O JornalDentistry em 2018-11-04

ARTIGOS

Pesquisa do microbioma de língua mostra importância da Saúde Oral

De acordo com uma nova pesquisa os Idosos com menos dentes, má higiene oral e mais cáries, ingerem uma maior quantidade de disbióse da microbiota da língua o que poderá prejudicar a saúde respiratória. Os resultados tem origem num grande estudo de base populacional que identificou variações na microbiota da língua entre adultos idosos no Japão.

Os resultados tem origem num grande estudo de base populacional que identificou variações na microbiota da língua entre adultos idosos no Japão. 

Segundo o autor Yoshihisa Yamashita. Doutorado, DDS, Seção de Medicina Dentária Preventiva e de Saúde Pública, Divisão de Saúde Oral, Crescimento e Desenvolvimento, Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Kyushu, Fukuoka, Japão, 

Poucos dentes, má higiene oral e mais cárie dentária estão intimamente relacionados com a mudança de comportamento na microbiota da língua, o que pode ser prejudicial à saúde respiratória de adultos idosos com problemas de deglutição.

Antes deste estudo, os pesquisadores sabiam que a aspiração constante de saliva pode provocar pneumonia, uma das principais causas de morte entre adultos idosos com deficiências na deglutição, e que a microbiota da língua é uma fonte dominante de populações microbianas orais que são ingeridas com saliva. Pesquisas anteriores também mostraram que, em idosos idosos institucionalizados e frágeis, as alterações disbióse da microbiota da língua está associado a um risco aumentado de morte por pneumonia. 

No novo estudo, o Dr. Yamashita e seus colegas propuseram-se a entender as variações na composição da microbiota da língua relacionadas com as condições de saúde oral entre adultos idosos residentes na comunidade e identificar os fatores associados ao desvio bióticos na microbiota da língua. Investigaram o estado da microbiota da língua e as condições dentárias de 506 adultos com idades entre 70 e 80 anos na cidade de Hisayama, Japão, e que foram submetidos a exame dentário durante um exame de saúde geral realizado em 2016. Os cientistas coletaram a microbiota da área central do dorso da língua utilizando uma escova de dentes elétrica modificada como dispositivo de amostragem, e utilizaram uma abordagens de sequenciamento de última geração para analisar as amostras.

Os pesquisadores descobriram que a densidade bacteriana total era independente das condições dos dentes ao redor da língua, enquanto a composição da microbiota, especialmente a abundância relativa de comensais predominantes, mostrou uma associação com as condições dos dentes. "Dois grupos coabitantes de comensais predominantes existem na microbiota da língua; um deles é composto principalmente por Prevotella histicola, Veillonella atípica, Streptococcus salivarius e Streptococcus parasanguinis, que foram previamente associados a um risco aumentado de mortalidade por pneumonia no paciente. Este grupo bacteriano foi mais predominante nos idosos com menos dentes, maior índice de placa e mais dentes com cárie dentária. 

 O estudo destaca a importância da saúde oral. O Dr. Yamashita considera que é necessário uma atenção cuidadosa ao estado da microbiota da língua em adultos idosos com condições dentárias deficientes.

 
Fonte: ScienceDaily/American Society for Microbiology.
 

Recomendado pelos leitores

Os antibióticos  destroem as “bactérias boas” piorando a infeção oral
ARTIGOS

Os antibióticos destroem as “bactérias boas” piorando a infeção oral

LER MAIS

Saúde oral deficiente ligada a pressão arterial elevada
ARTIGOS

Saúde oral deficiente ligada a pressão arterial elevada

LER MAIS

Quando começam a surgir os efeito do tabaco? Mais cedo do que se pensa
ARTIGOS

Quando começam a surgir os efeito do tabaco? Mais cedo do que se pensa

LER MAIS

Translate:

OJD 55 OUTUBRO de 2018

OJD 55 OUTUBRO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.