O JornalDentistry em 2022-4-09

NEGÓCIOS E MKT

Auditoria à Clínica

Num primeiro momento, o leitor poderá ser levado a pensar que vou realizar uma investigação profunda da atividade profissional, ou que vou escrever sobre a sua clínica.

Pode acreditar que está certo.
Entrar em detalhe nos processos, com dados robustos, poderá dar alguma visibilidade sobre o estado em que nos encontramos.

Iremos recolher dados que explicam os porquês de muitos dos resultados com que nos deparamos todos os meses ou ao final de um ano de trabalho.

A oportunidade de separar a razão da emoção, o fato do achismo e a cautela do alarde.

Precisamos de métricas para estabelecer os avanços, os recuos e ainda os aspetos estagnados.

Muitos são os que não gostam de relatórios, sentem-se limitados pelas informações que descortinam a realidade. Temos que frisar que não existe outra forma de gerir uma unidade de negócios.

Assim, para simplificar sugiro uma checklist rápida das práticas operacionais, avaliando a qualidade e a intensidade das mesmas.

Iremos atribuir uma nota de um a dez para o desempe nho.

1- Organização da clínica

a – Preenchimento dos prontuáios – inclui dados, anam- nese atualizada, histórico clínico e financeiro dos pacientes

b – Armazenamento de imagens – acesso rápido sem- pre que necessário de radiografias, tomografias, fotografias, modelos físicos ou digitalizados

c – Controlo de Inventário – capacidade de rodar sem risco de faltar ou comprometer o prazo de validade dos materiais

d – Biossegurança – rigor nos processos e rastreabilidade através das informações digitalizadas

2- Experiência do paciente durante a jornada

a – Como são as formas de contato com a clínica – atendimento, respostas com celeridade

b – O nosso fluxograma de etapas do tratamento tem uma coordenação eficiente

c – Temos agilidade para solucionar problemas urgentes

d – Alem dos resultados, essenciais na condução do trata- mento, temos um impacto nos nossos pacientes ao ponto de nos referenciarem

3- Comunicação com os pacientes

a – Sistematizada com frequência ou eventual

b – Generalizada, textos comuns a todos ou personalizados

c – Programa de revisões e manutenções que funciona

d – As ferramentas utilizadas proporcionam métricas de resultados positivos

4- Consultas iniciais

a – Temos um protocolo eficiente

b – O profissional que faz é competente a ponto de esta- belecer confiança e de captar o cliente

c – O local é adequado, zelamos pela privacidade e o paciente valoriza

d – A apresentação do plano de tratamento é elaborada e esclarecedora

5- Equipa

a – Participa nas soluções de problemas e nas decisões

b – Comportamento proativo e com lideranças claras e envolvidas

c – Temos reuniões frequentes e metódicas

d – A remuneração dos profissionais é condizente com o mercado

Acreditamos que estas breves considerações dão uma ideia do funcionamento de uma clínica. A checklist poderá naturalmente incluir mais elementos específicos de cada clí- nica. Este é apenas um exemplo que pode ser enriquecido.

 

Até à próxima!

 


Autor:  Dr. Celso Orth - Graduado em Medicina Dentária - UFRGS; MBA em Gestão Empresarial - Fundação Getulio Vargas; Educador Físico - IPARS; Membro Fundador da Academia Brasileira de Odontologia Estética; Membro Honorário da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética; Palestrante de Gestão na Prestação de Serviços na área da saúde; Reabilitador que trabalha em tempo integral na Clínica  Orth - Rio Grande do Sul - Brasil. Para enviar questões e solicitar esclarecimentos: celsoantonioorth@gmail.com

 

Translate:

OJD 94 ABRIL 2022

OJD 94 ABRIL  2022

VER EDIÇÕES ANTERIORES

+ Notícias

A Colgate lança novo PerioGard®

FluxoPhygital

Comunicação na Medicina Dentária

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.