O JornalDentistry em 2022-4-06

ARTIGOS

Pessoas alérgicas à penicilina menos propensos a ter implantes dentários bem sucedidos

Estudo revela que os implantes dentários têm mais do dobro das probabilidades de falhar em pessoas que relatam alergia à penicilina e recebem antibióticos alternativos, em comparação com os que tomaram amoxicilina.

 O estudo foi  realizado por investigadores da Faculdade de Medicina Dentária da NYU.-USA
O estudo, publicado na Clinical Implant Dentistry and Related Research, é o primeiro a examinar o impacto da prescrição de antibióticos que não a amoxicilina para implantes dentários.
Os implantes dentários fornecem soluções seguras e de longo prazo para a substituição dos dentes em falta ou danificados. Um implante semelhante a um parafuso é colocado cirurgicamente no osso da mandíbula para agir como raiz de um dente de substituição e ancorar o dente artificial. O osso funde-se então ao implante ao longo de vários meses, integrando-o na mandíbula.
Embora os implantes dentários sejam em grande parte bem sucedidos, uma pequena proporção de implantes falha quando a mandíbula não integra corretamente o implante. Isto pode acontecer por uma variedade de razões, incluindo infeção, tabagismo ou ferimento no dente. Para reduzir a probabilidade de infeção, muitos médicos dentistas prescrevem amoxicilina - um antibiótico da família da penicilina - antes e após a cirurgia para colocação do implante. Se um paciente reportar uma alergia à penicilina, podem ser prescritos antibióticos alternativos.
Estudos anteriores mostraram que os pacientes com alergia à penicilina experimentam taxas mais elevadas de insuficiência do implante dentário, mas não analisaram quais os antibióticos usados. Para compreender os resultados da toma de diferentes antibióticos, os investigadores da Faculdade de Medicina Dentária da NYU analisaram os gráficos dos pacientes que receberam implantes dentários, documentando quais os antibióticos que foram administrados e se o seu implante dentário foi bem sucedido ou falhou
A amostra incluía 838 pacientes — 434 que relataram ter uma alergia à penicilina, bem como uma amostra aleatória de 404 pacientes sem alergia. Todos os pacientes sem alergia à penicilina receberam amoxicilina, enquanto aqueles que relataram uma alergia receberam antibióticos alternativos: clindamicina, azitromicina, ciprofloxacina ou metronidazol.
Os investigadores descobriram que os implantes dentários falharam em 17,1% dos pacientes que reportaram uma alergia à penicilina, contra 8,4% dos pacientes sem alergia. Os pacientes que tomaram certos antibióticos que não a amoxicilina eram muito menos propensos a ter implantes dentários bem sucedidos; a taxa de insucesso dos doentes que tomam clindamicina foi de 19,9% e foi de 30,8% para a azitromicina.
Além disso, os pacientes com alergia à penicilina eram mais propensos a sofrer uma falha do seu implante dentário  mais cedo (menos de 6 meses) do que aqueles sem alergia (mais de 12 meses).
A razão pela qual os implantes dentários falharam em pacientes com alergia a penicilina é desconhecida, escrevem os investigadores. Pode ser atribuída a vários fatores, incluindo reações ao material utilizado nos implantes ou ineficácia dos antibióticos alternativos.
No entanto, a pesquisa mostra que as alergias à penicilina são sobrenotadas - 90% das pessoas que dizem ter alergias à penicilina não são verdadeiramente alérgicas à penicilina após os testes. Como resultado, especialistas em saúde recomendam testar pacientes que relatam uma alergia à penicilina para confirmar se eles são realmente alérgicos.
"Se o estado real de alergia de um paciente for determinado antes da cirurgia oral, podemos ser capazes de alcançar resultados mais favoráveis prescrevendo amoxicilina a pessoas sem alergia verdadeira", disse Zahra Bagheri, DDS, professora assistente clínica no Departamento de Periodontologia e Implante da Faculdade de Medicina Dentária da NYU e autora principal do estudo.
"Embora um corpo crescente de evidências — ao nível da investigação — demonstre ligações entre condições orais e sistémicas, a população  precisa de saber — ao nível do consumidor — o quão ligadas estão as condições orais, como por exemplo o sucesso dos implantes dentárias, às condições sistémicas, como alergias", disse Leena Palomo, DDS, presidente do Departamento de Periodontologia e Implante da Faculdade de Medicina Dentária da NYU. "Este estudo destaca a importância de os pacientes transmitirem detalhes de saúde sistémica precisos e atualizados às suas equipas de medicina dentária.”
                   

Fonte: MedicalXpress/ New York University

 

Recomendado pelos leitores

Estudar a ligação entre a doença das gengivas e a doença de Alzheimer
ARTIGOS

Estudar a ligação entre a doença das gengivas e a doença de Alzheimer

LER MAIS

Próteses dentárias de um único molar projetadas por IA
ARTIGOS

Próteses dentárias de um único molar projetadas por IA

LER MAIS

Cancro Oral – Não só para fumadores
ARTIGOS

Cancro Oral – Não só para fumadores

LER MAIS

Translate:

OJD 97 JULHO 2022

OJD 97 JULHO 2022

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.