JornalDentistry em 2023-1-11

ARTIGOS

Oncologistas do Netherlands C.I. descobriram mais um novo órgão, as “Glândulas Tubárias”

Uma anomalia estranha detetada por exames com (PSMA PET/CT) acabou por ser um órgão inteiramente novo, escondido dentro do rosto.

Pensa  que depois de séculos a abrir corpos  humanos e  estudando o que está lá dentro, teríamos descoberto todos os órgãos , mas está errado. Na verdade, eles parecem estar a aparecer o tempo todo.

Em 2018,  pesquisadores descobriram o maior órgão do corpo, sacos interconectados cheios de líquido que percorrem as estruturas de colágeno e elastina nas áreas abaixo da pele e entre outros órgãos e tecidos do corpo. Não sabia, mas os cientistas acabaram de encontrar outro novo órgão dentro de nós. 

Oncologistas do Netherlands Cancer Institute estavam a usar um novo tipo de exame como parte de sua pesquisa em pacientes com cancro de cabeça e pescoço. Usaram tomografia por emissão de pósitrons/tomografia computadorizada com antígeno de membrana específicos da próstata (PSMA PET/CT), que demonstraram ser uma maneira eficaz de rastrear a disseminação do cancro de próstata pelo corpo. Os pacientes são injetados com glicose radioativa antes da varredura, que destaca os tumores dentro do paciente com um brilho intenso.

Ao usar esta varredura em pacientes, no entanto, a equipe notou duas áreas na cabeça iluminadas inesperadamente. Enquanto examinavam os pacientes, eles encontravam a mesma área iluminada. Descobriu-se que todas as 100 pessoas digitalizadas tinham pontos brilhantes. Não era uma anomalia, era potencialmente um órgão inteiramente novo.

A nova descoberta, descrita na revista Radiotherapy and Oncology, é um conjunto de glândulas salivares – glândulas predominantemente mucosas com múltiplos dutos de drenagem – posicionadas na parte posterior da nasofaringe.

“As pessoas têm três conjuntos de grandes glândulas salivares, mas mas não nessa localização”, explicou o autor do estudo e oncologista Wouter Vogel num comunicado. “Até onde sabíamos, as únicas glândulas salivares ou mucosas na nasofaringe são microscopicamente pequenas e até 1.000 e estão distribuídas uniformemente por toda a mucosa. Imagine nossa surpresa quando encontramos isto.”

A equipe confirmou suas descobertas com colegas do Amsterdam UMC usando cadáveres e agora denominou o mais novo órgão da humanidade de “glândulas tubárias”, referindo-se à sua localização. Postulam que as glândulas podem ser uma causa de complicações para pacientes submetidos à radiação, incluindo disfagia (dificuldade para engolir), e saber sobre elas pode ajudar os oncologistas a evitar essa área para evitar possíveis complicações.

“A radioterapia pode danificar as glândulas salivares, o que pode levar a complicações”, explicou Vogel. “Os pacientes podem ter problemas para comer, engolir ou falar, o que pode ser um fardo real.”

A equipe analisou 723 pacientes que passaram por tratamento de radiação nessa área e descobriu que quanto mais radiação é aplicada na área que contém as glândulas tubárias, mais complicações os pacientes apresentam após a terapia. Esta é realmente uma boa notícia daqui para frente.

“Para a maioria dos pacientes, deve ser tecnicamente possível evitar o fornecimento de radiação nesse local recém-descoberto do sistema de glândulas salivares da mesma forma que tentamos poupar as glândulas conhecidas”, disse Vogel.

“Nosso próximo passo é descobrir a melhor forma de poupar essas novas glândulas e em quais pacientes. Se pudermos fazer isso, os pacientes podem ter menos efeitos colaterais, o que beneficiará sua qualidade de vida geral após o tratamento”.

 

Fonte:  Oral Cancer Foundation  /  www.iflscience.com
Autor: James Felton, Senior Staff Writer                                                                                            Crédito da Imagem: Valstar et al., Radiotherapy and Oncology, 2020 (CC BY-NC-ND 4.0)

Recomendado pelos leitores

Inteligência artificial na Medicina Dentária
ARTIGOS

Inteligência artificial na Medicina Dentária

LER MAIS

Uso de flúor foi consequência de orientações nutricionais equivocadas, diz pesquisador
ARTIGOS

Uso de flúor foi consequência de orientações nutricionais equivocadas, diz pesquisador

LER MAIS

Nova vacina para deteção do cancro oral
ARTIGOS

Nova vacina para deteção do cancro oral

LER MAIS

Translate:

O JORNALDENTISTRY 102 JANEIRO 2023

O JORNALDENTISTRY 102 JANEIRO 2023

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.