JornalDentistry em 2023-6-03

ARTIGOS

Patogénese e Estratégias de Tratamento Clínico do Cancro Oral

O cancro oral é o tumor maligno mais comum da cavidade oral e é caracterizado por alta malignidade, crescimento invasivo e metástases linfonodais precoces.

Globalmente, mais de 350000 indivíduos são diagnosticados com Cancro oral a cada ano, com uma tendência anual crescente. A taxa de sobrevida em 5 anos de pacientes com Cancro oral é de cerca de 50%, mas diminui drasticamente para 20-30% em pacientes com doença avançada. Consequentemente, o cancro oral é uma doença crítica que ameaça a mortalidade e impõe um grande encargo financeiro à sociedade. Portanto, é de grande importância determinar o mecanismo subjacente do desenvolvimento do Cancro oral, desenvolver novas tecnologias diagnósticas com maior precisão e pontualidade e atualizar a gestão  estratégica clínica do cancro oral.

Atualmente, o mecanismo potencial da patogénese do cancro oral e os principais marcadores moleculares neste processo precisam ser mais investigados. Isso inclui pesquisar mudanças no microambiente tumoral construído pelas células, citocinas, vasculatura e matriz extracelular, e a intrincada "conversa cruzada" entre componentes maciços.  Além disso, devido à localização anatómica, estrutura oral pós-operatória, função e recuperação anestésica do cancro oral, os métodos atuais de tratamento clínico, incluindo cirurgia, radioterapia e quimioterapia, podem levar à desfiguração, disfunção e sofrimento psicossocial. No entanto, os recentes avanços nas tecnologias de diagnóstico e tratamento resultaram em melhorias substanciais nos resultados dos pacientes.

Os avanços nas tecnologias de diagnóstico tradicionais, combinados com novos métodos de diagnóstico, como a ionização por eletropulverização por dessorção (DESI) e a espectroscopia de impedância elétrica (EIS), têm sido empregados para compreender melhor as características metabólicas in situ, detetar os principais processos de evolução do cancro  oral e avaliar as margens cirúrgicas. Notavelmente, a introdução de inibidores de pontos de controle imunológicos, terapia fototérmica e terapia fotodinâmica para o tratamento de cancro oral recorrente ou metastático teve benefícios notáveis para alguns pacientes. Além disso, melhorias na terapia padrão, como técnicas cirúrgicas minimamente invasivas e poupadoras de órgãos, avanços na radioterapia e abordagens multimodais curativas, melhoraram a preservação da função e reduziram a morbidade e a mortalidade.

 

Este artigo tem como objetivo reunir avanços em aspetos de patogénese e diagnóstico, progresso na gestão estratégica clínica e aplicações de técnicas terapêuticas de ponta, como inteligência artificial (IA) e tecnologia computacional no campo do cancro oral. 

 

Os tópicos potenciais incluem, mas não estão limitados ao seguinte:

—O papel dos maus hábitos de higiene oral (como tabagismo pesado, alcoolismo, mastigação de noz-de-betel, papilomavírus humano e infeção pelo vírus Epstein-Barr) no desenvolvimento e patogénese de lesões pré-cancerosas orais ou  cancrol oral.

—Sinais moleculares chave ou fundamentais e suas propriedades espaço-temporais no início e progressão de lesões pré-cancerosas orais e  cancro oral.

—Estudo metabonómico de lesões pré-cancerosas orais e cancro oral.

—Avanços nas técnicas de diagnóstico convencionais (como exame ultrassónico ou de raios-x, biópsia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, tomografia por emissão de pósitrons) para lesões pré-cancerosas orais e cancro oral.

—Novas estratégias diagnósticas (tais como análise de espectros de autofluorescência, espectroscopia de impedância elétrica, espectrometria de massa de ionização por eletropulverização de dessorção, espectroscopia de impedância elétrica) para lesões pré-cancerosas orais e cancro oral.

 

Fonte: BioMed Research International

 

Recomendado pelos leitores

Interação entre duas bactérias orais comuns cria composto químico responsável pelo mau hálito
ARTIGOS

Interação entre duas bactérias orais comuns cria composto químico responsável pelo mau hálito

LER MAIS

Investigação  verifica que bactérias orais aceleram o desenvolvimento de cancro do pâncreas em ratos
ARTIGOS

Investigação verifica que bactérias orais aceleram o desenvolvimento de cancro do pâncreas em ratos

LER MAIS

Seguros de Responsabilidade Civil Profissional para Médicos Dentistas em Portugal: Proteção da Prática Profissional
ARTIGOS

Seguros de Responsabilidade Civil Profissional para Médicos Dentistas em Portugal: Proteção da Prática Profissional

LER MAIS

Translate:

OJD 119 JULHO 2024

OJD 119 JULHO 2024

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.