O JornalDentistry em 2021-7-16

ARTIGOS

Estudo confirma que retração gengival aumenta risco de doença de Alzheimer

Num estudo recente, investigadores da Universidade de Greifswald confirmaram as descobertas anteriores sobre uma ligação da doença de Alzheimer a recessão gengival inflamatória devido à periodontite.

Só os modelos estatísticos recentemente desenvolvidos permitem simular um ensaio clínico controlado através da recolha de dados disponíveis de pacientes tratados e pessoas não tratadas com a doença", explicou o autor principal, Dr Christian Schwahn, da policlínica de prostodontia dentária da Universidade de Greifswald, num comunicado de imprensa da universidade.

De acordo com Schwahn, a relação entre o tratamento da doença gengival e a doença de Alzheimer precoce foi analisada num modelo quase experimental pela primeira vez neste estudo. Os investigadores analisaram dados de 177 doentes periodicamente tratados  e dados de 409 participantes não tratados do estudo DA SHIP.

Os dados de ressonância magnética  foram usados como um indicador do aparecimento da doença de Alzheimer. Isto foi combinado com dados de ressonância magnética da Us Alzheimer's Neuroimaging Initiative para que pudesse ser usado como uma medida individual da perda de substância cerebral típica da doença de Alzheimer.

O tratamento periodontal realizado por médicos dentista especializados mostrou um efeito positivo na perda de substância cerebral. O efeito foi descrito pelos investigadores como "moderado a forte".

Os resultados são notáveis na medida em que os doentes periodontais tinham menos de 60 anos na altura do exame de Ressonância Magnética e o tempo de observação entre o tratamento dentário e o exame de Ressonância Magnética foi, em média, de 7,3 anos, comentaram  os  coautor do estudo Prof. Thomas Kocher, chefe da unidade de periodontologia, departamento de medicina dentária restaurativa, periodontologia e endodontologia pediátrica e preventivae  e o Prof. Hans Jürgen Grabe, do departamento de psiquiatria e psicoterapia.

A abordagem centra-se claramente na prevenção e tratamento oportuno da doença gengival a fim de evitar  danos potencialmente.

Os investigadores terão de continuar a confiar em estudos observacionais que simulam um ensaio clínico controlado nesta área, uma vez que os ensaios clínicos com um tratamento placebo num grupo de doentes intencionalmente não tratados "não são viáveis por razões éticas e médicas.

 

Fonte: Alzheimer’s and Dementia

 

Estudo: “Effect of periodontal treatment on preclinical Alzheimer's disease—results of a trial emulation approach”

Recomendado pelos leitores

Investigação: Implantes dentários “inteligentes”
ARTIGOS

Investigação: Implantes dentários “inteligentes”

LER MAIS

Vários tipos de bactérias contribuem  para a perda óssea na doença  gengival
ARTIGOS

Vários tipos de bactérias contribuem para a perda óssea na doença gengival

LER MAIS

Dentes mais brancos, sem  queimadura
ARTIGOS

Dentes mais brancos, sem queimadura

LER MAIS

Translate:

OJD 88 OUTUBRO 2021

OJD 88 OUTUBRO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.