O JornalDentistry em 2018-2-28

ARTIGOS

Os hábitos e o modo de comer e beber têm impacto na erosão dentária

De acordo com investigadores do King's College London, a erosão dentária depende de como se come e bebe e não apenas no que se come e bebe. Foram identificaram recentemente os fatores de risco e os hábitos prejudiciais associados ao consumo de alimentos ácidos que resultam na perda de esmalte e dentina.

O estudo comparou a dieta de 300 pessoas com desgaste erosivos severo dos dentes e 300 sem erosão dentária, identificando como os comportamentos diferentes aumentaram o risco de desenvolver essa condição, que afeta mais de 30% dos adultos na Europa e é considerada o terceiro problema dentário mais importante após as cáries e doença das gengivas. 

Comer e beber alimentos e bebidas ácidas, particularmente entre as refeições, aumenta o risco de erosão dentária. Aqueles que consumiram bebidas ácidas duas vezes ao dia entre as refeições, como refrigerantes, água com limão ou chás com sabor a fruta quente, tem mais de 11 vezes maior probabilidade de ter erosão moderada ou severa. Este valor foi reduzido para metade quando as bebidas foram consumidas com as refeições.

Os pesquisadores também identificaram uma variedade de alimentos, bebidas e medicamentos que podem ser erosivos. O principal são bebida a que se adicionou frutos ou aromas de frutas o que aumentam massivamente o potencial erosivo da bebida e colocam-nas a par com bebidas como a cola. O estudo também concluiu que: 

—Os refrigerantes isentos de açúcar são tão erosivos quanto os açucarados. 

—Chás com sabor a frutas, doces com sabor a frutas, pastilhas ou medicamentos têm grande potencial erosivo quando consumidos regularmente. 

—Beber, bochechar e manter por algum tempo a bebidas na boca antes de engolir aumenta o risco de erosão dentária, pois esses hábitos aumentam a duração e/ou a força do contacto entre a bebida ácida e a superfície dos dentes. 

—O aumento de pacientes com erosão dentária pode estar relacionado com mudança dos padrões de consumo.

—As bebidas são mais propensas a causar erosão dentária quando servidas quente. 

—Vinagre e produtos em conserva também podem levar à erosão dentária. 

Segundo o estudo, embora a maioria das pessoas consuma alimentos e bebidas ácidas diariamente, nem todos sofrem de erosão dentária, demonstrando a importância da maneira como são consumidos Descobriram também que algumas pessoas têm hábitos que aumentam a duração e a força com que os ácidos estão em contacto com os dentes. Por exemplo, os provadores de vinho que mantém o vinho boca por períodos prolongados e várias vezes por dia. 

Saoirse O'Toole, BDS, PhD, autor principal do estudo, considera que embora 

Já se soubesse que uma dieta ácida está associada ao desgaste erosivo do dente. No entanto, este estudo mostrou o impacto da maneira como os alimentos e bebidas ácidas são consumidos, Com a prevalência do desgaste dentário erosivo aumentando, é de vital importância abordar este aspeto evitável do desgaste dentário erosivo. Reduzir a ingestão de ácido alimentar pode ser fundamental para retardar a progressão da erosão dentária. Embora a mudança de comportamento possa ser difícil de alcançar, intervenções comportamentais específicas e direcionadas podem ser bem sucedidas 

 

O estudo, “The role of the diet in tooth wear,” , foi publicado pelo British Dental Journal.

Fonte: DentistryToday/King’s College London.

Artigo completo publicado no do DentistryToday: “Eating and Drinking Habits Impact Tooth Erosion"

Recomendado pelos leitores

Anti-inflamatórios não opiódes são mais eficazes eficazes na dor de dente
ARTIGOS

Anti-inflamatórios não opiódes são mais eficazes eficazes na dor de dente

LER MAIS

Saúde oral infantil na Europa - Investigação epidemiológica de crianças de 5 e 12 anos de oito países da UE.
ARTIGOS

Saúde oral infantil na Europa - Investigação epidemiológica de crianças de 5 e 12 anos de oito países da UE.

LER MAIS

Combate às bactérias nos alinhadores e retentores dentais
ARTIGOS

Combate às bactérias nos alinhadores e retentores dentais

LER MAIS

Translate:

OJD 52 JUNHO de 2018

OJD 52 JUNHO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.