O JornalDentistry em 2018-1-09

ARTIGOS

Refluxo gastroesofágico crónico pode aumentar o risco de cancro do pescoço e cabeça

Milhões de idosos americanos sofrem o desconforto do refluxo ácido crónico. Uma pesquisa da Ochsner Clinic Foundation, sugere que esta condição pode aumentar as hipóteses de desenvolvimento de cancro de cabeça e pescoço.

A pesquisa não pode provar causa e efeito, e as chances de qualquer pessoa com azia crónica desenvolver um desses tipos de cancro relativamente raros permanecem baixas, observaram especialistas, contudo  o estudo de quase 28.000 americanos com mais de 65 anos mostrou um risco aumentado. 

Em geral, um histórico de refluxo gastroesofágico, foi associada a quase triplicar as chances de desenvolver cancro da laringe, cerca de 2,5 maiores probabilidades de cancro da faringe, uma duplicação do risco de cancro das amígdalas; e uma probabilidade 40 por cento maior para cancro nos seios. 
Os cancros da cabeça e pescoço do trato respiratório e digestivo superior causam mais de 360 ​​mil mortes mundialmente todos os anos, observaram os pesquisadores. 

O novo estudo foi liderado pelo Dr. Edward McCoul, da Ochsner Clinic Foundation em Nova Orleans -USA foi publicado na revista JAMA Otolaryngology Head & Neck Surgery. 
Um gastrenterologista acha que as conclusões do estudo não são surpreendentes dado o que se sabe sobre o efeito do refluxo ácido em tecidos sensíveis. 
O Dr. Anthony Starpoli. explicou que o material do refluxo do estômago pode elevar-se para o esófago e que os mesmos líquidos podem invadir a garganta, as passagens sinusais e os pulmões, causando inflamação crónica. 

A ligação entre o refluxo gastroesofágico e outro tipo de tumor, cancro de esófago, já é bem conhecida, comentou Starpoli, diretor associado de endoterapia esofágica no Lenox Hill Hospital, na cidade de Nova York. 
No novo estudo, a equipe de investigadores do Dr. McCoul rastreou os dados de 13.805 idosos americanos que tiveram cancros dos tratos respiratórios e digestivos superiores entre 2003 e 2011. As suas histórias médicas foram então comparadas com o mesmo número de idosos sem cancro. 
Enquanto o estudo encontrou uma associação entre refluxo gastroesofágico e o cancro da cabeça e pescoço, a equipe do Dr. McCoul enfatizou que os dados que obtiveram não incluíram informações sobre o histórico de tabagismo e consumo de álcool de cada paciente. Ambos os hábitos são fatores de risco importantes para os cancros da cabeça e pescoço, observaram os autores do estudo, vai ser necessário investigar mais para permitir novas descobertas. Dr. David Hiltzik dirige a otorrinolaringologia no Hospital da Universidade de Staten Island, em Nova York. Ao ler as conclusões do estudo, concordou que não foi projetado para provar a causa e efeito, acredita contudo que a azia crónica continua a ser um potencial carcinógeno e precisa ser tratada quando ocorre. 
é conhecido clinicamente que o refluxo ácido provoca problemas ao longo da vida nas áreas na cabeça e no pescoço. Este estudo reforça o fato de que é necessário abordar essas questões com antecedência e talvez de forma mais agressiva. Os pacientes devem estar mais conscientes de como a sua dieta diária e hábitos comportamentais podem ter sérios efeitos a longo prazo. 

Fonte: Oral Cancer Foundation/ www.upi.com

Artigo original: "Chronic-heartburn-might-increase-chance-of-neck-head-cancers"

Autor: HealthDay News
 

 

 

Recomendado pelos leitores

Ibuprofeno com parecetamol mais eficaz que os opioides no tratamento da dor dentária
ARTIGOS

Ibuprofeno com parecetamol mais eficaz que os opioides no tratamento da dor dentária

LER MAIS

Terapia Periodontal reduz os níveis da Pressão Arterial
ARTIGOS

Terapia Periodontal reduz os níveis da Pressão Arterial

LER MAIS

A resistência ao antibióticos está a aumentar em pacientes com doença periodontal grave
ARTIGOS

A resistência ao antibióticos está a aumentar em pacientes com doença periodontal grave

LER MAIS

Translate:

OJD 53 JULHO de 2018

OJD 53 JULHO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.