O JonalDentistry em 2020-2-07

EDITORIAL CONVIDADO

A Globalização da Medicina Dentária

No ano que atinjo a maioridade de atividade profissional (curso 96-2002 da FMDUP), sinto-me capaz de refletir sobre o estado atual e a potencial progressão da medicina dentária portuguesa e mundial

Raquel Zita Gomes, DMD, PG, MsC, PhD, specialist in oral surgery.

Durante estes 18 anos de prática clínica como médica dentista dediquei-me de alma e coração a esta profissão tentando sempre ultrapassar-me a mim mesma e fazendo formações constantes. Entre pós-graduação, especialização, mestrado em implantologia, doutoramento e título de especialista em Cirurgia Oral, o tempo de família e trabalho foram sempre encaixados em dias que pareciam pequenos para acomodar tanto. 
Mas durante estes últimos 18 anos também me fui apercebendo de grandes mudanças na profissão, nomeadamente devido aos avanços tecnológicos e científicos, à entrada da classe feminina na profissão, ao aumento exponencial de licenciados e à conetividade física e virtual da classe. 
Em relação aos avanços tecnológicos e científicos, atualmente podemos trabalhar de forma mais eficaz, mais previsível para o paciente, permitindo melhorar a imagem da classe profissional perante a população, eliminar mitos negativos e contribuir para melhorar significativamente a saúde oral da população. 
No que toca á entrada da classe feminina, existiu uma completa mudança com cerca de 70 % dos atuais licenciados de Medicina Dentária serem mulheres. Grande parte da população ainda associa “a ida ao dentista” a uma figura masculina, dado que a profissão era em tempos quase exclusivamente constituída por homens. No entanto, a mentalidade de aceitação das mulheres em cargos de docência, chefia de organizações profissionais ou mesmo como palestrantes em palcos internacionais não têm acompanhado as tendências da entrada da classe feminina na profissão. A mentalidade tem de acompanhar a realidade, alguns dos movimentos nos quais estou envolvida começaram a surgir para promover as mulheres profissionais na medicina dentária a nível mundial.
O primeiro movimento chamado “Divas in Dentistry” foi criado pela Dra. Delia Tuttle em 2014, sendo eu a primeira líder internacional, com o objetivo de conectar, ajudar e promover o trabalho desenvolvido pelas mulheres médicas dentistas. O trabalho construído já tem dado os seus frutos com a organização de congressos mundiais, lançamento de livros, site (www.divasindentistry.com) e grupo de facebook (www.facebook.com/divasindentistry), mas ainda falta muito trabalho para a existência de igualdade de oportunidade entre géneros na nossa profissão.
Relativamente ao aumento exponencial e descontrolado do número de médicos dentistas licenciados em Portugal, entristece-me ver a nossa classe profissional a ser desprestigiada, dado que existindo tanta oferta, existem muitos colegas a serem explorados e a verem-se obrigados a emigrar ou a praticar atos de concorrência desleal para conseguirem sobreviver.
A medicina dentária portuguesa é extremamente conceituada a nível mundial, mas se continuarmos pelo caminho da quantidade exagerada em detrimento da qualidade individual, isso irá mudar rapidamente. Acho que a solução passará pela OMD e o Estado controlarem os numerus clausus de entrada nas faculdades e saída profissional para o mercado de trabalho.
Relativamente à conectividade entre profissionais, com a chegada em massa das redes sociais (Facebook, Linkedin, Instagram) aos ambientes profissionais, a conexão de profissionais a nível global tornou-se mais fácil e natural. Além disso, a probabilidade de exposição e disseminação do nosso trabalho técnico e científico tornou-se muito maior permitindo mais oportunidades de colaboração em termos de formação e investigação. Para nomear alguns grupos que permitem este tipo de intercâmbio temos como exemplos os grupos profissionais de facebook de acesso livre como o Follow The Red (dedicado à cirurgia oral, do qual sou administradora), Follow the Pink (dedicado à periodontologia, Dra. Delia Tuttle), Follow the White (dedicado à estética dentária, Dra. Morvarid Keshvari). Como exemplo de plataformas de educação podemos nomear o DentalXP (irmãos Drs Salama), Dentinaltubules (Dr. Dhru Shah), Oralsurgerytube (Dr. Juan Alberto) das quais tenho o privilégio de ser Xpert nas três. São igualmente importantes organizações/academias profissionais que promovem o intercâmbio de formação e investigação entre países como por exemplo a BBB (Bone, Biomaterials and Behond) Academy da qual sou membro ativo e a Academia IFZI /Bredent da qual sou instrutora oficial ou o grupo MINEC.
Acredito ainda ser muito importante a exposição do nosso trabalho sobre a forma de artigos científicos ou posters em revistas com fator de impacto, assim como em congressos relevantes e prestigiados da área. A minha formação, perseverança e envolvimento nestes anos recentes com estes grupos, plataformas e academias assim como as publicações científicas e posters realizados ajudaram a abrir portas. Como consequência, já realizei formação em mais de 25 países, partilhando muitas vezes o palco com muitos dos meus ídolos profissionais. Sou palestrante convidada da                UPenn (Universidade da Pennsylvania, EUA), sou docente convidada a nível de pós-                       -graduação da CESPU e fui considerada este ano (2020) com uma das 100 personalidades mais influentes na medicina dentária mundial (www.top100doc.com).
Mas não há bela sem senão... Se me perguntarem se é fácil atingir reconhecimento profissional, claro que vou responder que não porque o que alguns apelidam de sorte, eu apelido de disciplina e trabalho árduo. Foi possível e sinto todos os dias que vale a pena. Hoje sinto-me uma mulher realizada não só como profissional, mas também pessoalmente. Portanto o que recomendo aos colegas da nova geração é que se diferenciem numa determinada área que gostem (idealmente que adorem), que trabalhem sempre com exigência e ética, que arranjem formas de expor o vosso trabalho para que esse possa ser reconhecido e que con- sigam manter o equilíbrio com a vida pessoal.
Acima de tudo honrem o título que recebem de médico(a) dentista porque um dentista é um técnico, mas um médico dentista é um médico e deve tratar o seu paciente como tal. 
 
  

Translate:

OJD70 FEVEREIRO 2020

OJD70 FEVEREIRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.