JornalDentistry em 2023-6-24

ARTIGOS

Especialistas em oncologia alertam sobre onda de cancros relacionados ao HPV em adultos

Os especialistas estão preocupados com o rápido aumento das taxas de cancro de garganta e boca relacionados ao HPV, observando que, se essa tendência continuar, eles podem rapidamente estar entre as formas mais comuns de cancro em adultos entre 45 e 65 anos.

Estimativas recentes sugerem que o cancro de garganta (conhecido medicamente como cancro  orofaríngico) pode  tornar-se um dos três principais tipos de orofaríngicor entre homens de meia-idade nos Estados Unidos até 2045, e a forma mais comum de cancro entre homens idosos nos próximos 10 anos.

 

De acordo com Matthew Old, MD, cirurgião de cabeça e pescoço do The Ohio State University Comprehensive Cancer Center – Arthur G. James Cancer Hospital e Richard J. Solove Research Institute (OSUCCC – James), esse aumento de cancros de garganta nesta faixa etária se deve-se ao impacto direto da infeção pelo vírus do papiloma humano (HPV) antes das vacinas modernas serem introduzidas em 2006.

 

O HPV é um grande grupo de vírus que se transmite através do contacto pele a pele e oral que ocorre durante a atividade sexual. O vírus propaga-se facilmente e estima-se que 98% da população já tenha sido exposta a ele. O HPV pode permanecer adormecido por décadas. Estirpes de alto risco do vírus têm sido associadas ao aumento do risco de cancro do colo do útero; no entanto, dados da última década mostram que o HPV de alto risco também está fortemente ligado a cancros de cabeça e pescoço (boca, base da língua e garganta).

 

Em 2006, Gardasil introduziu uma vacina contra o HPV, que é administrada em jovens entre os 9 e os 12 anos, a vacina protege contra as estirpes de alto risco do vírus (HPV 16 e HPV 18) que estão ligadas ao cancro, incluindo o cancro do colo do útero, vulvar, garganta, boca, pénis e anal. Existem muitas outras estirpes de HPV que causam condições não cancerígenas, tais como verrugas genitais.

 

Embora a vacina esteja disponível há quase duas décadas, a falta de consciência sobre ela como um meio de prevenção do cancro na vida adulta retardou o progresso na prevenção desses cancros. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) estimam que só a vacinação oportuna contra o HPV previne 90% dos cancros  cervicais. O INational Cancer Institute estima que, em 2020, apenas 54,5% dos jovens entre os 13 e os 15 anos estavam vacinados.

 

"Temos um longo caminho a percorrer na educação do público sobre a importância da vacinação contra o HPV na juventude e sobre os fatores de risco e sinais de alerta de cancros relacionados ao HPV para adultos que não tiveram a oportunidade de se vacinar na infância", diz Old. "Encorajo vivamente todos os pais com filhos em idade de vacinação a considerarem a vacina contra o HPV. Os dados mostram cada vez mais que esta é uma ferramenta poderosa para prevenir cancros mais tarde na vida, e o HPV é um fator de risco que todos os géneros devem estar atentos."

 

Electra Paskett, PhD, MSPH, epidemiologista do cancror e co-líder do OSUCCC – James Cancer Control Program, disse que a conversa sobre os benefícios das vacinas contra o HPV entre pais e profissionais de saúde precisa mudar.

 

"Precisamos mudar o foco na vacinação contra o HPV da prevenção de uma doença sexualmente transmissível para a prevenção de cancros futuros, a fim de conter o aumento acentuado de cancros  relacionados ao HPV. A vacina tem sido historicamente anunciada como uma forma de prevenir o risco de infeção relacionado à atividade sexual. É administrado na infância não para incentivar a atividade sexual numa idade precoce, mas porque é mais eficaz na prevenção da infeção por HPV antes do tempo de exposição e previne o ca”ncro, disse Paskett.

 

A vacinação contra o HPV é normalmente administrada em duas doses entre os 9 e os 14 anos e em três doses nos 15 aos 26 anos. Embora a vacinação contra o HPV na idade adulta seja considerada menos benéfica porque a maioria das pessoas já foi exposta ao HPV, agora também está disponível para indivíduos de 27 a 45 anos com uma discussão de tomada de decisão compartilhada com um profissional de saúde.

 

De acordo com dados do CDC, há um progresso significativo numa área. As infeções por HPV e os pré-cancros cervicais (células anormais no colo do útero) caíram desde 2006, quando as vacinas contra o HPV foram usadas pela primeira vez nos Estados Unidos. Entre as adolescentes, os tipos de HPV que causam a maioria dos cancros por HPV e verrugas genitais caíram 88%. As infeções entre mulheres adultas jovens caíram 81%. Entre as mulheres vacinadas em geral, a porcentagem de pré-cancros relacionados ao HPV também caiu 40%.

 

 

Fonte: Oral Cancer Foundation /  www.eurekalert.org

Autor: Ohio State University Wexner Medical Center

Artigo original OCF

 

 

 

Recomendado pelos leitores

Relações laborais na Medicina Dentária: Desafios Legais e Proteção do Profissional
ARTIGOS

Relações laborais na Medicina Dentária: Desafios Legais e Proteção do Profissional

LER MAIS

As bactérias orais são importantes para a  saúde – quatro doenças ligadas ao  microbioma oral
ARTIGOS

As bactérias orais são importantes para a saúde – quatro doenças ligadas ao microbioma oral

LER MAIS

Pesquisa encontra conexão entre fatores de risco para periodontite e saúde geral
ARTIGOS

Pesquisa encontra conexão entre fatores de risco para periodontite e saúde geral

LER MAIS

Translate:

OJD 117 MAIO 2024

OJD 117 MAIO 2024

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.