O JornalDentistry em 2021-4-11

ARTIGOS

Pesquisa sobre segurança na medicina dentária durante o COVID-19

Pesquisas importantes na Universidade de Newcastle foram usadas para definir como a medicina dentária pode ser realizada com segurança durante a pandemia de COVID-19, mitigando os riscos dos aerossóis dentários.

É bem conhecido que o coronavírus pode  espalhar-se em partículas transportadas pelo ar, movendo-se nas salas para infetando as pessoas, e isso tem sido uma consideração importante quando se olha para a segurança do paciente e do pessoal clínico.

A pesquisa, publicada no Journal of Dentistry, abriu caminho para ajudar a moldar a orientação clínica  para que a profissão funcione de forma eficaz em circunstâncias extremamente desafiadoras.

Os resultados foram usados ​​pelo Dental Schools' Council, Association of Dental Hospitals e pela Scottish Dental Clinical Effectiveness Programme  como guia para os procedimentos  profissionais em relação ao Covid-19.

 

Resultados da pesquisa

A pesquisa revelou que procedimentos gerados por aerossol - como obturações e tratamento de canal radicular - podem pulverizar partículas de aerossol e saliva dos instrumentos dentários a grandes distâncias e a contaminação varia amplamente dependendo dos processos usados.

Em ambientes de clínica aberta, a sucção dentária diminuiu substancialmente a contaminação em locais mais distantes do paciente, cerca de cinco metros de distância. Frequentemente, esses locais distantes não tinham contaminação presente ou, se a contaminação foi detetada, ela estava em níveis muito baixos, diluídos de 60.000 a 70.000 vezes.

Também foi descoberto que após 10 minutos, muito pouco aerossol contaminado adicional se assentou nas superfícies e, portanto, é um momento adequado para limpar a sala após um procedimento gerador de aerossol.

Dr. Richard Holliday, NIHR Clinical Lecturer em Restorative Dentistry na Newcastle University, disse: “A nossa pesquisa melhorou a compreensão dos procedimentos gerados por aerossol dentários e identificou como a contaminação cruzada pode ser um risco para a disseminação de COVID-19.

“Quando a pandemia começou, os serviços de medicina dentária foram significativamente reduzidos e havia uma necessidade urgente da profissão de se concentrar em como as clínicas dentárias poderiam funcionar em  ambiente seguro para os pacientes e pessoal clínico.

“Agora temos uma compreensão muito maior de para onde vão os respingos de aerossóis e até onde eles viajam durante os diferentes procedimentos e configurações, permitindo que as equipes clínicas tomem decisões informadas para proteger as pessoas.

"Estou satisfeito que a nossa pesquisa aqui em Newcastle tenha sido usada nacionalmente por importantes órgãos dentários para informar as suas políticas sobre como a profissão deve realizar os procedimentos durante  as intervenções dentárias

 

Esforço colaborativo

Uma equipe de pesquisa da School of Dental Sciences, incluindo médicos dentistas, assistentes dentárias, microbiologistas e cientistas realizaram o estudo.

A equipe usou o corante traçador, a fluoresceína, ao realizar procedimentos de geração de aerossol num manequim dental para analisar a distância e  onde as partículas de aerossol e a saliva saíram da boca do paciente.

Uma série de procedimentos foi realizada e o efeito da sucção e ventilação analisados. Os especialistas observaram a contaminação de perto e também numa clínica de plano aberto.

Kimberley Pickering, uma assistente dentária pesquisadora envolvida no estudo, disse: "Para a reabertura segura dos serviços de medicina dentária, era essencial entender o comportamento dos aerossóis que saem da boca do paciente durante o procedimento dentário.

“Agora entendemos melhor para onde vão os aerossóis e a que distância eles viajam durante os diferentes procedimentos e configurações.

"Também entendemos como os aerossóis dentários se acomodam com o tempo, o que ajudou a informar os procedimentos de controle da infeção cruzada."

Pesquisas futuras continuarão a concentrar-se em para onde o aerossol e as gotículas de instrumentos dentários viajam e até onde vão. Os especialistas também irão observar quanto tempo os aerossóis permanecem no ar e examinar uma série de procedimentos dentários comuns e métodos de controle de aerossóis.

Uma parte fundamental da pesquisa investigará se os vírus podem ser transportados em aerossóis dentários e se os vírus permanecem infetantes à distância do procedimento. Isso ajudará os especialistas a entender como reduzir o risco de micróbios, como o COVID-19, se espalharem por aerossóis durante o tratamento dentário.

 

Fonte: MedicalXpress/Newcastle University

Artigo completo MedicalXpress

 

Recomendado pelos leitores

Estudo mostra que a higiene oral  pode ajudar a reduzir a gravidade do COVID-19
ARTIGOS

Estudo mostra que a higiene oral pode ajudar a reduzir a gravidade do COVID-19

LER MAIS

A periodontite aumenta o risco de bactérias no sangue doado
ARTIGOS

A periodontite aumenta o risco de bactérias no sangue doado

LER MAIS

Estudo sobre futura terapia direcionada para a periodontite
ARTIGOS

Estudo sobre futura terapia direcionada para a periodontite

LER MAIS

Translate:

OJD 83 ABRIL 2021

OJD 83 ABRIL 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.