O JornalDentistry em 2019-6-04

EVENTOS

XIX Congresso APHO reforça a importância da profissão de Higienista Oral

O XIX Congresso da Associação Portuguesa de Higienistas Orais (APHO) retornou à capital do país nos dias 5 e 6 de abril. A associação, que comemora este ano o seu 30.o aniversário, voltou a enfatizar a importância da multidisciplinaridade na prestação de cuidados de saúde oral

No ano em que assinala 30 anos de existência, a APHO voltou a chamar a atenção dos profissionais para a impor- tância da existência de equipas multidisciplinares na área da medicina dentária. “A ‘Higiene Oral’ é uma peça-chave numa sociedade que precisa de engrenagem na saúde e, nomeada- mente, na saúde oral”, revelou-nos Fátima Duarte, presidente da Associação Portuguesa de Higienistas Orais. 

Este papel de extrema importância da higiene oral para uma melhor prestação de cuidados de saúde oral serviu como mote para a o XIX Congresso da APHO, que recebeu, ao longo dos dois dias do certame, mais de três centenas de profissionais. 

As expetativas [elevadas] em relação ao evento foram “superadas”, afirma a presidente da APHO, que contou com a presença do bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), Dr. Orlando Monteiro da Silva, bem como da Sra. Ministra da Saúde, Marta Temido, que congratularam a asso- ciação pelo trabalho meritório realizado ao longo de toda a sua existência. Para Fátima Duarte, este reconhecimento vem validar todo um “trabalho contínuo, sério e laborioso” realizado pela APHO. 

O evento deste ano foi, por isso, realizado sob “um esfor- ço acrescido para agradar a todos os congressistas, patroci- nadores, media, etc, bem como para homenagear os que já fazem parte desta instituição (sócios honorários) e para todos quantos fizeram parte dos orgãos sociais ao longo des- te trigésimo ano de existência”, referiu Fátima Duarte. 

Investigação científica em Higiene Oral 

Com um programa científico diversificado e atual, o XIX Congresso da APHO deu também lugar ao debate em torno da investigação científica na área da higiene oral. A investiga- ção tem sido um pilar fundamental na construção de conhe- cimento científico adaptado às transformações políticas, sociais, culturais, educativas e económicas que influenciam a saúde. A investigação em saúde oral é um campo em ”fran- ca expansão numa área que evolui a um ritmo acelerado”. Na apresentação das higienistas orais Marina Simões, Ana Carvalho, Patrícia Gouveia e Teresa Albuquerque, foi discutido o papel da investigação na produção de conhecimento novo, a sua transposição para a prática bem como “a sua contribuição para o aumento da qualidade dos serviços prestados e para a promoção de boas práticas de higiene oral”. “É uma área rela- tivamente nova e que nem sempre constituiu uma prioridade para a profissão”, afirmaram as palestrantes. 

A conferência “Que investigação em higiene oral?” teve como objetivo a promoção do interesse pela investigação e a divulgação de experiências de investigação feitas por higienistas orais. “A construção de conhecimento científico da área profissional constitui um importante passo para a afirmação científica da profissão. A prática baseada na evidência é de extrema importância para uma prestação de cuidados seguros, adequados e cientificamente validados”, revelaram as higienistas orais. 

Deste modo, todos os processos e procedimentos devem ser devidamente contextualizados, coerentes e rigorosos, para que sejam válidos e reconhecidos pela comunidade científica e global. Hoje, os higienistas orais reconhecem que “prevenir e controlar as doenças orais requer uma aborda- gem baseada em evidências. Quando a prática profissional é alicerçada em investigação a profissão avança, o tratamento oferecido tem melhores resultados, conseguem-se soluções mais eficazes, e contribui-se para uma melhor saúde oral individual e da comunidade”. 

Na apresentação foi ainda proposta a criação de um repo- sitório de trabalhos, no website oficial da APHO, de modo a reunir e divulgar a produção científica dos higienistas orais, com vista a elevar a visibilidade e o impacto da investigação desenvolvida por higienistas orais de todo o país. Também a construção de um mestrado em Higiene Oral, em setembro de 2020, na Faculdade de Medicina Dentária da Universida- de de Lisboa (FMDUL), contribuirá para consolidar linhas de investigação na área de higiene oral. 

Higienista oral: Porque é tão importante? 

O higienista oral está na linha da frente do combate às doenças orais. É quem tem a função não só de higienizar a cavidade oral do paciente, mas principalmente de o ajudar a compreender como deverá manter os bons hábitos de higie- ne oral fora do consultório. 

Apesar da importância dos corretos hábitos de higiene oral ser transversal em todos os campos da saúde oral, em relação à periodontologia tomam uma importância acresci- da. De acordo com o Prof. Doutor Paulo Mascarenhas, que apresentou no congresso a nova Classificação das Doenças e Condições Periodontais e Peri-implantares que entrou em vigor a nível internacional no ano passado, o higienista oral deve ser “o profissional de saúde oral de proximidade, aque- le a quem a população recorre em saúde para a manter atra- vés da remoção dos depósitos bacterianos”. 

Segundo o médico dentista especialista em periodonto- logia, o principal flagelo na prevalência das doenças perio- dontais continua a ser a iliteracia da população. “Continua a ser frequente as pessoas considerarem normal as gengivas sangrarem, continuam a não considerar fundamental utilizar o fio dentário para higienização interdentária e continuam a pensar que se as gengivas não estão bem, existirá um elixir ou uma pasta dentífrica que irá resolver o problema”, afir- mou o Prof. Doutor Paulo Mascarenhas. 

Esta falta de consciencialização por parte de uma fatia ainda demasiado grande da população eleva ainda mais a importância da introdução dos higienistas orais nas equipas de saúde oral, visto que em consultas onde é realizado mui- to mais que uma higienização à cavidade oral, o higienista oral “avalia se o paciente está a executar técnicas de higie- ne oral eficazes, quando se justifica corrige-as de forma a aumentar a sua eficácia, e obviamente observa a existência de outros tipos de problemas na cavidade oral, enviando o paciente a um colega médico dentista quando se justifica”. “O higienista oral é o profissional por excelência de pre- venção, não só das patologias periodontais, mas também de cáries e outras patologias”, revelou o Prof. Doutor Paulo Mascarenhas. 

 

 

Recomendado pelos leitores

GS1 Portugal - CODIPOR debate segurança no setor da Saúde
EVENTOS

GS1 Portugal - CODIPOR debate segurança no setor da Saúde

LER MAIS

Desafios na Saúde - o papel da Matemática
EVENTOS

Desafios na Saúde - o papel da Matemática

LER MAIS

Curso baseado na técnica Invisalign® arranca em junho
EVENTOS

Curso baseado na técnica Invisalign® arranca em junho

LER MAIS

Translate:

OJD 63 JUNHO 2019

OJD 63 JUNHO 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.