O JornalDentistry em 2019-2-05

ARTIGOS

Cientistas encontram patógeno bacteriano (Porphyromonas gingivalis) em cérebros de pacientes com Alzheimer

Ciência descobre como um culpado improvável, a bactéria Porphyromonas gingivalis (Pg) , comummente associado com doença gengival crónica - parece conduzir a doença de Alzheimer. Um artigo publicado recentemente no Science Advances detalha como os pesquisadores identificaram a Porphyromonas gingivalis no cérebro de pacientes com doença de Alzheimer.

O pesquisador Jan Potempa, Ph.D., do Departamento de Imunologia Oral e Doenças Infecciosas da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Louisville fez parte da equipe de cientistas internacionais liderados pela Cortexyme Inc., uma empresa privada de ensaios clínico farmacológicos. 

De acordo com Potempa, embora agentes infecciosos tenham sido implicados no desenvolvimento e progressão da doença de Alzheimer, as evidências de causalidade não foram convincentes. 

Entretanto, Porphyromonas gingivalis está explicitamente implicado na causa ou morbidade da doença de Alzheimer.

Em modelos animais, a infeção oral por P gingivalis levou à colonização do cérebro e aumentou a produção de beta-amiloide (Aβ), um componente das placas amiloides comummente associadas à doença de Alzheimer. 

A equipe do estudo também encontrou enzimas tóxicas do organismo, nos neurônios de pacientes com doença de Alzheimer. As Gingipain, uma protease segregada pela P gingivalis, é transportadas para as membranas bacterianas externas e ficou demonstrado que medeiam a toxicidade da P gingivalis numa uma variedade de células. A equipe correlacionaram os níveis de gingipain com patologia relacionada a dois marcadores: tau, uma proteína necessária para a função neuronal normal, e ubiquitina, uma proteína que marca proteínas danificado. 

Procurando bloquear a neurotoxicidade induzida pela P gingivalis, a Cortexyme começou a projetar uma série de pequenas terapias moleculares visando as gengipain das P gingivalis. Em experiências pré-clínicas descritos no estudo, os investigadores demonstraram que através da inibição do composto COR388 , houve redução da carga bacteriana de uma indicção cerebral estabelecida por P gingivalis , bloqueou a produção de AB42, reduziu a neuroinflamação e protegeu os neurónios no hipocampo - a parte do cérebro que medeia a memória e frequentemente se atrofia no início do desenvolvimento da doença de Alzheimer.

Em outubro de 2018, a Cortexyme anunciou os resultados do seu ensaio clínico fase 1b do COR388 no 11º Clinical Trials in Alzheimer's Disease Conferencer. 

O COR388 apresentou tendências positivas em vários testes cognitivos em pacientes que sofrem de doença de Alzheimer, e a Cortexyme planeia em 2019 iniciar um estudo clínico de Fase 2 e 3 do COR388 em doença de Alzheimer leve a moderada .

 

Fonte: ScienceDaily - University of Louisville

Artigo ScienceDaily: “New science details discovery of bacterial pathogen in brains of Alzheimer's patients”

Recomendado pelos leitores

Como as bactérias orais comuns tornam o cancro do cólon mais mortal
ARTIGOS

Como as bactérias orais comuns tornam o cancro do cólon mais mortal

LER MAIS

Especialistas da FDI publicam orientação sobre administração de antibióticos em Medicina Dentária
ARTIGOS

Especialistas da FDI publicam orientação sobre administração de antibióticos em Medicina Dentária

LER MAIS

Estudo conclui que uma higiene oral eficaz pode ajudar  a evitar disfunção erétil
ARTIGOS

Estudo conclui que uma higiene oral eficaz pode ajudar a evitar disfunção erétil

LER MAIS

Translate:

OJD 64 JULHO 2019

OJD 64 JULHO 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.