O JornalDentistry em 2018-3-21

ENTREVISTA

"O conhecimento da prática diária de medicina dentária permite uma mais correta transposição dos problemas para o campo da investigação"

A Dra. Ana Messias, docente de medicina dentária da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), venceu o 1o Prémio do Portugal Clinical Scholars Research Training Program da Harvard Medical School.

Dr. Ana Messias recebe o 1o Prémio do Portugal Clinical Scholars Research Training Program, da Harvard Medical School.

A docente e investigadora conversou com "O JornalDentistry" sobre o seu percurso.

 O trabalho de investigação “Peri-implant marginal bone loss reduction with platform switching components: 5-year post-loading results of an equivalence randomized clinical trial” valeu à Dra. Ana Messias, da FMUC, a distinção do Portugal Clinical Scholars Research Training Program (PTCSRT), da Harvard Medical School. O prémio foi entregue durante a cerimónia de graduação do Curso de 2016/2018 do PTCSRT, numa colaboração com a Fundação para a Ciência e Tecnologia. 
O PTCSRT tem como principal objetivo aprofundar conhecimentos e desenvolver capacidades para uma investigação clínica de qualidade e admite 30 participantes, correspondentes a apenas 10% do número de candidaturas recebidas e que resultam de um exigente processo de seleção. 

O JornalDentistry – Dedica o seu tempo à prática clínica e à investigação científica. Como é aliar estes dois campos? 

Dra. Ana Messias – Aliar uma prática clínica exaustiva e a investigação científica exige um grande espírito de sacrifício pessoal e só é possível com fantásticas equipas de apoio na prática clínica, na investigação e também no campo familiar. Todavia, a conclusão de investigações é sempre compensadora e a elaboração de novos projetos sempre entusiasmante. 
O JornalDentistry – Que benefícios lhe traz a prática clínica para o campo da investigação? 
Dra. Ana Messias – O conhecimento da prática diária de medicina dentária permite uma mais correta transposição dos problemas para o campo da investigação e, por outro lado, cria maior capacidade para encontrar soluções para os percalços que surgem, por exemplo, durante a realização de ensaios experimentais. 
O JornalDentistry – Qual era a sua questão de investigação? Quais os objetivos primários e secundários, assim como as hipóteses em estudo? 
Dra. Ana Messias – Este projeto foi elaborado por uma equipa multicêntrica que juntou a Universidade de Coimbra e as Universidades de Mainz e Kiel naAlemanha. A equipa portuguesa, a que tenho o privilégio de pertencer, é constituída pelo Dr. Salomão Rocha, Prof. Doutor Pedro Nicolau e Prof. Doutor Fernando Guerra. São os principais responsáveis pelo sucesso do projeto que visa avaliar o efeito do uso de  pilares protéticos de dimensão horizontal discrepante (platform switching) na reabilitação de implantes coloca- dos na região posterior da mandíbula, quando comparado com o uso de pilares regulares. O objetivo primário era a avaliação dos níveis ósseos marginais por um período de cinco anos após a carga dos implantes. Adicionalmente, procurou caraterizar-se o desempenho clínico do grupo de implantes reabilitados com pilares discrepantes e com pilares regulares. 
O JornalDentistry – Quais foram os resultados obtidos e com que nível de significância? 
Dra. Ana Messias – Clinicamente, os implantes reabilitados com pilares discrepantes demonstraram um desempenho semelhante ao dos implantes reabilitados com pilares regulares. No entanto, a nível radiográfico, os implantes com plataforma discrepante apresentaram, após cinco anos de serviço, reabsorção óssea marginal cerca de 0.3mm inferior. Este é um dado significativo a reter do presente estudo que, pela isenção de vieses no seu desenho e pela consistência dos resultados, permite afirmar a superioridade do conceito de plataforma discrepante. 
O JornalDentistry – Que bibliografia científica pode recomendar aos nossos leitores sobre este tema? 
Dra. Ana Messias – Os resultados preliminares deste estudo têm vindo a ser divulgados sob a forma de artigos científicos, comunicações orais, etc. Os leitores poderão consultar os artigos previamente publicados disponibilizados em regime de acesso livre no Journal of Clinical Periodontology: 


1. Guerra, F., Wagner, W., Wiltfang, J., Rocha, S., Moergel, M., Behrens, E. & Nicolau, P. (2014) Platform switch versus platform match in the posterior mandible: 1-year results of a multicentre randomized clinical trial. Journal of Clinical Periodontology 41, 521-529. doi:10.1111/jcpe.12244. 
2. Rocha, S., Wagner, W., Wiltfang, J., Nicolau, P., Moer- gel, M., Messias, A., Behrens, E. & Guerra, F. (2016) Effect of platform switching on crestal bone levels around implants in the posterior mandible: 3 years results from a multicentre randomized clinical trial. Journal of Clinical Periodontology 43, 374-382. doi:10.1111/jcpe.12522. 

Artigo publicado na edição impressa e digital do "O JornalDentistry" de março 2018

Recomendado pelos leitores

“A evolução do Ortodontia tem sido fantástica nos últimos 20 anos”
ENTREVISTA

“A evolução do Ortodontia tem sido fantástica nos últimos 20 anos”

LER MAIS

“Tentaremos elucidar e guiar os nossos associados nas incursões pelo mundo digital”
ENTREVISTA

“Tentaremos elucidar e guiar os nossos associados nas incursões pelo mundo digital”

LER MAIS

Translate:

OJD 53 JULHO de 2018

OJD 53 JULHO de 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.