O JornalDentistry em 2021-1-30

ARTIGOS

Pesquisa aplica a espetroscopia Raman ao diagnóstico de cancro oral

De acordo com uma pesquisa do University Medical Center Hamburg-Eppendorf, a espetroscopia Raman pode fornecer a deteção precoce do carcinoma oral de células escamosas .

Um dos cancros mais comuns, o carcinoma oral de células escamosas  muitas vezes não é detectado até um estágio avançado.

Atualmente, as lesões da mucosa conspícua da cavidade oral clinicamente aparentes requerem tratamento conservador inicial e monitorização. Se persistirem, a biópsia cirúrgica é usada para fazer o diagnóstico.

“O nosso estudo mostra o potencial da espetroscopia Raman para revelar se uma lesão é cancerosa em tempo real”, disse o líder da equipe de pesquisa Levi Matthies. “Embora não substitua as biópsias tão cedo, a técnica pode ajudar a reduzir o lapso de tempo valioso, bem como o número de procedimentos invasivos.”

Os pesquisadores usaram uma variação da espetroscopia Raman conhecida como SERDS, que é capaz de analisar tecidos que exibem forte fluorescência de fundo. Para testar o método, projetaram um sensor Raman compacto e portátil que consiste num laser de díodo sintonizável, um espetrómetro acoplado a fibra e uma sonda Raman. Os cientistas usaram o dispositivo para analisar amostras de biópsia não rotuladas de 37 pacientes em 180 locais de medição. 

Para classificar os dados brutos, a equipe treinou e testou modelos de computador, em última análise, distinguindo o carcinoma de células escamosas oral de lesões não malignas com uma precisão de mais de 88% e de tecido saudável com uma precisão de mais de 89%. A maioria das características espetrais usadas para distinguir lesões malignas e não malignas veio de proteínas e moléculas de ácido nucleico. “Os nossos resultados mostram que essa abordagem é uma candidata promissora para o diagnóstico objetivo de lesões da cavidade oral em tempo real, sem a adição de agentes de marcação”, disse Matthies. “Isso pode ajudar a reduzir a lacuna diagnóstica entre o exame clínico e a biópsia invasiva”.

Com o desenvolvimento, os pesquisadores dizem que a abordagem pode ser expandida para auxiliar na classificação de condições pré-cancerosas, classificando a gravidade da alteração do tecido displásico e distinguindo vários subtipos de lesão oral. Atualmente, os pesquisadores estão a trabalhar para aumentar a velocidade do método para dar suporte ao diagnóstico em tempo real. 

Recomendado pelos leitores

Estudo mostra que a higiene oral  pode ajudar a reduzir a gravidade do COVID-19
ARTIGOS

Estudo mostra que a higiene oral pode ajudar a reduzir a gravidade do COVID-19

LER MAIS

A periodontite aumenta o risco de bactérias no sangue doado
ARTIGOS

A periodontite aumenta o risco de bactérias no sangue doado

LER MAIS

Estudo sobre futura terapia direcionada para a periodontite
ARTIGOS

Estudo sobre futura terapia direcionada para a periodontite

LER MAIS

Translate:

OJD 83 ABRIL 2021

OJD 83 ABRIL 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.