O JornalDentistry em 2021-12-04

NOTÍCIAS

O contacto próximo com os pacientes coloca os médicos dentistas em maior risco de apanhar o COVID-19?

De acordo com um novo estudo realizado por investigadores da Universidade de Toronto e de três outras universidades canadianas, os médicos dentistas aparecem, menos propensos do que a população em geral a contrair o vírus.

"Quando iniciámos este estudo, em julho de 2020, havia tanta incógnita sobre o COVID-19", diz Michael Glogauer, professor na Faculdade de Medicina Dentária da U da T e médico dentista-chefe da University Health Network. "Não havia vacinas e não era claro qual era o risco que os médicos dentistas tinham em termos deste vírus. Queríamos ter uma boa avaliação do risco que realmente existia."

O estudo, publicado no The Journal of the American Dental Association este outono, foi liderado pela Professora Assistente Sreenath Madathil da Universidade McGill e com a  coautoria de outros oito investigadores, incluindo Glogauer e o Professor Carlos Quiñonez da Faculdade de Medicina Dentária da U of T.

O estudo baseou-se numa amostra de 644 médicos dentistas  em todo o Canadá de 29 de julho de 200 a 12 de fevereiro deste ano. Os investigadores usaram um questionário online e cotonetes orais auto-recolhidos para acompanhar a incidência de COVID-19 entre os participantes do estudo.

Seis pessoas relataram ter apanhado o COVID-19 durante o período de estudo. A taxa de incidência foi estimada em 1.084 por 100.000 dentistas, contra 1.864 por 100.000 pessoas no público em geral durante o mesmo período, diz o estudo.

"Não fiquei realmente surpreendido com estes resultados porque dados semelhantes também foram publicados num estudo de médicos  dentistas americanos, e no Canadá, estamos a tomar ainda mais precauções", diz Quiñonez. "O que é interessante é que parece haver uma taxa de infeção ligeiramente maior nas jurisdições europeias, por isso algo é diferente, só não temos certeza do que ainda. O que estamos a tentar determinar é qual é a natureza real do risco e por que veríamos esta diferenciação em diferentes partes do mundo."

Glogauer nota que os médicos dentistas tomam precauções para proteger o público, pacientes e pessoal do consultório dentário de surtos.

"Temos uma rápida capacidade de atualizar os EPI e temos assumido muitas outras medidas para proteger todos estes grupos", diz. "Este estudo mostra ainda a segurança dos cuidados dentários. A capacidade de adaptação rápida da profissão é mostrada neste estudo e os dados estão lá e confirmam que continuamos a ser uma profissão muito segura."

Quiñonez concorda, citando uma série de razões para a taxa de infeção relativamente baixa observada neste estudo, incluindo: equipamento de proteção individual, maior consciência e o facto de os médicos dentistas poderem estar a exercer uma cautela extra fora do trabalho.

"Não temos todas as explicações para além de dizer que os médicos dentistas não estão a na linha da frente das infeções por COVID-19", diz. "Esta é uma rápida espreitadela sobre o assunto, o que significa que há muita coisa acontecendo. Estamos a adicionar à base de evidências aqui no Canadá, o que sugere que o risco de infeção COVID-19 não é potencialmente elevado ou pelo menos é controlado nos consultórios dentários, o que é uma boa notícia."

Glogauer diz que este é um bom momento para perguntar se as medidas atuais são adequadas ou excessivamente rigorosas.

"Podemos usar os resultados como ponto de partida para determinar que medidas são realmente necessárias para continuar a garantir a segurança do público, dos doentes, do pessoal, consultórios  e dos médicos dentistas”

 

Fonte: MedicalXpress/Rachel Boutet, University of Toronto

Artigo MedicalXpress  


 

Recomendado pelos leitores

Portugal não tem capacidade para mais mestrados integrados de medicina dentária
NOTÍCIAS

Portugal não tem capacidade para mais mestrados integrados de medicina dentária

LER MAIS

As três grandes causas de cancro da boca
NOTÍCIAS

As três grandes causas de cancro da boca

LER MAIS

Universidade de Coimbra
NOTÍCIAS

Universidade de Coimbra

LER MAIS

Translate:

OJD 91 JANEIRO 2022

OJD 91 JANEIRO 2022

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.