O JornalDentistry em 2018-12-10

ARTIGOS

Pesquisador da University of Cincinnati estuda elixir oral para deteção de cancro com ajuda da ACS

Scott Langevin, médico, professor assistente no Departamento de Saúde Ambiental e membro do Cincinnati Cancer Center (CCC) e do UC Cancer Institute, foi recentemente premiado com US $ 782.000 pela American Cancer Society (ACS) para continuar a pesquisa, sobre um elixir oral que se espera vir a ajudar na deteção da recorrência em estágios iniciais desses tipos de cancros .

O Dr. Scott Langevin  tinha recebido anteriormente do National Cancer Institute um prémio K22 para iniciar este estudo. 

Em 2017, o cancro orofaríngico, foi responsável por um número estimado de 49.670  de novos casos  diagnosticados por ano com 9.700 mortes nos EUA, e com  resultados para pacientes com esse cancro relativamente baixos. Cerca de metade desses pacientes terão recorrência do cancro dentro de 2 anos após o tratamento. 

A deteção precoce de tumores recorrentes está associada a melhores resultados clínicos, portanto há uma clara necessidade de novos testes que possam ajudar a facilitar a deteção precoce.

Os pesquisadores a trabalhar no seu laboratório identificaram previamente um painel de bio-marcadores composto por 22 áreas de DNA. Com base na quantidade de uma determinada molécula ligada a essas áreas - um processo chamado metilação do DNA - os cientistas poderão identificar a presença de cancro orofaríngico com um alto nível de precisão usando amostras não invasivas do elixir oral. 

"Com este projeto, esperamos avaliar o potencial deste painel de metilação do elixir oral como uma ferramenta clínica para a deteção precoce da recorrência do cancro após o diagnóstico e tratamento", considera o Dr.Langevin. Isso ajudará a desenvolver um novo teste que possa reduzir o impacto desses cancros.” 

O Dr. Langevin acrescenta que a sua equipe vai observar atentamente a metilação dentro dos próprios tumores para melhorar a compreensão da prevalência e extensão dessas alterações nos cancros orais. 

O Dr. Langevin e os co-pesquisadores clínicos, Dra. Trisha Wise-Draper e Dra. Alice Tang, irão identificar e recrutar um conjunto de pacientes diagnosticados com cancro oral para recolher regularmente amostras do elixir oral, aproximadamente a cada 3 meses durante dois anos, após o diagnóstico inicial e tratamento. A equipe irá catalogar os padrões de metilação nas 22 áreas que compõem o painel de bio-marcadores e documentar como eles impactam a expressão genética aplicando técnicas de sequenciamento do DNA e do RNA em tumores correspondentes e tecidos normais de pacientes com cancro de boca e garganta.

A equipe irá avaliar o uso potencial do painel de metilação do elixir oral como uma ferramenta para a deteção precoce da recorrência do cancro durante os primeiros 2 anos de acompanhamento pós-tratamento do paciente. 

Isso tem uma relevância clínica clara e pode servir como uma ferramenta benéfica para a deteção precoce e subsequente intervenção precoce desses tipos graves de cancro, melhorando potencialmente os resultados para os pacientes", considera o Dr.Langevin. 

 

Fonte: Oral Cancer Foundation /healthnews.uc.edu

Artigo original OCF: “University of Cincinnati researcher studies cancer-detecting mouthwash with help from ACS grant”

Recomendado pelos leitores

Proteína desempenha papel fundamental na infeção por patogénico oral
ARTIGOS

Proteína desempenha papel fundamental na infeção por patogénico oral

LER MAIS

Estudo: O cancro mais frequente associado ao VPH atualmente é o orofaríngeo
ARTIGOS

Estudo: O cancro mais frequente associado ao VPH atualmente é o orofaríngeo

LER MAIS

Identificada a assinatura prognóstica de cancro oral
ARTIGOS

Identificada a assinatura prognóstica de cancro oral

LER MAIS

Translate:

OJD 58 JANEIRO 2019

OJD 58 JANEIRO  2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.