O JornalDentistry em 2021-9-07

ARTIGOS

Identificar os fatores de risco para a perda de dentes

Investigadores da Okayama University identificam as bactérias orais como a principal causa para a periodontite, uma infeção da gengiva que causa a perda do dente

Periodontite,  está ligada a outras doenças. A gestão da periodontite continua difícil, em parte devido à compreensão inadequada dos fatores de risco associados à circunstância. Num estudo recente do Japão, os investigadores sublinharam o papel do microbioma oral, sobre a composição genética de um indivíduo, no desenvolvimento da doença, fornecendo aos médicos um guia para o desenho de estratégias de diagnóstico e tratamento da periodontite.

Uma das principais causas da perda de dentes é a inflamação e o enfraquecimento das estruturas de suporte dos dentes causadas por infeções bacterianas, uma condição vulgarmente conhecida como "periodontite". A cavidade oral abriga uma miríade de microrganismos, incluindo bactérias que geralmente mantêm uma relação "simbiótica" (mutuamente benéfica) ou neutra com o hospedeiro, mas também são capazes de iniciar muitas doenças.

A agregação da comunidade bacteriana em "biofilmes" é frequentemente associada ao desenvolvimento de infeções, incluindo periodontite. Com as opções de tratamento atualmente disponíveis muitas vezes a revelarem-se inadequadas, há uma necessidade premente de compreender melhor o início e o desenvolvimento da doença.

Um estudo publicado no International Journal of Environment and Public Health Research, um grupo de investigadores liderados pelo Professor Assistente Naoki Toyama da Universidade de Okayama, Japão, revelam descobertas perspicazes que podem fornecer novas direções para as estratégias de tratamento para a periodontite.

A fisiologia de um indivíduo afeta diretamente o desenvolvimento da infeção. As diferenças genéticas entre os hospedeiros contribuem para as diferenças de suscetibilidade a agentes patogénicos específicos e a possibilidade de desenvolver certas doenças. No seu estudo, o Dr. Toyama e os seus colegas concentraram-se em compreender os micróbios associados à presença de periodontite e os fatores genéticos hospedeiros que poderiam facilitar o desenvolvimento das condições. O Dr. Toyama explica a motivação por trás do seu estudo: "Vários estudos sobre periodontite mostraram que o desenvolvimento da doença está associado à natureza do microbioma oral, bem como ao 'polimorfismo' genético, o tipo mais comum de variação genética entre as pessoas. No entanto, não existe nenhum estudo que avalie simultaneamente a importância destes dois fatores de risco no desenvolvimento da doença."

Assim, a equipa realizou um estudo transversal no qual analisaram genotipicamente 14.539 participantes e realizaram amostras de saliva de 385 indivíduos. Finalmente mantiveram 22 indivíduos para análise estatística, e com base no seu estado periodontal, dividiram-nos em grupos de "periodontite" e "controlo".

A equipa concluiu que a "β diversidade" dos micróbios, que se refere à relação entre a diversidade das espécies regionais e locais, era significativamente diferente entre a periodontite e os grupos de controlo. Além disso, atribuíram a presença das espécies de bactérias, P. gingivalis e das famílias bacterianas, Lactobacillaceae e Desulfobulbaceae, à periodontite. Em contraste, não encontraram qualquer relação entre o polimorfismo genético e a periodontite. Tendo em conta estas inferências, a equipa concluiu que o nosso microbioma oral afeta mais o estatuto da periodontite do que os nossos genes.

Então, como é que estas descobertas influenciam as práticas clínicas atuais? O Dr. Toyama supõe: "O facto de a prevalência da periodontite estar associada aos membros do microbioma e não à identidade genética do indivíduo motivaria os clínicos a prestar mais atenção à composição do microbioma do que a acolher fatores no trabalho de rotina do exame periodontal, e desenhar uma estratégia de tratamento personalizada para periodtônios."

Estas descobertas reforçam ainda a importância da limpeza regular dos dentes na manutenção da periodontite à distância.

 

 

Artigo ScienceDaily

Fonte: ScienceDaily/Universidade de Okayama, Japão

Recomendado pelos leitores

Complicações após terapia com implante dentário são comuns
ARTIGOS

Complicações após terapia com implante dentário são comuns

LER MAIS

Complicações orais provocadas pelo Vírus do Papiloma Humano (HIV)
ARTIGOS

Complicações orais provocadas pelo Vírus do Papiloma Humano (HIV)

LER MAIS

Pessoas com periodontite podem ter duas vezes mais probabilidades de serem hipertensos
ARTIGOS

Pessoas com periodontite podem ter duas vezes mais probabilidades de serem hipertensos

LER MAIS

Translate:

OJD 87 SETEMBRO 2021

OJD 87 SETEMBRO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.