O JornalDentistry em 2018-9-30

CRÓNICA

Torneira Fechada

Este ano celebram-se 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a carta de princípios proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, como uma norma comum a ser alcançada por todos os povos e nações.

Fernando Arrobas, médico dentista

Fundados sobre o respeito pela dignidade e o valor de cada pessoa, os direitos humanos são universais e inalienáveis, o que significa que são aplicados de forma igual e sem discriminação a todas as pessoas. Outras caraterísticas dos direitos humanos são a sua indivisibilidade e inter- dependência. Isto é, ao serem todos de igual importância, 
torna-se insuficiente respeitar alguns direitos humanos e outros não, sendo que, na prática, a violação de um direito afeta o respeito por outros. 
É nesse sentido que direitos como a saúde se entrelaçam com as noções de proteção do meio ambiente, tal como vem espelhado nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e no mais recente Pacto Global da ONU para empresas. Neste último, dos dez princípios enunciados, três dizem respeito ao meio ambiente, nomeadamente que as empresas devem apoiar uma abordagem preventiva aos desafios ambientais, devem desenvolver iniciativas para pro- mover maior responsabilidade ambiental e devem incentivar o desenvolvimento e difusão de tecnologias amigas do ambiente. 
É por isso que fiquei impressionado com um hotel que visitei nestas férias. Além de propor um estilo de vida saudável e oferecer aventuras de crescimento pessoal ao ar livre, alimentação nutritiva, exercício físico e tratamentos personalizados, procurava educar para a consciência ambiental. Em cada recanto se alertava para os números sobre a produção de lixo à base de plásticos, sobre a quantidade de detergente que se gasta a lavar toalhas ou mesmo os 120 litros de água que se podem poupar durante um banho de 15 minutos se desligar a torneira enquanto lava a cabeça. 
No mesmo sentido devem caminhar as empresas de medicina dentaria e os médicos dentistas. Por certo que será complicado começar a poupar a água da turbina, do contra ângulo ou da ponta destartarizadora. A refrigeração faz parte dos tratamentos sobre dentes e na cavidade oral, pelo que seria mais prejudicial não o fazer. Apesar de interessante, também não estou a falar de se começar a recomendar a toda a hora as novas escovas de dentes à base de bambu. No entanto, existem muitas ideias que se podem desenvolver. A título de exemplo, um cartaz simples e apoiado institucionalmente pelas entidades competentes poderia ser muito eficaz em alertar as pessoas que se deve escovar os dentes com a torneira fechada. 

 

Autor: fernando.arrobas@jornaldentistry.pt 

Translate:

OJD 55 OUTUBRO de 2018

OJD 55 OUTUBRO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.