O JonalDentistry em 2020-3-26

ARTIGOS

Vaping altera o microbioma oral e aumenta o risco de infeção

Pesquisadores do College of Dentistry da Univ. de N.York são os primeiros a mostrar que o uso de cigarros eletrónicos pode permitir que bactérias causadoras de infeção floresçam na boca.

Um número crescente de pessoas está recorrendo aos cigarros eletrónicos, ou vapes, como uma alternativa aos cigarros convencionais. No entanto, permanecem dúvidas sobre a segurança desses dispositivos e seus efeitos na saúde a longo prazo.

Recentemente uma pesquisa da NYU College of Dentistry mostra que o vaping altera a comunidade de bactérias da boca - o microbioma oral - de uma maneira que coloca os usuários em maior risco de infeção do que os fumadores e não fumadores.

O novo estudo foi publicado na revista iScience de acesso aberto.

 

Componentes tóxicos

Os cigarros eletrónicos são populares entre os fumadores porque oferecem uma maneira de obter uma nicotina sem os riscos à saúde do tabaco, como danos nos pulmões e maior risco de cancro.

Dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) mostram que quase 55% dos ex-fumadores de cigarro e 48% dos atuais fumantes de cigarro se voltaram ao vaping.

No entanto, os cigarros eletrónicos também se tornaram populares entre as pessoas que nunca fumaram, principalmente entre as idades de 18 e 24 anos. O aumento do vaping, principalmente entre os jovens, levantou preocupações, pois não há dados de longo prazo disponíveis sobre seus efeitos na saúde.

Relatos de doença pulmonar entre usuários adolescentes e adultos jovens, bem como a identificação de dietileno glicol (um composto tóxico presente no anticongelante) e agentes potencialmente causadores de cancro, como aldeídos, em cartuchos de cigarro eletrônico, destacaram a necessidade de mais pesquisas nessa área.

 

Bactérias orais 
A nova pesquisa avaliou os efeitos desses compostos na primeira parte do corpo que atingem: a boca. Além de ser uma via de entrada de ar nos pulmões, a boca também é uma porta de entrada para micróbios. 
Ter micróbios na boca não é necessariamente uma coisa má. Existem triliões de bactérias que vivem no corpo - na pele, no intestino e na boca - onde nos ajudam a combater infeções e digerir os alimentos. 
Neste artigo, os pesquisadores avaliaram o efeito do vaping na comunidade bacteriana da boca, que existem em num equilíbrio delicado. Alterações nessa comunidade microbiana podem contribuir para a doença oral. 
Os pesquisadores compararam o microbioma oral de três grupos de pessoas: usuários de cigarros eletrónicos, fumadores e não fumadores. 
“Dada a popularidade do vaping, é fundamental que aprendamos mais sobre os efeitos dos aerossóis de cigarro eletrónico no microbioma oral e nas respostas inflamatórias do hospedeiro, a fim de entender melhor o impacto do vaping na saúde humana”, explica o coautor sénior Xin Li, Ph.D. 

 

Patógenos periodontais

Os cientistas analisaram o perfil das comunidades microbianas presentes na saliva de 119 pessoas nos três grupos, usando um tipo especializado de sequenciamento genético.

Encontraram mudanças significativas no microbioma oral no grupo dos cigarros eletrónicos.

Em comparação com os fumadores e não fumadores os cigarros eletrónicos tinham um número maior de bactérias chamadas Porphyromonas e Veillonella, que têm associação com a doença gengival e são um reflexo da "saúde periodontal comprometida", de acordo com Li.

Eles também encontraram níveis mais altos de dois marcadores inflamatórios no grupo dos cigarros eletrónicos artigos, o que sugere que o vaping afeta o sistema imunológico local.

 

Células vulneráveis 

Para examinar os efeitos dos vapores do cigarro eletrónico em células individuais, os cientistas cultivaram células de uma faringe humana com bactérias e expuseram nas ao aerossol de um cigarro eletrónico ou ao ar. 
Descobriram que muitas outras células foram infetadas pelas bactérias quando foram expostas a aerossóis de cigarros eletrónicos. Essas células também ficaram mais propensas a inflamar. 
"O Nosso estudo sugere que o cigarro eletrónico vaping causa mudanças no ambiente oral e influencia muito a colonização de biofilmes microbianos complexos, o que aumenta o risco de inflamação e infeção orais".  — Coautor sénior Deepak Saxena, Ph.D. 

 

Qual é o risco?

Especialistas associaram alterações do microbioma oral a doenças que variam de cáries e mau hálito (halitose) a diabetes, doenças cardíacas e até cancro.

Embora este estudo não mostre que o vaping pode causar essas doenças, mostra que está associado a alterações significativas na comunidade bacteriana da boca.

Esses achados também sugerem que, como fumar cigarros convencionais, o vaping aumenta o risco de infeções orais.

No entanto, é importante lembrar que algumas dessas descobertas vieram de células que os cientistas cultivaram sob condições controladas, que não se comportam da mesma maneira que as células do corpo humano.

Os cientistas dizem que são necessários estudos mais detalhados para entender como os aerossóis de cigarros eletrónicos interagem com as chamadas boas bactérias e as implicações que isso pode ter para a saúde oral, respiratória e cardiovascular.

Recomendado pelos leitores

Os níveis de vitamina D parecem desempenhar um papel nas taxas de mortalidade por COVID-19
ARTIGOS

Os níveis de vitamina D parecem desempenhar um papel nas taxas de mortalidade por COVID-19

LER MAIS

Primeiro teste de saliva do mundo deteta cancro da garganta oculto
ARTIGOS

Primeiro teste de saliva do mundo deteta cancro da garganta oculto

LER MAIS

Produto químico encontrado na água potável associado à cárie dentária em crianças
ARTIGOS

Produto químico encontrado na água potável associado à cárie dentária em crianças

LER MAIS

Translate:

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.