O JornalDentistry em 2021-9-05

NOTÍCIAS

Existe alguma conexão entre a saúde oral e o COVID-19?

Médicos e pesquisadores estão investigando os muitos efeitos do COVID-19 e seu possível impacto nos dentes, gengivas e cavidade oral.

Há alguma ligação?

Não parece haver muita pesquisa a sugerir que o COVID-19 pode levar à má saúde oral. No entanto, um estudo de 2021 sugere que a má saúde oral pode desempenhar um papel na infeção por SARS-CoV-2.

O estudo observa que a boca pode atuar como um ponto de entrada para o SARS-CoV-2 porque as células da língua, gengivas e dentes têm enzimas conversoras de angiotensina-2 (ACE2). Este é o receptor de proteína que permite que o vírus entre nas células.

Em pessoas  com uma má saúde oral, a presença de receptores ACE2 parece ser maior e pode também haver uma conexão entre a doença da gengiva e alterações na placa dental com risco aumentado de complicações do COVID-19.

Os pesquisadores sugerem que a falta de higiene oral pode aumentar a chance de bactérias viajarem da boca para os pulmões. Isso pode, então, aumentar o risco de desenvolver uma infeção bacteriana, além do COVID-19.

 

COVID-19 e o acesso à saúde oral

A saúde oral é uma parte importante da saúde e do bem-estar geral de uma pessoa.

O acesso à assistência dentária é importante na redução dos estágios iniciais das doenças orais.

A pandemia COVID-19 levou à redução  ao encerramento dos consultórios e clínicas dentárias, exceto no caso de procedimentos de emergência. Isso limitou a capacidade das pessoas de aceder a cuidados de rotina.

 

Existe alguma conexão entre a saúde oral e o COVID-19?

A má higiene oral pode levar ao acumulação de bactérias que se grudam nos dentes e formam placa dental. Esta é uma causa comum de gengivite.

Especula-se também que ter uma doença debilitante como o COVID-19 pode significar que uma pessoa é menos propensa a praticar uma boa higiene bucal. Isso permite que a placa dental cresça, o que aumenta o risco de gengivite.

Os pesquisadores também sugerem que a gengivas a sangrar pode ser um sintoma de COVID-19. Observaram que os sintomas de gengivite diminuíram após a redução do COVID-19.

No entanto, estas descobertas são baseados num estudo com poucas pessoas. Mais pesquisas numa população mais ampla são necessárias para confirmá-las.

 

O COVID-19 pode causar sensibilidade dentária?

Não parece haver nenhuma pesquisa a sugerir que há uma ligação direta entre o COVID-19 e a sensibilidade dentária.

Uma pessoa experimenta sensibilidade dentária quando o esmalte, fica danificado ou enfraquecido.

 

COVID-19 e boca seca

A boca seca, ou xerostomia, ocorre quando a quantidade de é  saliva inadequada para manter a boca húmida. Isso dificulta engolir os alimentos.

A boca seca pode ser um sintoma precoce do COVID-19, e foi um dos sintomas orais mais comuns relatados por 108 pessoas num estudo do The Lancet. No entanto, as razões para isso ainda não estão claras.

Os autores do estudo dizem que a boca seca pode ser um efeito direto do vírus SARS-CoV-2 ao  infetar e danificar as glândulas salivares. Também pode ocorrer devido à má higiene oral ou como efeito colateral do tratamento COVID-19.

Sem tratamento, a boca seca pode aumentar o risco de infecões na boca.

 

COVID-19 e úlceras orais

Como outras infecções virais, o SARS-CoV-2 prejudica o sistema imunológico e torna a pessoa suscetível a outras condições secundárias.

Algumas pessoas depois de recuperar desta infeção têm observado úlceras na boca. cas.

Uma úlcera pode desenvolver-se como um patch branco na língua, gengivas ou céu da boca.

Alguns outros sintomas incluem. As úlceras orais tendem a se resolver-se por si entre 1 a 2 semanas, deve-se consultar um médico se as úlceras persistirem por mais de 3 semanas, pois isso pode indicar outra infeção oportunista.

 

O COVID-19 pode causar dentes rachados?

De acordo com a American Dental Association, os dentistas observaram um aumento de 59% de bruxismo, e um aumento de 53% nos dentes lascados e rachados desde o início da pandemia COVID-19.

Eles sugerem que isso pode ocorrer como resultado de níveis mais elevados de ansiedade durante a pandemia e má postura resultante de um ambiente de trabalho fora de casa.

Casos de dentes lascados ou rachados também ocorreram em pessoas com COVID-19 grave. Um estudo de fonte confiável sugere que as pessoas em cuidados críticos, como aqueles que precisam de ventiladores, experimentam uma série de complicações, incluindo dentes lascados.

 

 

 

 

Recomendado pelos leitores

Estudo concluiu que os procedimentos dentários durante  a pandemia não são  arriscados
NOTÍCIAS

Estudo concluiu que os procedimentos dentários durante a pandemia não são arriscados

LER MAIS

Como será no futuro a IA na medicina dentária
NOTÍCIAS

Como será no futuro a IA na medicina dentária

LER MAIS

Bons hábitos de escovagem dos dentes das crianças pode estar ligado ao bem-estar das mães
NOTÍCIAS

Bons hábitos de escovagem dos dentes das crianças pode estar ligado ao bem-estar das mães

LER MAIS

Translate:

OJD 87 SETEMBRO 2021

OJD 87 SETEMBRO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.