O JornalDentistry em 2021-8-23

NOTÍCIAS

Qual é a eficacia cada uma das vacinas aprovadas para a COVID-19 contra a variante Delta?

A vacina da Pfizer de acordo com estudos efetuados por Israel é menos eficaz contra a variante Delta do que julgava - O que precisa saber sobre as vacinas e a variante Delta

A vacina Covid-19 da Pfizer é significativamente menos eficaz na prevenção da infeção com a variante Delta do que as estirpes anteriores do coronavírus, sugerem os dados  de um estudo realizado  em julho do Ministério da Saúde de Israel, um revés à medida que países de todo o mundo lutam para conter a forma hiper-contagiosa de surtos de transmissão do Covid-19 entre crianças e jovens.

Uma vacinação completa (2 doses) da Pfizer-BioNTech é 64% eficaz na prevenção do Covid-19 sintomático [da variante Delta], de acordo com o estudo  de Israel reportado, muito inferior às estimativas anteriores de quase 90%.
A vacina parece ser altamente eficaz, 93%, na prevenção de doenças graves e hospitalização, os dados mostram, também  que é ligeiramente inferior do que para outras variantes.
A empresa de biotecnologia Moderna, que se baseia no mesmo tipo de tecnologia da Pfizer, disse que a sua vacina continua eficaz contra a variante Delta e que as amostras de sangue de indivíduos totalmente vacinados mostram apenas uma "redução modesta" dos anticorpos.
Estudos iniciais indicam que a vacina da Johnson & Johnson, a terceira autorizada a ser usada nos EUA, também é eficaz contra a variante, segundo a empresa, gerando imunidade que dura pelo menos oito meses.
Estudos realizados no Reino Unido, onde a Delta é responsável por praticamente todos os novos casos de Covid-19, consideraram que a vacina AstraZeneca é cerca de 60% eficaz na prevenção da doença sintomática e cerca de 90% eficaz na prevenção de doença grave e internamento, uma queda modesta em comparação com a variante Alpha que anteriormente era a  dominante.


A maioria das empresas farmacêuticas , incluindo a AstraZeneca, Pfizer e Moderna, já estão a trabalhar numa dose  de reforço para a Covid-19, o que pode aumentar a imunidade ao longo do tempo e dar uma proteção adicional contra novas variantes do vírus. Ainda não está claro quando será necessário um reforço . Há também uma série de ensaios que exploram que vacina deve ser usada como impulsionador e se seria mais eficaz "misturar e combinar" diferentes tipos.

Estudo recente realizado nos Países Baixos revela que pessoas totalmente vacinadas e que se infetam com o SARS-COV2, embora tenham a mesma carga vírica  do que os não vacinados, tem contudo menos capacidade para infetar terceiros.

 


Fonte: Genetic Literacy project

Artigo original

Recomendado pelos leitores

Estudo concluiu que os procedimentos dentários durante  a pandemia não são  arriscados
NOTÍCIAS

Estudo concluiu que os procedimentos dentários durante a pandemia não são arriscados

LER MAIS

Existe alguma conexão entre a saúde oral e o COVID-19?
NOTÍCIAS

Existe alguma conexão entre a saúde oral e o COVID-19?

LER MAIS

Como será no futuro a IA na medicina dentária
NOTÍCIAS

Como será no futuro a IA na medicina dentária

LER MAIS

Translate:

OJD 87 SETEMBRO 2021

OJD 87 SETEMBRO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.