JornalDentistry em 2023-5-06

ARTIGOS

Testar HPV, p16 IHC pode ser necessário para ensaios de cancro da orofaringe

O vírus do papiloma humano (HVP) e a discordância p16 podem estar correlacionados com um pior prognóstico para o cancro da orofaringe, de acordo com uma análise de dados individuais do paciente.

 

Pacientes com cancro  da orofaringe discordante p16-negativo, vírus do papiloma humano (HPV) positivo ou p16-positivo, HPV-negativo tiveram um prognóstico significativamente pior em comparação com pacientes que tinham p16-positivo e HPV-positivo e um prognóstico melhor em comparação com aqueles que têm p16-negativo e HPV-negativo. Os dados sugerem a necessidade de imunohistoquímica p16 de rotina e testes obrigatórios de HPV em ensaios clínicos para cancro da orofaringe, de acordo com resultados de análise de dados individuais de pacientes do HNCIG-EPIC-OPC.

 

A taxa de sobrevida global (SG) em 5 anos foi de 81,1% (IC 95%, 79,5%-82,7%) para pacientes com doença p16-positiva, HPV-positiva; 40,4% (IC 95%, 38,6%-42,4%) para aqueles com doença p16-negativa, HPV-negativa; 53,2% (IC 95%, 46,6%-60,8%) para aqueles com doença p16-negativa, HPV-positiva; e 54,7% (IC 95%, 49,2%-60,9%) para aqueles com doença p16-positiva, HPV-negativa. Além disso, a sobrevida livre de doença (SLD) em 5 anos foi de 84,3% (IC 95%, 82,9%-85,7%), 60,8% (IC 95%, 58,8%-62,9%), 71,1% (IC 95%, 64,7%-78,2%) e 67,9% (IC 95%, 62,5%-73,7%) para cada grupo de pacientes.

 

Os investigadores desta análise multicêntrica e internacional de dados individuais de pacientes incluíram coortes retrospetivas e prospetivas com um tamanho mínimo de pelo menos 100 pacientes com carcinoma espinocelular primário da orofaringe. Os pacientes foram submetidos a exames de imagem transversais; confirmação histológica por biópsia; e tratamento com cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou terapêutica combinada para o cancro da orofaringe.

 

Os objetivos primários da análise incluíram OS, DFS e a proporção de doentes na coorte global que apresentaram diferentes combinações de resultados de p16 e HPV.

 

Foram incluídos na análise doentes com diagnóstico de carcinoma espinocelular primário de cancro da orofaringe e dados sobre imunohistoquímica p16 e testes de HPV. Outros critérios de inclusão incluíram ter informações sobre idade, sexo e uso de álcool e tabaco; estádio da doença por tumor-nódulo-metástase (TNM); informação sobre os tratamentos recebidos; e dados sobre desfechos clínicos e acompanhamentos.

 

Em 13 estudos elegíveis, os investigadores avaliaram um total de 7654 doentes com cancro da orofaringe que tinham dados disponíveis de p16 e HPV. A mediana de idade dos pacientes foi de 60,0 anos (intervalo interquartílico, 53,0-67,0), 74,7% dos pacientes eram do sexo masculino e 76,5% eram fumadores atuais ou ex-fumadores. Um total de 78,8% dos doentes tinha doença localmente avançada.

 

Na população geral de pacientes, 46,5% tinham doença p16-negativa, HPV-negativa; 44,3% tinham doença p16-positiva, HPV-positiva; 3,8% tinham doença p16-negativa, HPV-positiva; e 5,4% tinham doença p16-positiva, HPV-negativa. A proporção de pacientes com doença p16-negativa, HPV-positiva diferiu significativamente por região geográfica e foi maior em áreas com as menores frações atribuíveis ao HPV (r = –0,744; P = ,0035).

 

De notar, as taxas de negatividade do HPV entre os pacientes com doença p16-positiva foram menores naqueles com tumores da amígdala e base da língua (9,0%) em comparação com aqueles que tinham tumores em outros subsítios (29,7%; Pág. <,0001). A taxa de pacientes com doença p16-negativa, HPV-positiva foi de 8,4% para aqueles com tumores da amígdala e base da língua e 6,1% para aqueles com tumores em outros subsítios (P <,0001). Os investigadores observaram que uma proporção maior de não bebedores e que nunca fumaram tinha p16-positivo e HPV-positivo do que em qualquer outro grupo, e uma maior proporção entre os  fumandores e cnsumidores de álcool tinha p16-negativo, HPV-negativo do que em qualquer outro grupo. "... A nossas análises de subgrupo mostram que o prognóstico de pacientes com cancro daorofaringe discordante [p16-positivo, HPV-negativo] depende de seu status de fumador. Nunca os fumadores têm um prognóstico significativamente melhor do que  os  nâo fumadores, e os seus resultados são semelhantes (mas ligeiramente piores ) dos pacientes  com doença p16-positiva e HPV-positiva", afirmaram os autores do estudo.

 

Fonte: Oral Cancer Foundation / www.cancernetwork.com

Autor: Russ Conroy

Arigo original OCF

Recomendado pelos leitores

Novo método para testar o cancro oral
ARTIGOS

Novo método para testar o cancro oral

LER MAIS

Microbioma oral e cancro: um olhar mais atento sobre as intrincadas interações do mundo oculto da boca
ARTIGOS

Microbioma oral e cancro: um olhar mais atento sobre as intrincadas interações do mundo oculto da boca

LER MAIS

Os higienistas orais como peça fundamental na prevenção da saúde oral
ARTIGOS

Os higienistas orais como peça fundamental na prevenção da saúde oral

LER MAIS

Translate:

O JORNALDENTISTRY 117 MAIO 2024

O JORNALDENTISTRY 117 MAIO 2024

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.