O JornalDentistry em 2022-8-24

NOTÍCIAS

Medicina Dentária e a Varíola dos Macacos

Especialistas em doenças infeciosas pedem aos Médicos Dentistas que estejam atentos à varíola dos macacos

A varíola dos macacos é um problema crescente a nível mundial recentemente declarado como uma emergência de saúde pública nos Estados Unidos. Entre os sintomas clássicos que incluem febre, dores musculares, inchaço do nódulo linfático e erupções cutâneas, estão lesões orais presentes em até 70% dos casos.

"Esta doença não é tão facilmente transmitida como a COVID-19", disse Jeffrey Jahre, vice-presidente sénior de Assuntos Médicos e Académicos de St. Luke e chefe da secção emérito de Doenças Infeciosas. "O reconhecimento precoce por todos os prestadores de cuidados de saúde, incluindo os dentistas, pode potencialmente pôr fim à propagação desta doença."

O Dr. Jahre disse que o St. Luke's está a pedir à comunidade dentária para estar alerta para a varíola dos macacos porque os médicos da rede começaram a ver sintomas  orais da varíola dos macacos.

A Associação Dentária Americana disse que as precauções padrão de controlo de infeções pelos médicos dentistas durante décadas, incluindo os protocolos reforçados que foram implementados durante a pandemia COVID-19, continuarão a manter os pacientes e pessoal clínico seguros durante a emergência da varíola dos macacos.

A varíola é transmitida mais frequentemente através do contacto direto com fluidos corporais ou lesões do corpo de alguém que tem a doença. Menos comummente também pode espalhar-se através de materiais que tocaram estas lesões ou feridas da pele. O contacto próximo com as secreções de gotículas respiratórias pode ser outro modo incomum de propagação, embora a frequência exata seja desconhecida.

"É muito importante neste momento que os programas de cuidados orais, aplicados por médicos dentista,  higienistas dentários e outros profissionais de medicina dentária, estejam atentos à sintomologia  oral da varíola dos macacos e compreendam como lidar com os casos", disse o Dr. Wayne Saunders, DMD, Chefe da Cirurgia Oral & Maxillofacial de St. Luke.

As lesões faciais podem variar em número e localização, incluindo lábios e podem ser pápulas, pústulas, vesículas claras, ou feridas abertas com ou sem formação de crosta. As lesões intraorais são igualmente diversas e podem estar presentes em qualquer lugar da boca, incluindo gengivas, língua, bochechas, palato e garganta.

Estas lesões podem assemelhar-se a outras condições bem conhecidas, tais como feridas como herpes simplex,lesões orais, ou trauma.

Uma pesquisa de imagens do Google de lesões faciais e orais da varíola dos macacos  pode fornecer um guia útil.

A importância de ter em conta o historial médico dos doentes para tentar apurar a etiologia não pode ser sublinhada. Atualmente mais de 95% dos casos de varíola envolvem homens que têm relações homosexuais e que têm múltiplos parceiros sexuais. No entanto, a doença está a expandir-se para além deste grupo, pelo que os sintomas noutros não podem ser ignorados.

Quando há lesões suspeitas, o paciente pode ser encaminhado para prestadores de cuidados primários ou centros de cuidados urgentes para testes conclusivos, aconselhou o Dr. Saunders.

Recomendado pelos leitores

Remédios naturais para  boca seca (Xerostomia)
NOTÍCIAS

Remédios naturais para boca seca (Xerostomia)

LER MAIS

Estudo da Lancet sugere que os Sintomas de COVID Longo afetam uma em cada oito pessoas,
NOTÍCIAS

Estudo da Lancet sugere que os Sintomas de COVID Longo afetam uma em cada oito pessoas,

LER MAIS

A CleanImplant Foundation presente no Congresso EAO em Genebra
NOTÍCIAS

A CleanImplant Foundation presente no Congresso EAO em Genebra

LER MAIS

Translate:

OJD 98 SETEMBRO 2022

OJD 98 SETEMBRO 2022

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.