O JornalDentistry em 2017-10-30

CRÓNICA

Musée d’Art Dentaire

Capital de França, grande cidade europeia e centro global de arte, moda, gastronomia e cultura. Paris é um dos destinos turísticos mais charmosos e populares do mundo, com uma média de 30 milhões de visitas por ano.

Para  além dos monumentos mais conhecidos da cidade luz, como a Tour Eiffel ou o Musée du Louvre, existe um outro local que pode ser de especial interesse para os médicos dentistas. Localizado na Académie Nationale de Chirurgie Dentaire, 
mais precisamente no número 22 da Rue Émile Ménier (16eme arrondissement), encontra-se o Musée d’Art Dentaire Pierre Fauchard. Este museu guarda algumas das mais belas relíquias da história da medicina dentária, como sejam instrumentos, próteses, cadeiras, pinturas e um acervo de cerca de 500 livros antigos, onde se inclui uma edição original do aclamado Le Chirurgien Dentiste, obra de Pierre Fauchard, considerado o mentor da medi- cina dentária moderna. 
Depois de vários anos embarcado na Marinha Francesa, onde se inspirou em várias leituras recomendadas pelo cirurgião e major Alexander Poteleret e acompanhou vários casos de escorbuto, Pierre Fauchard estabeleceu-se em Angers, onde inaugurou a sua clínica dentária. Auto apelidou-se, pela primeira vez, como Chirurgien Dentiste, em oposição ao termo Dentateurs, ofício que era conhecido sobretudo por realizar extrações dentárias. Ambides- tro e com grande destreza manual, rapidamente ganhou fama e mudou-se para Paris. Opositor da teoria “Tooth Worm” como causa das cáries, descreve no seu livro, publicado em 1728, a anatomia básica e as funções da cavi- dade oral, assim como técnicas operativas, restauradoras e construção de próteses para a substituição de dentes perdidos. Revisto e aumentado em 1746, este foi o manuscrito que revolucionou a visão do mundo da medicina dentária para aquilo que conhecemos hoje, tendo os seus 38 e 26 capítulos dos Volumes I e II sido traduzidos para alemão em 1773 e para inglês em 1946. 
Existente desde 1879, o Musée d ́Art Dentaire foi nomeado Pierre Fauchard como homenagem em 1937. Com centenas de peças e itens de interesse, as coleções têm sido mantidas com o apoio do Musée de l’Assistance Publique – Hôpitaux de Paris desde 2003. Apenas disponível para visitas nas quartas-feiras de tarde e só com marcação prévia, é o espaço ideal para uma tarde de cultura e curiosidade ou mesmo para, antes de ficarmos a saber para onde vamos, ficarmos a saber de onde viemos. Fica a sugestão. 
Texto: Fernando Arrobas, médico dentista — fernando.arrobas@jornaldentistry.pt 
Ilustração: Diogo Costa — dcosta_4@msn.com 

Translate:

OJD 45 NOVEMBRO 2017

OJD 45 NOVEMBRO 2017

VER EDIÇÕES ANTERIORES