JornalDentistry em 2023-1-17

ARTIGOS

Biossensor permite detecção rápida do cancro oral

Um biossensor para o cancro oral foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade da Flórida e da Universidade Nacional Yang Ming Chiao Tung, em Taiwan.

O dispositivo usa um sistema rápido baseado num transistor e é muito mais rápido e conveniente do que os testes atuais baseados em laboratório.

O estudo foi publicado no Journal of Vacuum Science & Technology B.

“Os carcinomas de células escamosas orais são um dos tipos de cancro do lábio e cavidade oral mais comuns”, disse Minghan Xian, coautor e pesquisador da Universidade da Flórida. “Requer deteção precoce por meio de várias tecnologias médicas para melhorar a taxa de sobrevivência”.

Os cancros orais são o 16º tipo de cancro mais comum. Os cancros do lábio e cavidade oral são os mais comuns, com mais de 377.700 casos em todo o mundo em 2020, de acordo com o World Cancer Research Fund International. Como o carcinoma escamoso oral (OSCC) ocorre num dos locais mais acessíveis do corpo, pode ser facilmente tratado se detectado prontamente. Os cancros orais que permanecem localizados e têm 2 centímetros ou menos podem ser curados - as taxas de sobrevida em cinco anos excedem 90%.

“O padrão de atendimento para a detecção do  cancro oral é uma biópsia, que é invasiva, cara e leva várias semanas para obter resultados. Como nosso sensor é um verdadeiro ponto de atendimento, imaginamos essa tecnologia para oferecer assistência aos médicos dentistas sobre a necessidade ou não de uma biópsia ”, disse a coautora Josephine Esquivel-Upshaw, professora da Faculdade deMedicina Dentária da Universidade da Flórida, ao Inside Precision Medicine.

Os biossensores há muito são anunciados como uma chave para a detecção rápida, conveniente e precisa do cancro. Xian disse à Inside Precision Medicine que “já aplicamos tecnologia semelhante a doenças como COVID-19, derrame de líquido cefalorraquidiano e vírus Zika. Acreditamos que nossa abordagem pode ser aplicada a vários tipos de cancro para permitir a detecção rápida”.

Acrescentou que, “Este teste in vitro também demonstra que nosso sensor é capaz de detectar este biomarcador em concentrações muito baixas, em segundos. A sensibilidade do nosso sensor portátil é ainda maior do que o teste feito em laboratório.”

Este dispositivo compreende um sensor, semelhante a uma tira de glicose, e uma placa de circuito (um terminal portátil como um glicosímetro) para detecção. Usa uma tecnologia baseada num transistor para testar o biomarcador CIP2A - altamente expresso em linhagens de células OSCC e tecidos epiteliais orais humanos displásicos e malignos, mas não em controles normais. Esta proteína  liga-se e inibe o PP2A, um supressor de tumor. A inibição de PP2A leva ao aumento da proliferação celular.

Presente na maioria dos cancros, incluindo o do pulmão e gástrico, o CIP2A é mais pronunciado no cancro oral. Os kits de teste de imunoensaio enzimático (ELISA) para detectar essa proteína estão amplamente disponíveis.

Para esse tipo de sensor, “normalmente, o fluido de teste é introduzido num pequeno canal de líquido na ponta das tiras do sensor”, disse Xian. “Alguns eletrodos ficam dentro do canal de líquido, e a superfície desses eletrodos contém anticorpos para proteínas específicas presentes nas lesões de cancro oral humano. Pulsos curtos de eletrodos são enviados através desses eletrodos durante a detecção e, em seguida, o módulo da placa de circuito analisa esse sinal e emite um número de quatro dígitos que se correlaciona com sua concentração”.

"O próximo passo neste contínuo é realizar a análise utilizando amostras in vivo do CIP2A – um biomarcador de OSCC – em doentes com cancro oral e cancro não oral com biópsia como padrão de ouro", disse Xian.

 

Fonte: Oral Cancer Foundation / www.insideprecisionmedicine.com

Artigo OCF

Recomendado pelos leitores

Inteligência artificial na Medicina Dentária
ARTIGOS

Inteligência artificial na Medicina Dentária

LER MAIS

Oncologistas do Netherlands C.I. descobriram mais um novo órgão, as “Glândulas Tubárias”
ARTIGOS

Oncologistas do Netherlands C.I. descobriram mais um novo órgão, as “Glândulas Tubárias”

LER MAIS

Uso de flúor foi consequência de orientações nutricionais equivocadas, diz pesquisador
ARTIGOS

Uso de flúor foi consequência de orientações nutricionais equivocadas, diz pesquisador

LER MAIS

Translate:

O JORNALDENTISTRY 102 JANEIRO 2023

O JORNALDENTISTRY 102 JANEIRO 2023

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.