O JornalDentistry em 2018-1-02

ARTIGOS

Investigação da Penn Dental Team sobre novo material dentário com composto antimicrobiano

Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia avaliaram um novo material dentário ligado a um composto antimicrobiano que além de matar bactérias, pode também impedir o crescimento do biofilme, com toxicidade mínima para o tecido circundante.

Biofilmes compostos por Streptococcus mutans - uma causa comum de cárie dentária - foram muito mais fáceis de remover quando cultivados num material dentário recém-desenvolvido (imagem), que contém um agente antimicrobiano inserido, em comparação com um material de controle. Crédito: Universidade da Pensilvânia

De acordo com Geelsu Hwang, professor-assistente de pesquisa na Penn's School of Dental Medicine, os biomateriais dentais como estes precisam atingir dois objetivos: primeiro devem matar efetivamente os micróbios patogénicos e, em segundo lugar, precisam suportar um stress mecânico severo, que acontece quando mordemos e mastigamos. Muitos produtos precisam de grandes quantidades de agentes antimicrobianos para maximizar a eficácia de matar, o que pode enfraquecer as propriedades mecânicas e ser tóxico para os tecidos, mas este novo material possui excelentes propriedades mecânicas e com atividade antibiofilme duradouro sem citotoxicidade. 

Hwang colaborou no estudo, que foi publicado na revista ACS Applied Materials and Interfaces, com o professor da Penn Dental Medicine Hyun (Michel) Koo e Bernard Koltisko e Xiaoming Jin de Dentsply Sirona.

O material recém-desenvolvido é composto por uma resina que foi embebida com o agente antibacteriano imidazolium. Ao contrário de alguns biomateriais tradicionais, que liberam lentamente uma droga, este material não é lixiviável,  apenas mata os micróbios que o tocam, reduzindo a probabilidade de resistência antimicrobiana. 

Os resultados dos testes mostraram que este novo material é efetivo na destruição de células bacterianas por contacto, prejudicando enormemente a capacidade dos biofilmes de crescer na sua superfície. Apenas quantidades negligenciáveis de matriz de biofilme, a cola que mantém grupos de bactérias em conjunto, conseguiram acumular-se no material experimental, em contraste com um material composto de controle , que mostrou uma acumulação constante de matriz adesiva de biofilme ao longo do tempo. 

A equipe também avaliou a força de cisalhamento necessária para remover o biofilme do material experimental. Enquanto uma pequena  força removeu quase todo o biofilme do material experimental,  uma força quatro vezes mais maior foi incapaz de remover o biofilme do material composto de controle.  O estudo foi financiado pela Dentsply Sirona. 

 

Fonte: University of Pennsylvania/Penn News

Estudo: ”Nonleachable Imidazolium-Incorporated Composite for Disruption of Bacterial Clustering, Exopolysaccharide-Matrix Assembly, and Enhanced Biofilm Removal”

Artigo original: "New Dental Material Resists Plaque and Kills Microbes, Penn Dental Team Finds"

 

 

 

 

Recomendado pelos leitores

Ibuprofeno com parecetamol mais eficaz que os opioides no tratamento da dor dentária
ARTIGOS

Ibuprofeno com parecetamol mais eficaz que os opioides no tratamento da dor dentária

LER MAIS

Terapia Periodontal reduz os níveis da Pressão Arterial
ARTIGOS

Terapia Periodontal reduz os níveis da Pressão Arterial

LER MAIS

A resistência ao antibióticos está a aumentar em pacientes com doença periodontal grave
ARTIGOS

A resistência ao antibióticos está a aumentar em pacientes com doença periodontal grave

LER MAIS

Translate:

OJD 53 JULHO de 2018

OJD 53 JULHO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.