O JornalDentistry em 2020-8-04

ARTIGOS

Tecnologia na medicina dentária pode ajudar os médicos dentistas a diagnosticar problemas mais rapidamente

Imagine que o consultório dentário tem um novo assistente cibernético. Esse assistente virtual pode procurar sinais problemáticos nas radiografias enquanto o médico dentista realiza o exame.

A análise de raios X pode ser mais barata e mais precisa - e o cliente ficará despachado um pouco mais rápido. 

Esse cenário pode  tornar-se realidade num futuro não muito distante, graças a uma equipe interdisciplinar de pesquisadores das School of Dental Medicine e da School of Engineering. O grupo está a criar um programa de inteligência artificial (IA) que scaneia  imagens dentárias como raios X panorâmicos e alerta os médicos sobre os resultados que requerem acompanhamento.

"Existe um grande potencial para o uso da IA ​​no diagnóstico da medicina dentária", disse Aruna Ramesh, prof. e reitor associado de assuntos académicos da escola de medicina dentária e especialista em radiologia maxilofacial.

Projetos como esse são apenas parte de uma mudança em direção à “medicina dentária digital", à medida que a tecnologia transforma uma profissão que antes dependia principalmente de habilidades manuais. Com o auxílio de computadores, os médicos dentistas podem agora produzir coroas nos seus consultórios em pouco tempo. Também podem usar o software para projetar guias de broca personalizados para as mandíbulas dos seus pacientes, para ajudar a colocar os implantes com mais precisão. 

Tecnologias de imagem, como ressonância magnética e tomografia computadorizada de feixe cónico, que produzem uma imagem em 3-D da secção transversal, expandiram a maneira como os médicos dentistas podem explorar além dos dentes e gengivas. Radiografias panorâmicas, que capturam a boca inteira numa imagem bi-dimensional, são comummente usadas durante os exames e também para planear próteses, implantes, aparelhos e extrações.

Mas interpretar algumas dessas imagens pode consumir muito tempo Se os avanços digitais pudessem acelerar a análise, o custo para o paciente poderia baixar. 

Uma análise de IA pode potencialmente reduzir o erro humano. De acordo com Karen Panetta, professora e diretora de pós-graduação da Escola de Engenharia, imagens como um raio-X contêm informações que o olho não pode detetar, mas um computador sim. 

Ramesh, Panetta e o estudante de engenharia Rahul Rajendran esperam ensinar o sistema de IA a digitalizar imagens - começaram com raios X panorâmicos - e sinalizam áreas que parecem anormais. Panetta fez um trabalho semelhante usando a IA para ler mamografias ou detetar sinais de cancro revelados por outros tipos de imagens médicas, além de detetar doenças como a COVID-19.

"Todo a gente pensa que a IA é uma caixa mágica na qual se colocam os dados e fornece respostas", disse Panetta. "Mas primeiro precisa informar a IA, fornecendo dados robustos, validados por especialistas”. 

Ramesh e um estudante de medicina dentária, Ruby Wagimin,, analisaram milhares de raios-X panorâmicos, alimentando descrições detalhadas no programa de IA. O programa também regista os comentários dos pesquisadores e rastreia os movimentos dos olhos - se eles hesitam por uma fração de segundo em um determinado local, por exemplo.

Depois que esses dados são reunidos, os pesquisadores terão o programa de IA a fornecer a sua avaliação sobre o raios X, sinalizando aqueles com suspeita de anormalidades e comparando essa análise com as conclusões dos profissionais. Com grande variação entre as mandíbulas humanas normais, é uma tarefa difícil de padronizar. 

Mesmo que os resultados dessa fase inicial sejam promissores, a IA precisará de anos para assimilar dados de centenas de milhares de raios-X a mais antes de estar pronta para aparecer no consultório do médico dentista - estritamente em um papel de apoio. "O computador não está a tornar-se no radiologista", disse Ramesh. "Acho que nunca substituirá um diagnostico humano”.

Fonte: Medical X press /Helene Ragovin,  Tufts University

Artigo original MedicalXpress: https://medicalxpress.com/news/2020-07-tooth-tech-dentists-problems-quickly.html

 

Recomendado pelos leitores

A má higiene oral pode afetar a precisão de testes SARS-CoV-2
ARTIGOS

A má higiene oral pode afetar a precisão de testes SARS-CoV-2

LER MAIS

Neutrófilos sacrificam-se para aumentar a resposta imunológica aos vírus
ARTIGOS

Neutrófilos sacrificam-se para aumentar a resposta imunológica aos vírus

LER MAIS

Dor do cancro oral associada à disseminação de doenças
ARTIGOS

Dor do cancro oral associada à disseminação de doenças

LER MAIS

Translate:

OJD 77 OUTUBRO 2020

OJD 77 OUTUBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.