Japão, Índia, Singapura, França, Alemanha, Grécia, Egito e Espanha tornou-se naturalmente internacional. O Professor Istvan Urban adorou o projeto, apadrinhou-o e a ARTA consolidou a sua formação.
Há que agradecer a todos os colegas nacionais e internacionais que, desde logo, acreditaram no projeto. E, de forma muito especial, ao Professor Istvan Urban que inspira todos que com ele tiveram o privilégio de aprender a excelência
dos seus protocolos e vanguardismo na área da regeneração óssea e tecidular.

O JornalDentistry – Quais os principais objetivos a que se propõem?
Dra. Liliana Silva – Os objetivos da ARTA são vários, dos quais destaco: o desenvolvimento, investigação, estudo e promoção damedicina dentária regenerativa de tecidos moles e duros; zelar pela evolução, formação e aperfeiçoamento profissionaldos seus associados; divulgar conhecimentos com especial relevo no campo da regeneração oral de tecidos moles e duros, interligando o progresso científico com a prática clínica;organização de atividades científicas; emitir diretrizes
e informações científicas; editar publicações técnico-científicasrelacionadas com as matérias que integram o objeto dos seus fins, com respeito pela legislação aplicável e em vigor; e estabelecer acordos, parcerias ou protocolos com entidades terceiras, nacionais ou internacionais, podendo integrar essas mesmas entidades como forma de prosseguir os seus fins.

O JornalDentistry – Já têm um plano de atividades? Pode revelar algumas das
atividades previstas?
Dra. Liliana Silva -  Temos prevista a realização do 1º Meeting Internacional da Arta em 2019, com figuras mundiais relevantes da regeneração óssea e de tecidos moles, o qual decorrerá em Budapeste, precedente ao 2nd Urban International Hard and Soft Tissue Regeneration Symposium, do Professor Istvan Urban. Destaco ainda a criação e dinamização de grupos de trabalho para o estudo e investigação de resolução de problemas específicos relacionados com regeneração tecidular.
Está ainda prevista a realização de cursos de formação em 2018 nesta área de conhecimento.

O JornalDentistry – Quem são os membros fundadores?
Dra. Liliana Silva -  Somos 11 membros fundadores. O Conselho Diretivo é composto por mim, como presidente, pelo Dr. Nuno Filipe Soares Ferreira Pereira, como vice-presidente, pelo Dr.Francisco Gouveia Delile, como secretário, pelo Dr. Mário Alberto Preto Rodrigues, como tesoureiro, e pelo Dr. Paulo Manuel de Ornelas Alves Morna Freitas, como vogal. Na Assembleia Geral temos o Dr. Ricardo Henriques Jorge Reis de Oliveira como presidente e as Dras. Michelle Soares Barbosa e Liliana Marques da Fonseca como secretárias.
E, por último, o Conselho Fiscal é composto pelo Dr. JaimeLuís Franco Capela, como presidente, pelo Dr. Luís Miguel Lima Fernandes Bacalhau, como 1º vogal, e pelo Dr. José Rui Guedes Vidal Salgado, como 2º vogal.

— O JornalDentistry – Já têm um plano de atividades? Pode revelar algumas das atividades previstas?
— Dra. Liliana Silva -  Temos prevista a realização do 1º Meeting Internacional da Arta em 2019, com figuras mundiais relevantes da regeneração óssea e de tecidos moles, o qual decorrerá em Budapeste, precedente ao 2nd Urban International Hard and
Soft Tissue Regeneration Symposium, do Professor Istvan Urban. Destaco ainda a criação e dinamização de grupos de trabalho para o estudo e investigação de resolução de problemas específicos relacionados com regeneração tecidular.
Está ainda prevista a realização de cursos de formação em 2018 nesta área de conhecimento.

O JornalDentistry – Quem são os membros fundadores?
Dra. Liliana SilvaSomos 11 membros fundadores. O Conselho Diretivo é composto por mim, como presidente, pelo Dr. Nuno FilipeSoares Ferreira Pereira, como vice-presidente, pelo Dr. Francisco Gouveia Delile, como secretário, pelo Dr. MárioAlberto Preto Rodrigues, como tesoureiro, e pelo Dr. Paulo Manuel de Ornelas Alves Morna Freitas, como vogal. Na Assembleia Geral temos o Dr. Ricardo Henriques Jorge Reisde Oliveira como presidente e as Dras. Michelle Soares Barbosa e Liliana Marques da Fonseca como secretárias.
E, por último, o Conselho Fiscal é composto pelo Dr. Jaime Luís Franco Capela, como presidente, pelo Dr. Luís Miguel Lima Fernandes Bacalhau, como 1º vogal, e pelo Dr. José Rui Guedes Vidal Salgado, como 2º vogal.

O JornalDentistry – O que têm os membros da ARTA em comum?
Dra. Liliana Silva - Todos os membros da ARTA são clínicos que adoram o que fazem e querem sempre ampliar conhecimentos num campo tão fascinante como é o da regeneração de tecidos duros e moles.

O JornalDentistry – Quem pode integrar a associação? Como pode fazê-lo?
Dra. Liliana Silva - Todos os clínicos interessados em regeneração óssea e tecidular guiada podem integrar a ARTA. Podem aceder através do endereço: www.arta.world e tornarem-se membrosefetivos. Temos membros efetivos de países como: Japão, Singapura, Grécia, Espanha, Índia, Singapura, Egito,entre outros. É fascinante como este campo da regeneração é tão atual e ao mesmo tempo aglutinador de profissionais.

O JornalDentistry – Por que razão escolheram o Hubparque, no Europarque, em Santa Maria da Feira, como sede da ARTA?
Dra. Liliana Silva - A oportunidade surgiu por proposta do Presidente da Câmara de Santa Maria da Feira que, gentilmente, nos cedeu um Espaço no Hubparque, do Europarque. Foi fantástico porque rapidamente nos identificámos com associações
e empresas que estão também a iniciar a sua atividadenaquele local. Estabelecemos sinergias muito positivas, que todos beneficiam.

O JornalDentistry – Como imagina a ARTA dentro de cinco anos? O que ambicionam para o futuro da Associação?
Dra. Liliana Silva -  O nosso lema é traçar um caminho que suporte um crescimento
sustentado e assente em conhecimentos válidos ee aceites pela comunidade científica, de forma a tornar-se uma instituição globalmente reconhecida.

Membros fundadores

Esta entrevista foi publicada no "O JornalDentistry" edição de novembro de 2017 em versão impressa e digital
www.jornaldentistry.pt/edicoes/ojd-45-novembro-2017

 

Recomendado pelos leitores

A Medicina Dentária Forense tem uma grande importância no contributo para a Justiça
ENTREVISTA

A Medicina Dentária Forense tem uma grande importância no contributo para a Justiça

LER MAIS

Translate:

OJD 45 NOVEMBRO 2017

OJD 45 NOVEMBRO 2017

VER EDIÇÕES ANTERIORES