O JornalDentistry em 2018-2-22

OUTROS

Ortodontia 2018: Futuro em debate

É de Ortodontia que se vai falar, em abril, na XXX Reunião Científica Anual da SPODF – Sociedade Portuguesa de Ortodontia Dento-Facial.

Dr. Miguel Moura Gonçalves, médico dentista

Um tema bastante atual, tendo em conta toda a evolução que se vem registando nesta área específica da medicina dentária. 

Tratando-se de um tema abrangente, “Ortodontia 2018” vai juntar na cidade de Viseu um conjunto de conferencistas de nível mundial, como é o caso do Dr. Chris Chang e do Dr. Won Moon, que irão apresentar as mais recentes novidades nas suas formas de trabalhar e nos tratamentos que desenvolvem. Sendo de realçar também a realização de uma mesa redonda sobre sistemas autoligáveis e de uma outra sobre cirurgia ortognática que junta alguns dos melhores cirurgiões maxilofaciais da Península Ibérica. Estes e outros temas, como a ortodontia intercetiva, a utilização diversificada de microimplantes, inclusões dentárias e alinhadores, que também vão estar em destaque neste congresso que vai colocar a cidade de Viseu nos olhos do mundo científico, são de grande interesse para os especialistas e sub-especialistas em ortodontia, mas também para generalistas  que incluem esta área na sua prática clínica diária. Num ano que se pretende marcante para a ortodontia, a comissão organizadora da SPODF 2018 acredita que os participantes vão ter acesso a um evento de excelente qualidade que servirá para promover a especialidade em simultâneo com novas técnicas terapêuticas. 
Pretendendo-se colocar o debate sobre o presente e o futuro desta importante especialidade, acreditamos que este congresso abre portas a um fórum nacional de discussão alargada sobre as mais diversas áreas com ela relacionadas. E para isso contamos, nos dias 19, 20 e 21 de Abril, com a presença, e a inerente contribuição, de individualidades de reconhecido valor e mérito científico que nos ajudarão a dar o pontapé de saída para a tão desejada, e necessária, reflexão mais alargada sobre uma área que está em constante evolução e nos confronta diariamente com novos sistemas e filosofias de tratamento. 
É fundamental ter em atenção que cada caso é um caso e que as técnicas de tratamento devem ser adequadas às realidades com que nos confrontamos e não integradas em pacotes mais ou menos adaptáveis a todas as pessoas. Não se deve esquecer que é a gravidade de cada caso que vai determinar o procedimento ortodôntico mais adequado. Com a presença de 21 conferencistas, a que se juntam um importante conjunto de comunicações livres sobre os mais diversos temas ligados a esta área, este congresso dá também oportunidade às novas gerações de profissionais para que possam apresentar posters e casos por eles acompanhados perante os melhores do mundo. 
Apresentações, cuja qualidade e inovação poderão ser reconhecidas com a atribuição de um prémio em material clínico. É de sublinhar, igualmente, a presença no Hotel Montebelo, em Viseu, de mais de 30 casas de material da especialidade que desta forma terão a oportunidade de se apresentar num encontro que reúne qualidade científica, inovação e antecipa já o futuro nesta especialidade. A importância deste encontro também se vê no facto de algumas des- tas casas se apresentarem pela primeira vez em Portugal mostrando e promovendo o que de melhor existe no mundo para garantir a excelência nas mãos dos profissionais de ortodontia. 
Esperamos, desta forma, ir ao encontro das melhores expetativas de todos os participantes, entre conferencistas e público, uma vez que, como já é tradição, nas reuniões da SPODF procura-se apostar sempre na informação (e formação) de todos com a atualidade científica e clínica ao mesmo tempo que se reveem conceitos importantes para uma boa prática clínica do dia-a-dia. 
De sublinhar também que todos os profissionais presentes nesta reunião têm a oportunidade de trocar opiniões e experiências, conscientes de que a prática da Ortodontia implica um estudo e uma atualização constante sendo bastante importante analisar as diversas formas de a encarar. Sendo uma área que estimula o interesse de muitos colegas para a sua aprendizagem, ela exige, por outro lado, uma aposta séria e efetiva na formação, na aprendizagem de novas técnicas, defendendo-se um investimento no que de melhor se  desenvolve na especialidade, com responsabilidade e ética médica. 
Questões sérias que devem ser contempladas, e analisadas, numa altura em que crescem as respostas existentes no mercado nesta área da medicina. Reconheço que temos excelentes profissionais em todas as áreas da medicina dentária, o que não é exceção em ortodontia, mas é importante refletir para que a evolução seja cada vez mais no sentido de se obterem respostas de qualidade e de excelência tão importante numa especialidade médica como esta. 

 

Recomendado pelos leitores

Dor Orofacial e DTM - A SPDOF e o futuro
OUTROS

Dor Orofacial e DTM - A SPDOF e o futuro

LER MAIS

Translate:

OJD 52 JUNHO de 2018

OJD 52 JUNHO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.