JornalDentistry em 2024-3-15

ARTIGOS

Algumas interações bacterianas causam mau hálito

Investigadores descobriram que a bactéria oral Streptococcus gordonii ativa outra espécie bacteriana, Fusobacterium nucleatum, para produzir grandes quantidades de metil mercaptano, um composto responsável pelo mau hálito

Interromper esta interação pode, portanto, ajudar a tratar a halitose e, possivelmente, também ajudar a prevenir o desenvolvimento de doenças mais graves dos dentes e gengivas.

Ter mau hálito realmente fede!  Pesquisadores do Japão relatam que uma combinação particular de bactérias nas nossas bocas pode ser responsável por produzir alguns cheiros muito desagradáveis.

Em um estudo publicado fevereiro na mSystems, pesquisadores da Universidade de Osaka revelaram que a interação entre dois tipos comuns de bactérias orais leva à produção de um composto químico que é uma das principais causas do mau hálito .
O mau hálito é causado por compostos voláteis que são produzidos quando as bactérias na boca digerem substâncias como sangue e partículas de alimentos.
Um dos compostos mais fedorento é o metil mercaptano (CH3SH), que é produzido por micróbios que vivem ao redor dos dentes e na superfície da língua.
No entanto, pouco se sabe sobre quais espécies bacterianas específicas estão envolvidas nesse processo.

"A maioria dos estudos anteriores que investigaram bactérias orais produtoras de CH3SH usaram enzimas isoladas ou volumes de cultura relativamente pequenos", explica o principal autor do estudo, Takeshi Hara.

"Neste estudo, pretendemos criar um ambiente mais realista para investigar a produção de CH3SH pelas principais bactérias orais."

Para fazer isso, os pesquisadores desenvolveram um sistema de cocultura anaeróbia de grande volume que lhes permitiu testar interações entre vários tipos diferentes de bactérias que vivem na boca.

Este sistema foi capaz de testar tanto as interações físicas diretas entre as bactérias, como se estas espécies podiam afetar-se mutuamente à distância, por exemplo, secretando substâncias ativas.

"Os resultados foram muito intrigantes", diz Masae Kuboniwa, autor sénior.
"Descobrimos que Fusobacterium nucleatum produz grandes quantidades de CH3SH em resposta ao Streptococcus gordonii, outra bactéria oral."

Usando marcadores de isótopos estáveis e analisando a expressão génica, os pesquisadores mostraram que S. gordonii libera uma substância chamada ornitina que leva F. nucleatum a produzir mais de uma molécula chamada poliamina.
Como F. nucleatum precisa de metionina para produzir poliamina, essa produção aumentada de poliamina ativa a sua via de resgate de metionina, o que, por sua vez, resulta em aumento da produção de CH3SH.

"Em conjunto, estes resultados sugerem que a produção de CH3SH na boca é impulsionada pela interação entre S. gordonii e F. nucleatum", diz Hara.

Compreender como estas duas espécies bacterianas trabalham em conjunto para causar mau hálito pode ser útil no desenvolvimento de formas de tratar ou mesmo prevenir o mau hálito. Além disso, dado que o mau hálito está frequentemente associado à doença periodontal, tratar este sintoma precocemente pode ajudar a prevenir danos mais graves no futuro.

 

Fonte: ScienceDaily / Universidade de Osaka

Foto: Unsaplash/CCO Public Domain

Recomendado pelos leitores

O Regime Jurídico aplicável à publicidade na medicina dentária
ARTIGOS

O Regime Jurídico aplicável à publicidade na medicina dentária

LER MAIS

Diretrizes para  Medicina Dentária  sobre antibióticos
ARTIGOS

Diretrizes para Medicina Dentária sobre antibióticos

LER MAIS

App projetada para orientação passo a passo em caso de emergência para equipes de medicina dentária
ARTIGOS

App projetada para orientação passo a passo em caso de emergência para equipes de medicina dentária

LER MAIS

Translate:

OJD 115 MARÇO 2024

OJD 115  MARÇO 2024

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.