O JornalDentistry em 2018-10-04

ARTIGOS

As taxas de cancro relacionadas ao VPH superam as vacinas

Os Centros DCP - Disease Control and Prevention dos EUA, relatam que os cancros ligados ao vírus do papiloma humano (VPH), aumentaram drasticamente num período de 15 anos, assim como aumentou a taxa de jovens vacinadas

Os 43.371 novos casos de cancro associados ao VPH relatados em 2015 nos EUA representam um salto de 44% em relação aos 30.115 casos registados em 1999, de acordo com a análise do DCP. As taxas de vacinação contra o VPH melhoraram ao longo dos anos, mas não o suficiente para travar o aumento de cancro. O cancro orofaríngico, foi o mais comum associado ao VPH em 2015, com 15.479 casos entre homens e 3.438 entre mulheres. O vírus do papiloma humano infeta cerca de 14 milhões de pessoas por ano. Entre 1999 e 2015, as taxas de cancro da garganta e do colo do útero aumentaram, as taxas de cancro vaginal e do colo do útero diminuíram, e as taxas de cancro do pénis mantiveram estáveis, de acordo com o DCP. 

Segundo o Dr. Sangini Sheth, Prof. assistente de obstetrícia, ginecologia e ciências reprodutivas na Yale School of Medicine e diretor médico e também diretor de displasia cervical e colposcopia no Centro das Mulheres de Yale New HavenHospital, o aumento global parece ser principalmente impulsionado pelo cancro orofaríngico. A vacinação é a chave para prevenir esses tipos de cancros. 
O cancro orofaríngico é mais comum nos homens. A taxa de vacinação de rapazes é definitivamente menor que a das raparigas. O esforço para vacinar adolescentes contra o HPV é um desenvolvimento relativamente recente. A vacinação foi incluída no programa de vacinação de rotina nos EUA, para mulheres em 2006 e para homens em 2011, de acordo com o DCP. 
Durante muito tempo, a vacina contra o VPH foi visto em grande parte para prevenir doenças sexualmente transmissíveis.  Atualmente a vacina , é comercializado como uma vacina contra o cancro e os pais se tornaram mais recetivos. 
Em 2017, 65,5 por cento dos adolescentes entre os 13 a 17 anos de idade, nos EUA tinham pelo menos uma dose de vacina contra o HPV, um aumento de 5,1 pontos percentuais em relação a 2016, segundo dados do DCP divulgados em agosto.

Em Connecticut, 75,4% das raparigas entre 13 e 17 anos tinham uma dose da vacina, 67,1% tinham duas doses e 58,4 receberam três doses. Entre os rapazes, 67,3 por cento receberam uma dose, 58,8 por cento receberam duas e 37,8 por cento receberam três, segundo dados de 2017. Apesar dos ganhos gerais davacinação contra o VPH, os obstáculos permanecem. A disparidade de género persiste, e muitos adolescentes receberam a primeira vacina, mas não conseguiram as doses subsequentes necessárias. 
As crianças de 11 ou 12 anos devem tomar duas doses da vacina contra o VPH com seis a 12 meses de intervalo, de acordo com o DCP. Três doses são recomendadospara pessoas com idades entre os nove e os 26 anos com certas condições imunocomprometidos. 
Muitas pessoas associam a vacina contra o  VPH à prevenção de cancros femininos, é necessário insistir que a vacina não é apenas para prevenção cancros femininos Cólon do útero e vagina) é também para prevenção de cancros masculinos, como por exemplo o cancro do pénis. Embora seja encorajador que as taxas de vacinação estejam a subir, simplesmente não se pode ver o benefício disso nos próximos anos, vai levar muito tempo para ver o efeito benéfico desta medida.  Após a infeção pelo VPH, pode levar anos para o desenvolvimento de um cancro. 
Muitas pessoas expostas ao VPH felizmente nunca terão cancro. O cancro associado ao VPH mais comum entre as mulheres é o cancro do colo do útero. Os dados mostram que as taxas desse cancro estão a diminuir, fruto da vacinação, mas existem disparidades raciais. 
É crucial que os médicos conversem com seus pacientes sobre a vacina contra o VPH. 

Nota:  Este artigo foi realizada em parceria com o Connecticut Health I-Team, uma organização de notícias sem fins lucrativos dedicada a reportagens de saúde. 
(c-hit.org) 

Fonte: Oral Cancer Foundation/ www.ctpost.com

Autor: Cara Rosner, Conn. Health

Artigo original completo: “HPV-related cancer rates outpace vaccinations”

 

Recomendado pelos leitores

Como as bactérias orais comuns tornam o cancro do cólon mais mortal
ARTIGOS

Como as bactérias orais comuns tornam o cancro do cólon mais mortal

LER MAIS

Especialistas da FDI publicam orientação sobre administração de antibióticos em Medicina Dentária
ARTIGOS

Especialistas da FDI publicam orientação sobre administração de antibióticos em Medicina Dentária

LER MAIS

Diabetes não detetados  ligados  a ataque cardíaco e doença gengival
ARTIGOS

Diabetes não detetados ligados a ataque cardíaco e doença gengival

LER MAIS

Translate:

OJD 64 JULHO 2019

OJD 64 JULHO 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.