O JornalDentistry em 2021-1-21

ARTIGOS

O surpreendente comportamento das células T e a doença periodental

Em doenças caracterizadas por perda óssea - como periodontite, artrite reumatóide e osteoporose - há muita coisa que os cientistas ainda não entendem.

Dra. Carla Alvarez, pesquisadora de pós-doutorado em Forsyth e principal autora do artigo. Crédito: Matthew Modoono / Forsyth Institute

Qual é o papel da resposta imune no processo? O que acontece com os mecanismos reguladores que protegem os ossos?

Num artigo publicado recentemente na Scientific Reports, pesquisadores do Forsyth Institute e da Universidad de Chile descrevem um mecanismo que abre uma peça do quebra-cabeça. Olhando para a doença periodontal num modelo de ratos, os cientistas descobriram que um tipo específico de célula T, conhecido como células T reguladoras, começam a comportar-se de maneiras inesperadas. Essas células perdem a sua capacidade de regular a perda óssea e, em vez disso, começam a promover a inflamação.

"Isso é importante porque, em muitas terapias analisadas em modelos in vivo, os pesquisadores costumam verificar se o número de células T regulatórias aumenta. Mas  devem verificar se essas células estão realmente a funcionar”, diz a Dra. Carla Alvarez, pesquisadora do Forsyth e autor principal do artigo.

As células T reguladoras controlam a resposta imunológica do corpo. Na doença periodontal, a perda óssea ocorre porque o sistema imunológico do corpo responde de forma desproporcional à ameaça microbiana, causando inflamação e destruindo o tecido saudável. Normalmente, as células T reguladoras ajudam a suprimir essa destruição, mas parecem perder as suas habilidades supressivas durante a doença periodontal.

Em termos científicos, esse processo é analisado no campo da osteo-imunologia, que explora as complexas interações entre o sistema imunológico e o metabolismo ósseo.

"Este é um mecanismo interessante que se destaca como  perda óssea ocorre na doença periodontal", disse o Dr. Alpdogan Kantarci, membro sénior da equipe da Forsyth e co-autor do artigo junto com o Dr. Rolando Vernal, professor da Escola de Dentistry dt Universidad de Chile.

No caso da doença periodontal, uma terapia potencial visando as células T reguladoras poderia restaurar o funcionamento normal das células T, não apenas aumentar seu número.

"Infelizmente, este não é um processo linear - essa é a parte complicada", diz Kantarci.

A doença periodontal é iniciada por micróbios na boca, o que a torna ainda mais complexa.

“A relação entre a resposta imune e os ossos não é tão direta”, diz Alvarez. "Existem vários componentes. Você tem que imaginar uma rede complexa de sinalização e células que participam."

Essa complexidade celular e microbiana é o que torna a doença tão difícil de estudar em humanos. No entanto, examinar esse mecanismo em humanos é o próximo passo da pesquisa, diz Alvarez. A equipe de pesquisa está planejando um estudo colaborativo para observar pacientes saudáveis ​​e doentes, com o objetivo de observar mecanismos semelhantes ao que foi visto no modelo animal.

 

Fonte: Medica lX Press/Forsyth Institute e  Universidad de Chile

Original: https://medicalxpress.com/news/2021-01-periodontal-disease-behavior-cells.html

Recomendado pelos leitores

Estudo mostra que a higiene oral  pode ajudar a reduzir a gravidade do COVID-19
ARTIGOS

Estudo mostra que a higiene oral pode ajudar a reduzir a gravidade do COVID-19

LER MAIS

A periodontite aumenta o risco de bactérias no sangue doado
ARTIGOS

A periodontite aumenta o risco de bactérias no sangue doado

LER MAIS

Estudo sobre futura terapia direcionada para a periodontite
ARTIGOS

Estudo sobre futura terapia direcionada para a periodontite

LER MAIS

Translate:

OJD 83 ABRIL 2021

OJD 83 ABRIL 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.