JornalDentistry em 2024-3-01

ARTIGOS

Um quinto dos adultos na Suécia relata ansiedade dentária

Na Suécia, cerca de um em cada cinco adultos sofre de ansiedade ou fobia dentária. O número tem diminuído ao longo do tempo, mas ainda uma parte importante da população tem grandes problemas, de acordo com uma tese de doutoramento recente da Universidade de Gotemburgo.

A tese inclui um estudo de entrevista nacional envolvendo 3.500 indivíduos adultos, selecionados aleatoriamente da população geral da Suécia. Dezenove por cento dos participantes relataram algum grau de ansiedade, medo ou fobia dentária.
Os resultados mostraram que 4,7% dos entrevistados descreveram sua ansiedade dentária como grave, 4,5% como moderada e 9,8% como baixa. Os restantes 80,9% não referiram ansiedade dentária. A proporção sem ansiedade dentária foi mais do dobro da de um estudo semelhante da década de 1960, quando 38,5% dos entrevistados não relataram ansiedade dentária.
"Houve uma mudança marcante: as pessoas já não estão tão ansiosas com a medicina dentária", diz Lisa Svensson, doutorada em Odontological Science, department of Behavioral and Community Dentistry , Institute of Odontology, e médica dentista no Serviço Público de medicina dentária da Suécia, Região Västra Götaland.

Problemas de saúde pública
Svensson destaca que a medicina dentária  preventiva para crianças e adolescentes tem sido um fator crucial. Criou bons hábitos, melhorou a saúde dentária e, assim, reduziu a necessidade de procedimentos dentários extensivos no início da vida. Uma melhor comunicação e uma relação mais igualitária entre dentista e paciente também são fatores importantes para essa melhoria.
Por outro lado, a fobia dentária é tão comum que é um problema de saúde pública, enfatiza Svensson. Os seus estudos de doutoramento centraram-se particularmente em indivíduos com ansiedade dentária grave. Destes, 85% disseram que a sua vida diária foi afetada por problemas na boca ou nos dentes, e 78% referiram dor dentária e classificaram a sua dor em alta intensidade.
"As pessoas mais ansiosas muitas vezes têm uma experiência negativa de atendimento dentário, com muita dor envolvida. Mas o sentimento de vulnerabilidade também pode ser devido a experiências anteriores de trauma, como agressão envolvendo o rosto e a boca, ou abuso sexual", diz Svensson.

Comorbidade acentuada
"Há um alto grau de comorbidade nesse grupo", afirma. "Pessoas com ansiedade dentária grave são frequentemente propensas a ansiedade, depressão, outras fobias específicas ou algum outro transtorno mental."
Médicos Dentistas e outros profissionais de medicina dentária atendem e tratam pacientes com ansiedade dentária severa todos os dias. Mesmo as pessoas com fobia grave de cuidados dentários frequentam os cuidados dentários regularmente, apesar do seu medo.
"Entre os participantes do estudo altamente ansiosos, a dor e o não controle foram as causas mais comuns de ansiedade dentária. Para um médico dentista, esses fatores são relativamente fáceis de controlar e, se o fizermos, estaremos a engajar-nos  tanto na medicina dentária preventiva quanto no tratamento da ansiedade dentária grave", diz Svensson.

 

 

Fonte: University of Gothenburg

Foto: Unsplash/CCO Public Domain

Recomendado pelos leitores

O Regime Jurídico aplicável à publicidade na medicina dentária
ARTIGOS

O Regime Jurídico aplicável à publicidade na medicina dentária

LER MAIS

Diretrizes para  Medicina Dentária  sobre antibióticos
ARTIGOS

Diretrizes para Medicina Dentária sobre antibióticos

LER MAIS

App projetada para orientação passo a passo em caso de emergência para equipes de medicina dentária
ARTIGOS

App projetada para orientação passo a passo em caso de emergência para equipes de medicina dentária

LER MAIS

Translate:

OJD 115 MARÇO 2024

OJD 115  MARÇO 2024

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.