O JornalDentistry em 2018-4-11

ARTIGOS

Estudo para explorar o impacto do Vírus do Papiloma Humano (VPH) no desenvolvimento do cancro oral

O mês de abril é considerado pela comunidade médica como o mês para a conscientização do cancro oral. A Head and Neck Cancer Alliance estima que mais de 650.000 casos cancro de cabeça e pescoço serão diagnosticados mundialmente em 2018.

A HPV-16 estirpe do vírus do papiloma humano

As Faculdades de Medicina Icahn Mount Sinai Nova York, e a Johns Hopkins, pretendem vir a mudar esses números com um estudo que explora como os fatores de risco afetam as taxas de infeção oral por VPH. 

Embora o consumo de tabaco e álcool seja um dos principais fatores para o cancro oral, o VPH está a impulsionar o aumento das taxas, principalmente entre os homens mais jovens  não fumadores. Os casos de Vírus do Papiloma Humano(VPH) representam atualmente cerca de 70% de todos os cancros nas amígdalas e língua, nos Estados Unidos,

A Icahn School of Medicine e os Centers for Disease Control and Prevention calcula que mais de 16.000 cancros orofaríngicos associados ao VPH são diagnosticados anualmente nos Estados Unidos. 

O estudo, o primeiro no seu género,  irá rastrear os pacientes que podem ter sido expostos a VPH de alto risco, mas não têm evidência de cancro. Atualmente, não há rastreamento para VPH de cabeça e pescoço, mas os pesquisadores esperam mudar isso determinando quais os pacientes foram expostos a VPH de alto risco e precisam de maior acompanhamento. 

Os pesquisadores coletarão amostras de sangue, saliva e urina dos participantes para testá-los quanto a anticorpos contra o vírus

do papiloma humano (VPH). Se os testes forem positivo para anticorpos de alto risco, serão monitorados anualmente durante os próximos cinco anos e receberão informações sobre os sinais e sintomas que podem indicar um cancro relacionado ao VPH. O objetivo do estudo é examinar a história natural da exposição ao VPH e como diferentes comportamentos afetam o risco de

adquirir uma infeção por HPV de alto risco.

 

Os investigadores esperam que no futuro, as informações obtidas neste estudo permitam examinar cuidadosamente e aconselhar

os pacientes sobre o risco de cancro de cabeça e pescoço relacionado ao VPH de alto risco 

 

Conhecido como Men / Women Offering Understanding of Throat HPV ou MOUTH, o estudo multicêntrico está a analisar

estes assunto, os critérios incluem: 

• Homens com idades entre 35 e 69 anos 

• Mulheres e / ou parceiros de mulheres com displasia cervical conhecida 

• Parceiros de pacientes com cancro de HPV e orofaríngico 

• Pessoas que tiveram três ou mais parceiros sexuais durante a vida 

• Pessoas que nunca tiveram cancro de cabeça ou pescoço 

• Pessoas que estão dispostas a voltar para visitas de acompanhamento anuais se forem positivas para o HPV de alto risco 

 

De acordo com Brett. Miles, MD, co-chefe da Divisão Oncológica de Cabeça e Pescoço do Sistema de Saúde Mount Sinai e professor associado de otorrinolaringologia na Faculdade de Medicina de Icahn, o tratamento do cancro de cabeça e pescoço geralmente inclui cirurgia, radiação e quimioterapia, dependendo do tipo e estadiamento. Embora existam muitas opções diferentes de tratamento dependendo do estadiamento e do tipo de cancro, uma coisa é clara: a deteção precoce leva a taxas de cura mais altas e melhores resultados para todos os tipos de cancro de cabeça e pescoço. 

O estudo observa que os fumadores geralmente desenvolvem cancro de cabeça e pescoço por volta dos 60 anos e que os homens têm duas vezes mais hipóteses de serem afetados por causa dos padrões de tabagismo e dos riscos do VPH. Os sintomas iniciais incluem uma ferida na boca que não cicatriza, dor de garganta, dificuldade para engolir, caroços ou manchas na boca, alterações na voz e um caroço no pescoço. Além disso, 50% das pessoas com cancro de cabeça e pescoço quando consultam o médico já estão com a doença num estado muito avançado. 

É muito importante obter uma triagem principalmente nos grupo de alto risco, ou seja, fumadores, consumo de álcool e pessoas que têm um histórico de sexo oral com vários parceiros. Estes são os grupos com maior risco de cancro de cabeça e pescoço

 

Fonte: Dentistry Today

Artigo original: “Study to Explore HPV’s Impact on Oral Cancer Development”

 

 

 

Recomendado pelos leitores

DCD (1): Carcinoma escamoso orofaríngico é o cancro mais comum associado ao Vírus do Papiloma Humano (VPH)
ARTIGOS

DCD (1): Carcinoma escamoso orofaríngico é o cancro mais comum associado ao Vírus do Papiloma Humano (VPH)

LER MAIS

Biomaterial pode manter o dente vivo após tratamento do canal radicular
ARTIGOS

Biomaterial pode manter o dente vivo após tratamento do canal radicular

LER MAIS

A importância da Inteligência Artificial na Medicina Dentária
ARTIGOS

A importância da Inteligência Artificial na Medicina Dentária

LER MAIS

Translate:

OJD 54 SETEMBRO de 2018

OJD 54 SETEMBRO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.