O JonalDentistry em 2020-1-09

ARTIGOS

Um novo método de tratamento dentário? Ativação de células-estaminais

O estudo mostrou que um gene chamado Dlk1 melhora a ativação das células-estaminais e a regeneração de tecidos no tratamento dos dentes

As células-estaminais são a chave da cura de feridas, à medida que se desenvolvem em tipos de células especializadas em todo o corpo - inclusive nos dentes. 

Uma equipe internacional de pesquisadores encontrou um mecanismo que poderá vir a oferecer uma nova solução em potencial para o tratamento dentário.

 

Publicado em agosto 2019 na Nature Communications, o estudo mostra que um gene chamado Dlk1 melhora a ativação de células-estaminais e a regeneração de tecidos no tratamento dos dentes.

O trabalho foi liderado pelo Dr. Bing Hu, do Peninsula Dental School da Universidade de Plymouth, com a colaboração de pesquisadores de todo o mundo.

 

A ciência por trás da descoberta

O Dr. Hu e a sua equipe descobriram uma nova população de células-estaminais mesenquimais (as células-tronco que compõem o tecido esquelético, como músculo e osso) num modelo de incisivo de rato de crescimento contínuo. Mostraram que essas células contribuem para a formação da dentina dentária, o tecido duro que cobre o corpo principal de um dente.

É importante ressaltar que o trabalho mostrou que, quando essas células-estaminais são ativadas,  enviam sinais de volta às células-mãe do tecido para controlar o número de células produzidas, através de um gene molecular chamado Dlk1. 

Este artigo é o primeiro a mostrar que o Dlk1 é vital para esse processo funcionar.  No mesmo relatório, os pesquisadores também provaram que o Dlk1 pode melhorar a ativação de células-estaminais e a regeneração de tecidos num modelo de cicatrização de feridas dentárias. Esse mecanismo pode fornecer uma nova solução para o tratamento dentário, lidando com problemas como cáries, desintegração  e tratamento de trauma.

Estudos adicionais precisam ser realizados para validar as descobertas para aplicação clínica, para se poder determinar a duração e a dose adequadas ao tratamento, mas etapas iniciais em modelo animal são empolgantes, como explica o Dr. Hu.

 

O que dizem os autores 

Hu, que também faz parte da University's Institute of Translational and Stratified Medicine (ITSMed), disse: "As células-estaminais são tão importantes que, no futuro, poderão ser usadas por laboratórios para regenerar tecidos danificados ou perdidos, devido a doença - por isso é vital entender como funcionam. 

Ao descobrir as novas células-estaminais que formam o corpo principal de um dente e estabelecer o uso vital do Dlk1 na regeneração do tecido, damos passos importantes para entender a regeneração das células-estaminais". 

"O trabalho, nesta fase, ocorreu em modelos de laboratório , e é necessário fazer mais trabalho antes de se  poder aplicar em humanos. Mas é realmente um grande avanço na medicina regenerativa que pode ter implicações enormes para os pacientes no futuro". 

O professor Christopher Tredwin, diretor da Peninsula Dental School e co-autor do artigo, comentou: "Estamos muito animados com os recentes progressos do grupo do Dr. Bing Hu. Este novo trabalho, juntamente com um recente artigo de alto impacto publicado no The EMBO O Journal (doi: 10.15252 / embj.201899845), que trata de outro tipo de células-estaminais no dente: células-estaminais epiteliais, coloca Plymouth na frente da pesquisa e medicina regenerativa de células-estaminais em medicina dentária e craniofaciais do mundo. Em breve, oferecerá aos pacientes dentários melhores tempos e soluções mais económicas para problemas dentários graves - de trauma a cáries". 

 

Fonte:  ScienceDaily/University of Plymouth

“A new method of tooth repair? Scientists uncover mechanisms to inform future treatment”

 

 

Recomendado pelos leitores

A ligação entre stresse, ansiedade e saúde oral
ARTIGOS

A ligação entre stresse, ansiedade e saúde oral

LER MAIS

Diabetes não detetados  e periodontite podem duplicar o risco de ataque cardíaco
ARTIGOS

Diabetes não detetados e periodontite podem duplicar o risco de ataque cardíaco

LER MAIS

Como fazer parar o cancro de se esconder das células imunológicas
ARTIGOS

Como fazer parar o cancro de se esconder das células imunológicas

LER MAIS

Translate:

OJD 68 DEZEMBRO 2019

OJD 68 DEZEMBRO 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.