JornalDentistry em 2024-6-20

EDITORIAL

Meu querido mês de junho

Gosto muito do mês de junho. É aquele mês em que o ritmo ainda não abrandou, mas as férias já estão marcadas e, por isso, está quase a abrandar. Os dias são grandes e as semanas pequenas.

Célia Coutinho Alves, DDS, PhD, médica dentista doutorada em periodontologia

Os feriados fazem de junho aquele mês em que o equilíbrio entre horas de trabalho e horas ainda de luz quando se chega a casa nos acerta o compasso circadiano e nos deixa mais felizes. E afinal não é isso que todos queremos? Momentos felizes?
Este mês o meu irmão ofereceu-me um livro de Ricardo Costa, líder do grupo Bernardo da Costa e presidente da Associação Empresarial do Minho. O livro        intitula-se “A felicidade é lucrativa” e é a prova de que, como ele mesmo diz,                    “As empresas não são feitas de pessoas, as empre- sas são as pessoas”. A verdade de estarmos na medicina dentária também com o papel de empresários é desafiante e, por vezes, atrevo-me a dizer, a forma mais difícil de estar na medicina dentária. O cuidado ao paciente, misturado com a necessidade de constante atualização, envolvidos pela necessidade constante de equilibrar as contas, dar lucro, para poder rein- vestir, fazem da posição do diretor clínico, médico dentista, líder da equi- pa, a posição de equilibrista máximo.
Já há algum tempo, mais precisamente desde que fiz uma residência clínica em periodontologia em Boston com o Dr. Myron Nevins, ainda eu estava no início do meu percurso como médica dentista, que ficou claro pela sua dedicação abnegada e pelas suas palavras que era minha “obrigação” passar aos outros aquilo que com ele tinha aprendido. E assim tenho tentado fazer. Segundo Jack Balousek, presidente da firma norte-americana The North Communications, as 3 fases da vida são: “learn, earn and return”, ou seja, “aprender, receber e devolver”. Atrevo-me a transpor esta filosofia de vida para a filosofia das equipas. Para liderar uma equipa, para aprender a liderar uma equipa, para a merecer e poder esperar o retorno disso mesmo é preciso investir. Há uns anos pesava que o investimento era sobretudo em retorno financeiro. Hoje estou cada vez mais convencida de que o investimento é no seu bem-estar, na felicidade das pessoas, no reconhecimento do seu valor.
Boas leituras!

 

 

Célia Coutinho Alves, Médica Dentista Especialista em Periodontologia pela OMD, Doutorada em Periodontologia pela Universidade Santiago de Compostela

 

Recomendado pelos leitores

Pulseira Amarela
EDITORIAL

Pulseira Amarela

LER MAIS

Translate:

OJD 119 JULHO 2024

OJD 119 JULHO 2024

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.