O JornalDentistry em 2018-8-30

ARTIGOS

Pesquisa do microbioma da língua realça a importância da saúde oral

Pesquisa publicada na revista mSpher, revela que os indivíduos idosos com menos dentes, má higiene oral, e com mais cáries dentária ingerem constantemente grandes quantidades de disbacteriosis com origem no microbioma,da língua o que poderá ser prejudicial para a saúde saúde respiratória.

Os resultad os resultam de um grande estudo com base populacional que identificou variações no microbioma da língua entre adultos idosos residentes no Japão. 

De acordo com o autor Yoshihisa Yamashita, PhD, DDS, Section of Preventive and Public Health Dentistry, Division of Oral Health, Growth, and Development, Faculty of Dental Science, Kyushu University, Fukuoka, menos dentes, , higiene oral pobre , e mais cárie dentária, estão intimamente relacionados com alterações da disbacteriosis na composição  microbiana da língua, o que pode ser prejudicial para a saúde respiratória de adultos idosos com problemas de deglutição 

Antes deste estudo, os pesquisadores sabiam que a aspiração constante de saliva, pode levar a pneumonia, a principal causa de morte entre os adultos idosos com deficiências de deglutição e que o microbioma da língua é uma fonte dominante de populações microbianas orais que são ingeridos com a saliva. 

Pesquisas anteriores já haviam mostrado que também em adultos idosos frágeis institucionalizados, a alterações da disbacteriosis no microbioma da língua estava associado ao aumento do risco de morte por pneumonia. 

No novo estudo, o Dr. Yamashita e colegas pretendiam compreender as variações na composição do microbiama da língua e a relação com a saúde oral,  relacionadas com idosos e identificar factores associados à disbacteriosis com a alterações do microbioma da língua.  Investigaram o status do microbioma da língua e as condições dentárias de 506 adultos com idades entre 70 e 80 anos, residentes na cidade de Hisayama, Japão e que foram submetidos a um exame dentário realizado em 2016. Os cientistas recolheram material do microbioma da área central e do dorso da língua utilizando uma escova de dentes eléctrica modificada como um dispositivo de amostragem, e foi utilizada a sequenciação de última geração para analisar as amostras recolhidas.

Os pesquisadores descobriram que a densidade bacteriana geral era independente das condições dentárias em torno da língua, Por outro lado a composição do microbioma, especialmente as relativas aos comensais predominantes, mostrou uma associação às condições dentárias. 

Dois grupos  de comensais predominantes existem no microbioma da língua, e  coabitam, uma  é  principalmente composta por Prevotella histicola, Veillonella atypica, Streptococcus salivarius, e Streptococcus parasanguinis,, e  tem sido e associada a um aumento do risco de mortalidade por pneumonia em idosos mais frágeis. Este grupo bacteriano foi mais prevalente em idosos com menos dentes, maior índice de placa e mais dentes com cáries dentárias.

O estudo destaca a importância da saúde oral.  Atenção cuidadosa deve ser dada ao estado da microbioma da língua em adultos idosos com condições dentárias deficitárias.

Fontes:     ScienceDaily / American Society for Microbiology.

Artigo originalScienceDaily:

www.sciencedaily.com/releases/2018/08/180815141342.htm  

 

Recomendado pelos leitores

Os antibióticos  destroem as “bactérias boas” piorando a infeção oral
ARTIGOS

Os antibióticos destroem as “bactérias boas” piorando a infeção oral

LER MAIS

Saúde oral deficiente ligada a pressão arterial elevada
ARTIGOS

Saúde oral deficiente ligada a pressão arterial elevada

LER MAIS

Quando começam a surgir os efeito do tabaco? Mais cedo do que se pensa
ARTIGOS

Quando começam a surgir os efeito do tabaco? Mais cedo do que se pensa

LER MAIS

Translate:

OJD 55 OUTUBRO de 2018

OJD 55 OUTUBRO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.