O JornalDentistry em 2019-2-09

ARTIGOS

“Dor de dente do aviador”

Referida como “dor de dente do aviador”, a barodontalgia é definida como a ocorrência de dor de dente com alterações na pressão atmosférica. Geralmente ocorre em pessoas que voam ou mergulham.

Pode desenvolver-se em conjunto com a sinusite e em dentes com pulpite após tratamento restaurador, em novas cáries e/ou recorrentes , sintomas intra-tratamento endodônticos , quistos dentais e periodontais ou abscessos. 

Embora o processo causal da barodontalgia não seja bem compreendido, pode estar relacionado à hiperemia pulpar ou a gases aprisionados nos dentes após o tratamento incompleto do canal radicular. Pacientes que são frequentemente expostos a mudanças na pressão atmosférica devem ser encorajados a seguir boas práticas de saúde oral, fazer exames dentais regularmente e aceitar a conclusão oportuna do tratamento restaurador para minimizar a possibilidade de desenvolvimento de barodontalgia. 

Ao empregar um sistema de classificação para documentar casos de barodontalgia, os médicos dentistas estarão mais bem preparados para fornecer tratamento adequado e bem-sucedido.

Das 11.617 pessoas que participam em voos de alta altitude simulados até 43.000 pés, apenas 30 (0,26%) reclamaram de dor de dente (barodontalgia). A causa da barodontalgia em 28 episódios de dor em 25 desses indivíduos foi investigada. Suspeitava-se pulpite crónica como causa em 22 casos e sinusite maxilar em 2.  Em 10 casos em que a pulpite foi tratada por preenchimento radicular ou substituição de preenchimento profundo, a exposição subsequente a baixa pressão não causou dor.

 

Objetivo

A dor dentária causada pela alteração da pressão barométrica num dente de forma assintomática, conhecida como barodontalgia, é atualmente uma preocupação menor para a medicina aeronáutica  e para o médico  dentista. Durante a Segunda Guerra Mundial, 9,5% das tripulações militares americanas relataram pelo menos um episódio de barodontalgia. Publicações sobre as décadas de 1960 a 1990 relataram uma prevalência de 0,23% a 0,3% em simulações de câmara hipobárica. No entanto, as condições ambientais em voo são diferentes das condições da câmara hipobárica. Além disso, as plataformas de aviação mudaram dramaticamente nas últimas décadas. O objetivo deste estudo é avaliar a incidência atual de barodontalgia em vôo e descobrir as várias patologias dentárias como fatores etiológicos.

 

Resultados

331 (73,6%) membros de tripulações aéreas. Destes, 27 (8,2%) relataram pelo menos um evento de barodontalgia: 6,5% em aviões de caças, 6,6%  aviões de transporte e 8,6% das tripulações dos helicópteros. As doenças dentárias foram a principal patologia causal, responsável por 67% dos casos: pulpite (40,7%), necrose pulpar / periodontite apical (18,5%), fratura radicular vertical (3,7%) e dente impactado (3,7%). 18,5% dos casos de barodontalgia foram devidos a barosinusite. Nenhum dos participantes  relatou a cessação prematura da missão por causa da dor dentária.

 

Conclusões

Um número considerável de tripulações militares, de todas as plataformas de aviação, relataram eventos de barodontalgia. As doenças da polpa são a principal patologia causadora da barodontalgia. Médicos Cirurgiões e Médicos Dentistas da aviação civil e militar  devem estar cientes desse fenómeno e usar medidas preventivas entre os membros da tripulação.

 

Fonte: Dental News 

Autor: Dr. Alaa Awadallah (dralaa5@yahoo.com) Dentist, Doctor of Dental Medicine, Deocampo Memorial College, Philippines. Senior Dentist, Qatar Armed Forces

Artigo original:  “Flyer’s Toothache”

 

 

Recomendado pelos leitores

Bactérias orais no pâncreas associadas a tumores mais agressivos
ARTIGOS

Bactérias orais no pâncreas associadas a tumores mais agressivos

LER MAIS

Uso do fio dental e ir ao médico dentista associado a um menor risco de cancro oral
ARTIGOS

Uso do fio dental e ir ao médico dentista associado a um menor risco de cancro oral

LER MAIS

Nova técnica poderá vir a ajudar a regenerar os tecidos destruídos por doença periodontal
ARTIGOS

Nova técnica poderá vir a ajudar a regenerar os tecidos destruídos por doença periodontal

LER MAIS

Translate:

OJD 61 ABRIL 2019

OJD 61 ABRIL 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.