O JornalDentistry em 2021-11-28

NOTÍCIAS

O que se sabe até agora sobre a nova variante COVID Omicron

Cientistas sul-africanos descobriram uma nova variante COVID-19, que a OMS denominou de Omicron, com múltiplas mutações que se pensa serem altamente contagiosas.

 

A OMS-Organização Mundial de Saúde designou-a como uma variante preocupante e muitos países estão a correr para tentar contê-la, proibindo voos da África Austral.

Os cientistas estão a trabalhar 24 horas por dia para dissecar a variante e tentar compreender o seu comportamento.

Aqui está um breve explicador do que é conhecido até agora sobre Omicron - dias após ter sido descoberto,  partilhado por cientistas sul-africanos.

 

Origens

Atualmente não é claro onde a variante teve origem, mas os cientistas sul-africanos foram os primeiros a anunciar a descoberta no dia 25 de novembro.

Nessa altura foram também detetados casos em Hong Kong e no Botsuana. Um dia depois, Israel e a Bélgica também descobriram a variante.

 

Mutação

Os cientistas descobriram a nova variante com uma "constelação muito incomum de mutações" no dia 23 de novembro.Algumas das mutações já são conhecidas, e afetam a transmissibilidade e a evasão imunológica, mas muitas outras são novas.

Tem "a maior parte das mutações que vimos até agora", disse a professora Mosa Moshabela, Deputy Vice Chancellor of Research and Innovation na Universidade de KwaZulu-Natal.

Segundo a professora Mosa Moshabela algumas dessas mutações são idênticas as da  Delta e na Beta", mas outras não, e ainda não se sabe no que a combinação dessas mutações se vai traduzir".

O  virologista Tulio de Oliveira disse que houve cerca de 50 mutações no total, incluindo 30 na proteína do spike, o foco da maioria das vacinas, pois é o que permite que o vírus entre nas células.

 

Transmissibilidade

O aumento do ritmo denovos casos diários de COVID  na África do Sul deixou os cientistas a suspeitar que pode estar a ser impulsionado pela transmissibilidade da nova variante.

Apesar de nem todos serem casos de Omicron, a taxa diária de positividade da COVID subiu esta semana, 3,6% na quarta-feira, 6,5% na quinta-feira, 9,1% na sexta-feira e 9,2% no sábado, de acordo com os dados oficiais.

"Algumas das mutações permitem que o vírus se espalhe facilmente e rapidamente, e por isso os suspeitamos que a (nova variante) se vai espalhar rapidamente", disse Moshabela.

 

Imunidade, gravidade

Algumas das mutações genéticas mostradas pelo vírus incluem as conhecidas para permitir que o vírus escape à imunidade. Não é claro, porém, qual será o impacto nas vacinas.

Quanto à gravidade da variante, os cientistas dizem que só veio a lume esta semana, dando pouco tempo para uma análise minuciosa.

 

Fonte: Medical X press

Artigo original

Recomendado pelos leitores

Portugal não tem capacidade para mais mestrados integrados de medicina dentária
NOTÍCIAS

Portugal não tem capacidade para mais mestrados integrados de medicina dentária

LER MAIS

As três grandes causas de cancro da boca
NOTÍCIAS

As três grandes causas de cancro da boca

LER MAIS

Universidade de Coimbra
NOTÍCIAS

Universidade de Coimbra

LER MAIS

Translate:

OJD 91 JANEIRO 2022

OJD 91 JANEIRO 2022

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.