O JornalDentistry em 2021-2-06

ARTIGOS

Inteligência artificial (AI) está a ser treinada para prever o risco de desenvolver cancro oral

Especialistas consideram que diagnóstico de cancro oral pode ser "revolucionado" com o uso da inteligência artificial (AI) para prever se alguém tem probabilidade de desenvolver a doença

Especialistas liderados pelas Universidades de Sheffield e Warwick uniram-se para investigar como pode ser aplicado o machine learning para ajudar os médicos e médicos dentistas na deteção precoce. 

Os diagnósticos de cancro oral - incluindo os da boca, língua e amígdalas - aumentaram quase 60 por cento na última década, observou a equipe. O risco de tais cancros é aumentado por fatores como consumo de álcool, aumento da idade média, insuficiência de frutas e vegetais, tabaco e infeção viral. 

A probabilidade de alterações pré-cancerosas no revestimento da boca (chamada displasia epitelial oral) evoluir para cancro é geralmente baseia-se em 15 critérios. Essa abordagem é altamente subjetiva, no entanto, provocam uma variação considerável no modo de como os pacientes são tratados após a biópsia - um sistema mais objetivo é necessário.

O diagnóstico de cancro oral pode ser "revolucionado" com o uso da inteligência artificial (AI) para prever se alguém tem probabilidade de desenvolver a doença. ”A classificação precisa da displasia epitelial oral é um grande desafio de diagnóstico, mesmo para patologistas experientes, pois é muito subjetivo", considera o médico dentista Ali Khurram, da Universidade de Sheffield. 

“A mesma biópsia pode ser avaliada de forma diferente por diferentes patologistas, e até mesmo um patologista pode classificar a mesma biópsia de forma diferente noutro dia.” 

"A classificação correta é vital na deteção precoce do cancro oral para determinar as decisões de tratamento, permitindo que se determine se uma lesão deve ser monitorizada ou removida cirurgicamente", acrescentou.

‘Machine learning e a inteligência artificial (AI) podem auxiliar no diagnóstico de tecidos, removendo a subjetividade, usando automação e quantificação para orientar o diagnóstico e o tratamento.’ 

"Até agora, isso não foi investigado, mas a inteligência artificial (AI) tem o em o potencial de revolucionar o diagnóstico e o tratamento do cancro oral, garantindo precisão, consistência e objetividade." 

Os pesquisadores planeiam usar amostras de tecido - juntamente com pelo menos cinco anos de dados de acompanhamento de pacientes - para treinar um algoritmo a considerar a correlação estatística entre classificadores e taxas de sobrevivência. 

Isso orientará os médicos para ajudá-los a tomar uma decisão informada sobre o que recomendar para o tratamento de determinado paciente. 

"As pessoas muitas vezes se sentem ameaçadas pela Inteligência Artificial (AI), no entanto, em vez de substituir a perícia de um médico, cobalto nível de formação e experiência, a tecnologia pode ajudar na tomada de decisões e complementar as suas competências”, acrescentou o Dr. Khurram. 

"Isso os ajudará a fazer uma avaliação mais precisa e lhes permitirá recomendar a via de tratamento mais benéfica para pacientes individuais, o que espero que ajude a melhorar as taxas de sobrevivência." 

"O projeto piloto abrirá o caminho para o desenvolvimento de uma ferramenta que pode ajudar a identificar alterações pré-malignas na displasia oral, disse o patologista computacional Nasir Rajpoot, da Universidade de Warwick. 

Isso é "crucial para a deteção precoce do cancro oral. 

A conclusão bem sucedida deste projeto traz um potencial significativo para salvar vidas e melhorar a prestação de cuidados de saúde ao paciente.’ 

 

Cancro da boca

Também conhecido como cancro oral, é o local onde um tumor se desenvolve no revestimento da boca. Pode ser na superfície da língua, na parte interna das bochechas, no céu da boca (palato) ou nos lábios ou gengivas.

Os tumores também se podem  desenvolver nas glândulas que produzem saliva, nas amígdalas na parte posterior da boca e na parte da garganta que conecta a boca à traqueia (faringe). No entanto, são menos comuns.

 

Os sintomas de cancro da boca incluem:

—  feridas na boca que não cicatrizam durante várias semanas.

— caroços inexplicáveis ​​e persistentes na boca que não desaparecem.

— caroços inexplicáveis ​​e persistentes no pescoço que não desaparecem.

— frouxidão inexplicada dos dentes ou cavidades que não cicatrizam após as extrações.

— dormência inexplicável e persistente ou uma sensação estranha no lábio ou na língua.

— às vezes, manchas brancas ou vermelhas no revestimento da boca ou da língua - podem ser sinais precoces de cancro, portanto, também devem ser investigados.

— alterações na fala.

 

Fonte: Oral Cancer Foundation/ thestreetjournal.org

Autor: Equipe, NHS

Artigo original OCF 

 

Recomendado pelos leitores

Doença gengival associada a complicações COVID-19
ARTIGOS

Doença gengival associada a complicações COVID-19

LER MAIS

O Tabaco e a sua influência nas doenças Periodontais, Perioimplantares e Implantes  Dentários
ARTIGOS

O Tabaco e a sua influência nas doenças Periodontais, Perioimplantares e Implantes Dentários

LER MAIS

SARS-CoV-2 :  Porque é que os vírus sofrem mutação?
ARTIGOS

SARS-CoV-2 : Porque é que os vírus sofrem mutação?

LER MAIS

Translate:

OJD 81 FEVEREIRO 2021

OJD 81 FEVEREIRO  2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.