O JornalDentistry em 2019-10-28

ARTIGOS

Uma nova maneira de tratar infeções de implantes à base de metal com terapia eletroquímica (ECT)

Novas pesquisas introduzem um tratamento revolucionário para essas infeções. O grupo está a utilizar a terapia eletroquímica (ECT) para aumentar a capacidade dos antibióticos de erradicar os micróbios.

Novas pesquisas introduzem um tratamento revolucionário para essas infeções. O grupo está utilizando terapia eletroquímica (ECT) para aumentar a capacidade dos antibióticos de erradicar os micróbios.

O titânio possui muitas propriedades que o tornam uma ótima opção para uso em implantes. A sua baixa densidade, alta rigidez, elevada relação biomecânica força-peso e resistência à corrosão levaram ao seu uso em vários tipos de implantes, de dentais a articulações. No entanto, um problema persistente assola os implantes à base de metal: a superfície também é um local perfeito para a acumulação de micróbios, causando infeções crónicas e inflamação no tecido circundante. Consequentemente, cinco a 10% dos implantes dentários falham e devem ser removidos dentro de 10 a 15 anos para evitar infeções no sangue e em outros órgãos.

A novas pesquisas da Swanson School of Engineering da Universidade de Pittsburgh introduz um tratamento revolucionário para essas infeções. O grupo, liderado por Tagbo Niepa, PhD, está a utilizar terapia eletroquímica (ECT) para melhorar a capacidade dos antibióticos de erradicar os micróbios. 

"Vivemos uma crise com antibióticos: a maioria deles está a falhar. Devido à resistência aos medicamentos que a maioria dos micróbios desenvolve, os antimicrobianos param de funcionar, especialmente com infeções recorrentes", diz Niepa, autor do artigo e professor assistente de engenharia química e petrolíferas Swanson School, com assistências secundários em engenharia civil e ambiental e bioengenharia. "Com essa técnica, a corrente não discrimina, pois danifica a membrana celular do micróbio. É mais provável que os antibióticos sejam mais eficazes se as células forem desafiadas simultaneamente pelos efeitos permeabilizastes das correntes. Isso permitiria que até células resistentes a medicamentos se tornem suscetível ao tratamento e serem erradicadas ".

O novo método consiste em fazer passar uma corrente elétrica fraca pelo implante à base de metal, danificando a membrana celular dos micróbios anexados, mas não prejudicando o tecido saudável circundante. Esse dano aumenta a permeabilidade, tornando os micróbios mais suscetíveis aos antibióticos. Como a maioria dos antibióticos trabalha especificamente em células que se replicam não trabalham com micróbios adormecidos, e é assim que as infeções podem ocorrer. A ECT causa stresse eletroquímico em todas as células para sensibilizá-las, tornando-as mais suscetíveis aos antibióticos.

Os pesquisadores esperam que essa tecnologia mude a maneira como as infeções são tratadas. Os pesquisadores concentraram as suas pesquisas em Candida albicans (C. albicans), uma das infeções fúngicas mais comuns e prejudiciais associadas aos implantes dentários. Mas enquanto os implantes dentários são uma aplicação interessante para essa nova tecnologia, Niepa diz que tem outras aplicações em potencial.

Fonte: ScienceDaily/ University of Pittsburgh

Artigo original SD: "A 'shocking' new way to treat infections"

Recomendado pelos leitores

Cancros causados pelo HPV respondem melhor ao tratamento - Estudo ajuda a explicar porquê
ARTIGOS

Cancros causados pelo HPV respondem melhor ao tratamento - Estudo ajuda a explicar porquê

LER MAIS

Infodemia, o novo vírus letal que afeta toda a economia
ARTIGOS

Infodemia, o novo vírus letal que afeta toda a economia

LER MAIS

Translate:

OJD70 FEVEREIRO 2020

OJD70 FEVEREIRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.