O JornalDentistry em 2018-3-16

ARTIGOS

Famílias grandes ligadas ao aumento do risco de perda dentária das mães

Um grande estudo publicado on-line no Journal of Epidemiology & Community Healtheuropeu sugere que as famílias grandes estão ligadas a um aumento do risco de perda dentária para as mães.

As mulheres com 3 filhos têm em média menos 4 dentes do que as mães com 2 filhos. 

O ditado popular: "ganhar uma criança, perder um dente" sugere que a fertilidade pode estar ligada à perda dentária, mas não havia dados suficientes para suportar essa ideia. Para tentar preencher essa lacuna, os pesquisadores utilizaram os dados da Wave 5 of the Survey of Health, Ageing, and Retirement in Europe (SHARE). 

 

O SHARE contém informações sobre saúde, escolaridade e rendimento familiar de mais de 120 mil adultos com mais de 50 anos de idade de 27 países europeus além de Israel. 

O Wave 5 foi realizada em 2013 e incluiu questões sobre a história reprodutiva completa e o número de dentes naturais de 34.843 entrevistados da Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Estónia, França, Alemanha, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Eslovénia, Espanha , Suíça e Israel. 

A idade média dos inquiridos no Wave 5 foi de 67 anos, e relataram uma média de perda de 10 dentes. Como seria de esperar, a perda dentária aumentou com a idade, variando com cerca de 7 dentes amenos para as mulheres entre os 50 a 60 anos até 19 dentes a menos para homens com 80 anos ou mais. Níveis mais elevados de escolaridade também foram associados a menor risco de perda dentária entre as mulheres. 

Os pesquisadores analisaram o impacto potencial de ter gémeos ou trigémeos em vez de um só filho e o sexo dos dois primeiros filhos, partindo do pressuposto de que, se os dois primeiros fossem do mesmo sexo, os pais poderiam estar tentados a tentar um terceiro filho . 

No estudo aplicaram um tipo particular de técnica estatística (regressão de variáveis instrumentais), que explora a variação natural aleatória numa variável que só está associada à exposição e afeta o resultado somente através dessa exposição, de modo que imita um teste controlado aleatoriamente. 

Um terceiro filho depois de dois do mesmo sexo foi associado com significativa perda dentária para as mulheres, se comparados aos pais cujos dois primeiros eram de sexos diferentes. 

Segundo os pesquisadores Isso sugere que mais uma criança pode ser prejudicial para a saúde oral da mãe. 

O estudo reconhece que as análises cobriram grupos restritos com tipos particulares de padrões de fertilidade e números relativamente pequenos nos grupos de interesse, de modo que os resultados devem ser interpretados com cautela e tomados como evidência de causa apenas para este pequeno grupo. 

Além disso, o contributo preciso da parentalidade em vez dos fatores relacionados à gravidez precisam de ser mais estudados. 

O estudo concluiu que: "Com base nas descobertas, a promoção da higiene oral, alimentação saudável para os dentes e consultas regulares preventivas com médico dentista, direccionados especificamente para as mães grávidas - parecem ser estratégias sensíveis para profissionais  e políticas de saúde”.

Fonte: ScienceDaily/BMJ

Artigo original ScienceDaily: "Larger families linked to heightened tooth loss risk for moms"

 

Recomendado pelos leitores

Localização dos cancros orais em fumadores e não fumadores
ARTIGOS

Localização dos cancros orais em fumadores e não fumadores

LER MAIS

Estratégias  para distúrbios orais potencialmente malignos (DOPM)
ARTIGOS

Estratégias para distúrbios orais potencialmente malignos (DOPM)

LER MAIS

Perda dentária na meia idade e o  risco de doença coronária
ARTIGOS

Perda dentária na meia idade e o risco de doença coronária

LER MAIS

Translate:

OJD 50 ABRIL 2018

OJD 50 ABRIL 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES