O JornalDentistry em 2016-3-17

ARTIGOS

Investigação deteta ligações entre a doença da gengivas e o declínio cognitivo na doença de Alzheimer

Um estudo realizado por investigadores ingleses encontrou ligações entre a doença da gengivas e um aumento da taxa de declínio cognitivo em pacientes com estágios iniciais da doença de Alzheimer.

O estudo foi conduzido conjuntamente pela University of Southampton e pelo King’s College London.
A periodontite é uma doença comum em pessoas idosas  e pode  tornar-se mais frequente na doença de Alzheimer por causa da redução da capacidade de cuidar da higiene oral. Em estudos anteriores, níveis mais elevados de anticorpos contra bactérias periodontais eram associados a um aumento dos níveis de moléculas inflamatórias noutras partes do corpo, que por sua vez eram associada a maiores taxas de declínio cognitivo na doença de Alzheimer.

No estudo mais recente, publicado na revista PLOS ONEeste ano, realizado para determinar se a periodontite está associada com o aumento da gravidade da demência e subsequentemente de maior progressão no declínio cognitivo em pessoas com doença de Alzheimer.

No estudo foram observados, 59 participantes com ligeira a moderada  doença de Alzheimer. Os participantes  foram  avaliado cognitivamente e  amostras de sangue foram retiradas para medir os bio marcadores inflamatórios no sangue. A saúde oral dos participantes foi avaliada por  médicos dentistas sem atender  aos resultados cognitivos. A maioria dos participantes (52) foram acompanhados durante seis meses, e no fim desse período reavaliados.

A presença da doença da gengivas no início do estudo foi associado com um aumento de seis vezes da taxa de declínio cognitivo nos participantes durante o período do estudo e  acompanhamento (Seis meses).  Os autores concluiram que a doença periodontal está associada a um aumento no declínio cognitivo na doença de Alzheimer, possivelmente devido ao mecanismos de resposta ao processos inflamatórios do organismo.

As limitações do estudo são o pequeno número de participantes,  os autores recomendam que o estudo deve ser replicado  com um grupo maior de pacientes. Os mecanismos precisos pelos quais a doença das gengivas pode estar ligados ao declínio cognitivo não são totalmente claros e também outros fatores  pode desempenhar um papel no declínio cognitivo dos participantes juntamente com a sua saúde oral.

No entanto, cada vez mais evidências a partir de um número de estudos liga a resposta inflamatória do corpo a um aumento das taxas de declínio cognitivo, sugerindo que valia a pena verificar se o tratamento da doença das gengivas pode também beneficiar o tratamento de demência e da doença de Alzheimer.

Fonte: University of Southampton
Artigo original:

“Link between gum disease and cognitive decline in Alzheimer’s”
Adaptação: OJD
www.southampton.ac.uk/news/2016/03/gum-disease-alzheimers.page

Referências:
Mark Ide, Marina Harris, Annette Stevens, Rebecca Sussams, Viv Hopkins, David Culliford, James Fuller, Paul Ibbett, Rachel Raybould, Rhodri Thomas, Ursula Puenter, Jessica Teeling, V. Hugh Perry, Clive Holmes.

 

Recomendado pelos leitores

Hipersalivação: Causas e tratamento
ARTIGOS

Hipersalivação: Causas e tratamento

LER MAIS

A má saúde oral pode provocar um maior risco de fragilidade nos idosos
ARTIGOS

A má saúde oral pode provocar um maior risco de fragilidade nos idosos

LER MAIS

Os anestésicos gerais fazem mais do que induzir o sono
ARTIGOS

Os anestésicos gerais fazem mais do que induzir o sono

LER MAIS

Translate:

OJD 47 JANEIRO 2018

OJD 47 JANEIRO 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES