O JornalDentistry em 2018-5-07

ENTREVISTA

“A formação é a principal prioridade da SOPIO"

Em 2017, o I Meeting da Sociedade Portuguesa de Implantologia e Osteointegração – SOPIO, recebeu mais de duas centenas de médicos dentistas. Na edição deste ano, que se realiza a 26 de maio na Alfândega do Porto, a prioridade continua a ser a formação, já que a Sociedade pretende afirmar-se como uma referência na área de reabilitação oral com implantes e osteointegração.

Dr. Jorge Pereira

O Dr. Jorge Pereira, presidente da comissão organizadora do II Meeting SOPIO, revela-nos os moldes do evento.


O JornalDentistry – Quais as expetativas da SOPIO para este II Meeting? 
Dr. Jorge Pereira – A SOPIO nasceu da vontade de dar resposta aos interesses dos colegas que veem na implantologia um recurso fundamental para lograr a reabilitação funcional e estética do sistema estomatognático sem discriminar fases ou procedimentos cirúrgicos e protéticos, de forma a aglutinar interesses e aumentar a partilha das soluções. A formação, através da promoção e divulgação de eventos científicos, é a principal prioridade da SOPIO. Como no I Meeting, os colegas aderiram de forma entusiasta ao projeto, numa clara demonstração de credibilidade, neste II Meeting decidimos assumir a responsabilidade de realizar um evento internacional, capaz de cativar um número ainda maior de inscrições relativamente ao primeiro evento. 

O JornalDentistry – Quais os principais objetivos do II Meeting SOPIO? 
Dr. Jorge Pereira – Neste II Meeting SOPIO, para além da divulgação de novos conceitos e de fundamentos criteriosos essenciais para a tomada de decisões clínicas baseadas em evidência, temos como objetivo reforçar a credibilidade da SOPIO a nível nacional e afirmá-la como uma referência internacional na organização de eventos científicos e formativos na área da reabilitação com implantes e da osteointegração. 

O JornalDentistry –O que trará de novo à discussão em torno da implantologia e osteointegração? 
Dr. Jorge Pereira – A implantologia e a osteointegração são áreas extraordinariamente dinâmicas, fruto do desenvolvimento de novas técnicas e materiais arautos da perfeição que merecem um escrutínio e discussão sérios centrados nas indicações e limitações, tendo em conta o desafio cada vez mais complexo e individualizado que enfrentamos nos dias de hoje quando abordamos uma reabilitação oral cada vez mais exigente no que concerne à gestão das expetativas. 
O que destacaria do programa científico do próximo meeting da SOPIO? 
Foi uma preocupação construir um programa com um alinhamento transversal, percorrendo intencionalmente as áreas cirúrgicas – quer ao nível da reconstrução óssea tridimensional das cristas alveolares edêntulas, quer no que respeita à decisão sobre a gestão das limitações dentro de uma perspetiva menos invasiva, e indo até à reabilitação protética, com a modelação provisória dos tecidos e mimetização final da ou das peças dentárias per- didas ou ausentes. Porque os pacientes são a parte fundamental deste desafio, decidimos abordar as questões relacionadas com o grupo etário que representará a nossa realidade populacional mais significativa num futuro muito próximo, os pacientes geriátricos. Se todas estas questões são relevantes, não menos o é o tratamento das complicações, cada vez mais frequentes, algumas vezes quase incontornáveis e outras resultantes de alguma falta de critério, inerentes a uma universalização pouco criteriosa deste tipo de reabilitações. 

 

Informações: www.sopio.pt

Entervista publicada no "O JornalDentistry" de abril 2018 edição impressa e digital

Recomendado pelos leitores

VII Reunião da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria (SPOP)
ENTREVISTA

VII Reunião da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria (SPOP)

LER MAIS

“As grandes mudanças passarão pela digitalização do diagnóstico, planeamento e execução”
ENTREVISTA

“As grandes mudanças passarão pela digitalização do diagnóstico, planeamento e execução”

LER MAIS

Translate:

OJD 51 MAIO de 2018

OJD 51 MAIO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES