O JornalDentistry em 2019-8-11

ARTIGOS

Aumento do cancro da garganta, especialmente em homens

O vírus do papaloma humano (VPH) é agora a principal causa de certos tipos de cancro de garganta. O Dr. Michael Moore, diretor de cirurgia de cabeça e pescoço da UC Davis e especialista em concro relacionado ao HPV, responde a algumas perguntas difíceis sobre a tendência e o que pode ser feito a respeito.

P: O que é o VPH e como ele está relacionado aos cancos da cabeça e pescoço?

R: Existem cerca de 150 estírpes diferentes de VPH, mas o VPH 16 é o que mais frequentemente causa cânceres que afetam o tecido da orofaringe, que inclui parte posterior da garganta, palato mole, amígdalas e base da língua. Pode haver lesões não-cancerosas de outros tipos de VPH que se parecem com verrugas no nariz, boca ou garganta, chamadas papilomas. Alguns podem desenvolver-se na infância apenas pela exposição precoce. Alguns desenvolvem-se mais tarde e só ocasionalmente se transformam em cancro.

 

P: Como se processa a transmissão do VPH?

R: O HPV pode passar da mãe para o bebê na época do parto. Também se difunde através de sexo vaginal, anal ou oral desprotegido e até mesmo pelo beijo na boca. Algumas pessoas foram infectadas sem uma causa óbvia.

 

P: Como é que o VPH  causa cancro?

A: A maioria das pessoas infectadas elimina o vírus naturalmente. num pequeno grupo de pessoas, o organismo não consegue eliminar o vírius  e ele acaba por causa uma infeção persistente. Cerca de 1% dos adultos americanos têm uma infecção persistente por HPV 16 e num pequeno subgrupo desses indivíduos, o DNA do vírus incorpora-se ao DNA da pessoa infectada e pode começar a produzir proteínas que predispõem essas  pessoa a desenvolver cancror.

 

P: Qual a prevalência dos cancros da garganta relacionados ao VPH?

R: Tradicionalmente, os fatores de risco para cancro da cabeça e pescoço eram o uso de tabaco e álcool, mas nos últimos 20 ou 30 anos, descobrimos que as taxas desses cancros diminuíram porque as taxas de fumadores caíram. Enquanto isso, a incidência de cancros da cabeça e pescoço relacionados ao VPH aumentaram mais de 200% nesse período de tempo. Esse aumento foi tão dramático que o cancro de garganta relacionado ao VPH ultrapassou recentemente o cancro do colo do útero como o cancro mais comum relacionado ao VPH nos Estados Unidos.

 

P: Qual a razão para as taxas estarem a subir?

R: Diferentemente do cancro do colo do útero, no qual o exame de Papanicolaou é altamente eficaz na detecção de células cancerígenas ou pré-cancerosas, não há um bom teste de rastreamento para esses cancros da cabeça e pescoço. Atualmente, o uso de testes de swab para HPV é eficaz para descobrir se existe tem uma infeção por HPV, mas não para determinar se a infeção será persistente ou se irá desenvolver um cancro. Como resultado, tais testes não são endossados ​​como uma forma de rastrear esses tumores.

 

P: Os homens e mulheres contraem cancro?

R: Os homens têm quatro vezes mais hipóteses de serem diagnosticados com um cancror da cabeça e pescoço relacionado ao VPH. Pesquisadores ainda não sabem por quê. Pode ter a ver com práticas sexuais ou relacionadas com os tipos de exposição que recebem. O sistema imunológico local ou sistêmico também pode desempenhar um papel.

 

P: Cancros da cabeça e pescoço relacionados ao VPH podem ser prevenidos?

R: Temos uma vacina muito eficaz contra o VPH, e sabemos que a vacina pode prevenir infeções orais por VPH. De fato, estudos mostraram que a vacina é 93% eficaz na prevenção de infeções orais que causam cancro da cabeça e pescoço. Recomendamos duas injeções para adolescentes com menos de 15 anos e três para crianças com mais de 15 anos. A vacina é recomendada para crianças entre 10 e 11 anos, mas a vacinação pode ser iniciada em crianças a partir dos 9 anos e em rapazes até aos 21 anos ou em raparigas. até aos 26 anos. Também é importante manter práticas sexuais seguras e evitar outras exposições potencialmente causadoras de cancro, como tabaco, álcool e haxixe.

 

P: Qual a segurança  e eficaz é a vacina contra o VPH?

R: Tem um histórico muito seguro e está continuamente sendo avaliado para procurar possíveis efeitos colaterais. Embora existam alguns riscos com qualquer vacina, um dos efeitos colaterais mais comuns é que os pacientes podem sentir tonturas depois de serem vacinados, e recomenda-se que sejam observados por 15 minutos depois.

 

Fonte: newswise.com

Autor: UC Davis Comprehensive Cancer Center

Artigo original:    "The surge in throat cancer, especially in men"

 

Recomendado pelos leitores

Novos compósitos antibacterianos podem combater a cárie dentária recorrente
ARTIGOS

Novos compósitos antibacterianos podem combater a cárie dentária recorrente

LER MAIS

A infeção por VPH pode estar por trás do aumento do cancro das cordas vocais entre os jovens não fumadores
ARTIGOS

A infeção por VPH pode estar por trás do aumento do cancro das cordas vocais entre os jovens não fumadores

LER MAIS

Saúde oral deficiente ligada a pressão arterial  alta e a pior controle da pressão arterial
ARTIGOS

Saúde oral deficiente ligada a pressão arterial alta e a pior controle da pressão arterial

LER MAIS

Translate:

OJD 64 JULHO 2019

OJD 64 JULHO 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.