JornalDentistry em 2023-7-19

ARTIGOS

Doença gengival ligada ao aumento de formação de placas de Alzheimer

As bactérias orais que viajam para o cérebro fazem com que as células cerebrais se tornem disfuncionais, promovendo a neuroinflamação

Embora a maioria das pessoas não associe doenças orais a problemas de saúde graves, evidências crescentes mostram que as bactérias orais desempenham um papel significativo em doenças sistémicas, como cancro de cólon e doenças cardíacas. 

Uma nova pesquisa do Instituto Forsyth mostra uma ligação entre a doença periodontal (gengiva) e a formação de placa amiloide, uma característica da doença de Alzheimer.

No artigo, "Microglial cell response to experimental periodontal disease", publicado no Journal of Neuroinflammation, cientistas do Forsyth e seus colaboradores da Universidade de Boston demonstram que a doença gengival pode levar a alterações nas células cerebrais chamadas células microgliais, que são responsáveis por defender o cérebro da placa amiloide. Esta placa é um tipo de proteína que está associada à morte celular e ao declínio cognitivo em pessoas com Alzheimer. O estudo fornece informações importantes sobre como as bactérias orais chegam ao cérebro e o papel da neuroinflamação na doença de Alzheimer.

"Sabíamos de um de nossos estudos anteriores que a inflamação associada à doença gengival ativa uma resposta inflamatória no cérebro", disse o Dr. Alpdogan Kantarci, membro sênior da equipe da Forsyth e autor sénior do estudo. "Neste estudo, estávamos a fazer a pergunta: as bactérias orais podem causar uma alteração nas células cerebrais?"

As células microgliais estudadas pelos pesquisadores são um tipo de glóbulo branco responsável pela digestão da placa amiloide. Os cientistas de Forsyth descobriram que, quando expostas a bactérias orais, as células microgliais ficavam superestimuladas e comiam demais. "Eles basicamente  tornaram-se obesos", disse Kantarci. "Já não conseguiam digerir as formações de placas."

A descoberta é significativo por mostrar o impacto da doença gengival na saúde sistémica. A doença gengival provoca o desenvolvimento de lesões entre as gengivas e os dentes.  O Dr. Kantarci explicou: "É uma ferida aberta que permite que as bactérias da boca entrem na corrente sanguínea e circulem para outras partes do seu corpo." Estas bactérias podem atravessar a barreira hematoencefálica e estimular as células microgliais do  cérebro.

Usando bactérias orais de ratos para causar doença gengival em ratos de laboratório, os cientistas foram capazes de acompanhar a progressão da doença periodontal em ratos e confirmar que a bactéria tinha viajado para o cérebro.

Em seguida, isolaram as células microgliais cerebrais e as expuseram às bactérias orais. Esta exposição estimulou as células microgliais, ativou a neuroinflamação e alterou a forma como as células microgliais lidavam com as placas amiloides.

"Reconhecer como as bactérias orais causam neuroinflamação nos ajudará a desenvolver estratégias muito mais direcionadas", disse o Dr. Kantarci. "Este estudo sugere que, para prevenir a neuroinflamação e a neurodegeneração, será fundamental controlar a inflamação oral associada à doença periodontal. A boca faz parte do corpo e, se não cuidarmos da inflamação e infeção oral, não podemos prevenir doenças sistémicas, como a doença de Alzheimer, de uma forma reprodutível."

Este estudo é a primeira vez que os cientistas causaram doença periodontal com bactérias específicas de ratos e podem estudar os efeitos do microbioma oral da mesma espécie no cérebro. Ter bactérias e células da mesma espécie aproxima o teste de replicar como é o processo em humanos.

A equipa de investigação foi composta por Rawan Almarhoumi, Carla Alvarez, Theodore Harris, Bruce J. Paster, e Alpdogan Kantarci de Forsyth, e Christina M. Tognoni, Isabel Carreras, e Alpaslan Dedeoglu da Universidade de Boston. Este estudo foi apoiado por uma bolsa do NIH/NIA (R01AG062496) atribuída aos Drs. Dedeoglu e Kantarci).

 

 

Fonte:  ScienceDaily / Forsyth Institute

 

Recomendado pelos leitores

Novo método para testar o cancro oral
ARTIGOS

Novo método para testar o cancro oral

LER MAIS

Microbioma oral e cancro: um olhar mais atento sobre as intrincadas interações do mundo oculto da boca
ARTIGOS

Microbioma oral e cancro: um olhar mais atento sobre as intrincadas interações do mundo oculto da boca

LER MAIS

Os higienistas orais como peça fundamental na prevenção da saúde oral
ARTIGOS

Os higienistas orais como peça fundamental na prevenção da saúde oral

LER MAIS

Translate:

O JORNALDENTISTRY 117 MAIO 2024

O JORNALDENTISTRY 117 MAIO 2024

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.